Juremir Machado da Silva

Arte Moderna na Casa da Memória

Change Size Text
Arte Moderna na Casa da Memória Foto: Juremir Machado da Silva

Foi um show a abertura da exposição “Cem anos da Semana da Arte Moderna” na Casa da Memória Unimed Federação RS (Santa Terezinha, 263). A inauguração aconteceu no sábado, 7 de maio, à noite. A frente da casa restaurada ficou tomada de gente. Na sacada, apareceram Nilson May, presidente da Unimed Federação RS, e Gilberto Schwartsmann, escritor apaixonado pela arte moderna brasileira.

O ator Zé Adão Barbosa encarnou Ronald de Carvalho recitando o famoso e sempre irreverente poema de Manuel Bandeira, “Os sapos”.

A plateia, puxada por Schwartsmann, retomava, em tom farsesco, o espírito da Semana da Arte Moderna e vaiava divertida.

Vai aqui uma palhinha:


Publicidade Publicidade

A exposição, que fica aberta ao público até 10 de junho, é um espetáculo de cores e de história arte, com obras de Anita Malfatti, Cícero Dias, Antonio Gomide, Di Cavalcanti, Guignard, Portinari, Oswaldo Goeldi, Portinari, Tarsila do Amaral e Victor Brecheret.

Que tal apreciar Di Cavalcanti?

Um Cícero Dias     

Dá para admirar também preciosas primeiras edições de livros como “Macunaíma” (S. Paulo, 1928). A curadoria da exposição é Gilberto Schwartsmann, José Francisco Alves e Sergius Gonzaga.

A performance foi também musical, com direito a músico encarnando Villa-Lobos com um pé de sapato e outro de chinelo.  

Em tempos de obscurantismo o espírito iluminado da Semana da Arte Moderna de 1922 serve de alento e de estímulo.

Criar salva do atraso.

Os modernistas contaram com apoio da elite cafeeira ilustrada.

Um dos presentes provocou: quando o agronegócio dará a sua contribuição?

Quem sabe uma Semana da Arte Pós ou Hipermoderna.

Não dá para perder a exposição da Casa da Memória. Confiram:

RELACIONADAS
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.