Eleições 2020

Porto Alegre elege uma Câmara mais jovem e mais plural; veja o perfil completo dos novos vereadores

Change Size Text
Porto Alegre elege uma Câmara mais jovem e mais plural; veja o perfil completo dos novos vereadores Suplente de Melchionna em 2016, Karen Santos foi a vereadora mais votada neste ano. Foto: Luiza Dorneles/CMPA

Representatividade feminina subiu de 14% para 31% na comparação com a atual legislatura, e número de pretos aumentou de dois para cinco

Correção, 17/11: Essa reportagem foi alterada porque originalmente informamos que oito parlamentares não haviam declarado bens no registro de candidatura, e um tinha declarado R$ 378,77. Na verdade, são cinco sem bens declarados e quatro com patrimônio menor do que R$ 50 mil. Os dados foram atualizados no texto e nos gráficos.

Mulher, negra e jovem, a vereadora mais votada em Porto Alegre nas eleições 2020, Karen Santos (PSOL), é o retrato de uma mudança de perfil na Câmara da Capital. A nova legislatura terá mais do que o dobro de mulheres e negros em comparação com a atual. Além disso, a média de idade dos parlamentares passa de 55 para 48 anos – sendo que 37% dos eleitos têm menos de 40 anos. Confira o perfil completo dos vereadores eleitos e entenda as principais mudanças.

Mais do que o dobro de mulheres, 36% delas pretas

Onze mulheres (31%) foram eleitas para a próxima legislatura, mais do que o dobro das cinco que ocupam cadeiras atualmente – todas as atuais foram reeleitas: Comandante Nádia (DEM), que foi a quarta mais votada, com 11.172 votos, Mônica Leal (PP), Cláudia Araújo (PSD), Lourdes Sprenger (MDB) e Karen Santos (PSOL), a campeã de votos, escolhida por 15.702 porto-alegrenses. Esta é a maior proporção de mulheres eleitas de todas as capitais do país, conforme o G1.

Dentre as novas eleitas, além de Karen, 32 anos, outras três são pretas e jovens: Laura Sito (PT), 29 anos, Bruna Rodrigues e Daiana Santos, ambas do PCdoB, com 33 e 38 anos, respectivamente. As parlamentares negras serão 36% do total de mulheres no próximo mandato. Completam a lista de mulheres eleitas Fernanda Araújo (PRTB), Psicóloga Tanise Sabino (PTB), e Mariana Pimentel (NOVO), que também é uma das jovens eleitas, com 34 anos.

Até então, apenas uma mulher negra havia sido eleita para o Legislativo de Porto Alegre, há 24 anos. Foi a vereadora Teresa Franco (PTB), conhecida como Nega Diaba. Com 6.423 votos recebidos em 1996, ela fez parte da 13ª Legislatura, de 1997 a 2000. Conforme reportagem do Sul 21, depois de Teresa, outras pretas chegaram apenas à suplência, sendo Karen a única empossada, em 2019, depois que Fernanda Melchionna, titular do mandato, foi eleita deputada federal.

As candidatas e o candidato trans, embora em número recorde nesta eleição, não foram eleitos. A maior votação foi conquistada por Natasha Ferreira (PSOL), com 2.011 votos. Em seguida, vieram Atena Beauvoir (PDT), com 876 votos; Felipe Amaro (PCB), 276 votos; Ana Paula Sander (PSOL), 217 votos; Nikaya Vidor (PSTU), 157 votos; e Giovana Pytton (PCdoB), 134 votos. Com exceção de Felipe e Nikaya, todos ficaram suplentes em seus partidos, o que abre a possibilidade de que possam assumir a vaga no decorrer da legislatura.

Mulheres negras elevam representatividade racial

A eleição de quatro mulheres que se autodeclararam pretas ao registrar candidatura eleva também a representatividade racial na Câmara, passando de dois para cinco parlamentares negros no próximo mandato (14%) – a primeira “bancada negra” do legislativo de Porto Alegre. A conquista de vagas aproxima a representação na Câmara do perfil demográfico da Capital, que tem 23% de pretos e pardos na sua população, segundo o IBGE. 

Além das quatro vereadoras pretas eleitas, Matheus Gomes (PSOL) também garantiu uma vaga. Com 29 anos, ele é um dos mais jovens a conquistar uma cadeira e foi o quinto mais votado, com 9.869 votos. Um dos eleitos se autodeclarou amarelo, e nenhum candidato indígena conquistou vaga na Câmara.

Faixa etária predominante caiu para 29 a 39 anos

Além de levar mais diversidade étnico-racial e de gênero ao Legislativo da Capital, os novos eleitos empurram para baixo a média de idade dos parlamentares. Atualmente, os vereadores porto-alegrenses têm, em média, 55 anos, sendo que 72% deles já passou dos 50.

A partir de janeiro de 2021, a idade média dos vereadores de Porto Alegre passa a ser de 48 anos, e a faixa etária mais prevalente será de 29 a 39 anos (37%), com 13 vereadores com menos de 40 anos. Nenhum dos eleitos têm mais de 70 anos – caso de três vereadores com mandato atualmente.

Jovens com diploma universitário


Apesar de mais jovens, os novos vereadores mantêm o perfil da legislatura que se encerra em dezembro no quesito escolaridade: 30 dos 36 eleitos (83%) concluíram o ensino superior. No mandato atual, 81% têm diploma universitário. Dos outros seis eleitos, três estão cursando faculdade, dois têm ensino médio completo e um não concluiu o ensino fundamental: Alvoni Medina (REP), que já é vereador. Natural de Encruzilhada do Sul, Medina tem 59 anos e é pastor da Igreja Universal.

Vereador ainda é ocupação mais comum

Apesar da taxa de renovação da Câmara ter sido alta – 47% dos eleitos não ocupava uma cadeira no Plenário – vereador ainda é a ocupação mais comum nos registros de candidatura, declarada por 15 dos 36 eleitos (42%). Entre os demais representantes que assumirão em 2021, há maior pluralidade de profissões: há três advogados (atualmente, são sete com mandato), dois professores, dois servidores públicos e dois profissionais de comunicação (jornalista e comunicólogo), além de policial civil, empresário, economista, administrador, padeiro e estudante. 

Entre os eleitos sem cargo de vereador no momento está Moisés Barboza (PSDB), conhecido como Maluco do Bem, um dos suplentes que permaneceu por mais tempo em exercício no mandato atual, mas que não está no cargo agora. Se considerada essa situação, a taxa de renovação da Câmara cai para 44%, com 16 estreantes e 20 que já passaram pelo Plenário.

Parlamentares sem bens em igualdade com mais abastados

Em termos de patrimônio, a média da nova legislatura permanece semelhante à atual: R$ 590 mil, contra R$ 585 mil dos parlamentares em exercício. A diferença é que a média é elevada por alguns eleitos milionários, como a administradora Mariana Pimentel (NOVO), que possui mais de R$ 5 milhões em bens declarados no registro de candidatura. Sozinha, ela detém um quarto da soma do patrimônio divulgado por todos os eleitos, que totalizam R$ 21 milhões. 

Se analisada a faixa patrimonial dos novos parlamentares, cinco não possuem bens declarados e quatro declararam menos de R$ 50 mil. Esses nove parlamentares são 25% da composição eleita, mesma parcela dos que detêm entre R$ 500 mil e R$ 999 mil, que também são nove (25%). Dos vereadores com mandato atualmente, apenas dois não tinham bens em seu nome. Ou seja: no próximo Parlamento, haverá mais equilíbrio entre o número de representantes sem posses e os mais abastados.

Nova legislatura é mais porto-alegrense do que atual

Dos novos eleitos, 21 nasceram na Capital (58%). É uma legislatura mais porto-alegrense do que a atual, que tem metade dos parlamentares nascidos na cidade. Somente uma eleita não nasceu no Rio Grande do Sul: Mariana Pimentel (NOVO), que é natural do Rio de Janeiro. Os demais vieram de diferentes cidades do interior gaúcho.

Mais partidos representados

Os 36 eleitos para a Câmara de Porto Alegre para 2021-2024 representam 18 partidos diferentes – atualmente, 15 legendas ocupam as cadeiras do Plenário. A maior fragmentação partidária pode ser reflexo do fim das coligações na eleição proporcional. 

As maiores bancadas a partir de janeiro passam a ser de PT, PSOL e PSDB, com quatro eleitos cada. O PTB foi o que mais perdeu assentos na comparação com o mandato atual: são seis membros do partido no cargo atualmente e três eleitos para a nova legislatura. As três siglas que não tinham representantes e passam a ocupar uma vaga são PCdoB, com duas vereadoras, Solidariedade e PRTB, que elegeram um parlamentar cada.

Confira a lista completa dos eleitos e suplentes para o Legislativo de Porto Alegre com a respectiva votação nas urnas. Para mais detalhes sobre cada candidato, veja os dados de registro de candidaturas no TSE.

Em parceria com Afonte Jornalismo de Dados, o Grupo Matinal Jornalismo apresenta dados da Câmara de Vereadores de Porto Alegre durante cobertura das Eleições 2020. Nesta semana, traçamos o perfil dos eleitos para a próxima legislatura. 

*Texto e gráficos produzidos com dados extraídos do portal de divulgação de resultados das eleições 2020 e dados de registros de candidatura do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

RELACIONADAS

Esta reportagem é financiada pelo investimento de nossos assinantes. Assine o Matinal e ajude-nos a produzir um jornalismo independente e de qualidade.

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.

O matinal
PRECISA
de você

Precisamos bater a meta do nosso crowdfunding para seguirmos ativos em 2021

O matinal
PRECISA
de você

Precisamos bater a meta do nosso crowdfunding para seguirmos ativos em 2021