Eleições 2020, Matérias

Saúde, desenvolvimento, mulheres e segurança são as pautas mais citadas pelos vereadores eleitos em Porto Alegre

Change Size Text
Saúde, desenvolvimento, mulheres e segurança são as pautas mais citadas pelos vereadores eleitos em Porto Alegre

Apresentação dos candidatos em seus perfis e sites oficiais traduz a pluralidade de interesses que devem pautar propostas e discussões na Câmara a partir de janeiro

Das cerca de 3 mil palavras que compõem as biografias oficiais dos 36 eleitos para o próximo mandato na Câmara de Porto Alegre, “saúde”, “desenvolvimento”, “mulheres” e “segurança” estão entre as mais citadas. Retirados dos sites e dos perfis em redes sociais oficiais dos futuros parlamentares, os textos reforçam a pluralidade de interesses que devem pautar projetos e debates no Plenário a partir de janeiro.

A “nuvem de tags” gerada com base nas biografias da nova Legislatura, que terá mais jovens e recorde de mulheres e negros, revela as prováveis pautas centrais dos parlamentares. Se desconsideradas expressões como “Porto Alegre”, “direitos”, “população” e “política”, que não representam temas específicos, os vocábulos mais recorrentes foram “saúde” e “desenvolvimento”, com 10 citações cada. No topo das discussões em 2020, por causa da pandemia do novo coronavírus, os temas chegaram a ser colocados em lados opostos nas arenas de debates quando se discute, por exemplo, abrir ou fechar o comércio. 

Professor de Ciência Política da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Rodrigo Stumpf González afirma que esses dois termos são “genéricos o suficiente para todo mundo ter algum tipo de posição”, por isso, estão entre os mais citados. Contudo, isso não significa que haverá consenso em projetos sobre esses tópicos. “A palavra não diz qual é o posicionamento da pessoa. Todos defendem a saúde, mas é com a ampliação de postos ou com a privatização? E o desenvolvimento é apoiar o empresariado ou distribuir renda? É uma complexidade que a palavra sozinha não tem”, explica.

Gênero, juventude e segurança

Somadas, as palavras “mulher” e “mulheres” também aparecem 10 vezes nos textos dos eleitos, o que indica que a questão de gênero terá relevância no Plenário. Doutora em Ciência Política e pós-doutora em Estudos de Gênero pela Universidade de Brasília (UnB), Denise Mantovani afirma que o destaque para o tema pode ser resultado de vários aspectos, entre eles, a atuação dos movimentos feministas, a reação aos retrocessos nas políticas federais e a eleição de 11 vereadoras para o próximo pleito — contra apenas cinco com mandato atualmente. “Além disso, há uma apropriação da agenda de defesa dos direitos das mulheres por candidatos com discursos demagógicos, alguns, inclusive, que já estiveram no poder e não implementaram políticas ou projetos de lei nessa área”, afirma a pesquisadora.

Também entre os mais citados, os termos “segurança” e “violência” somam nove repetições, enquanto as palavras “comunidades” e “bairros” contabilizam, juntas, oito citações. Conforme Mantovani, ao olhar a maior representatividade feminina e negra na próxima Legislatura, essas expressões podem indicar que projetos mais progressistas terão algum espaço no Parlamento. “É o que tratamos na ciência política como ‘política de presença’, a maior diversidade dentro da Câmara permite uma maior pluralidade de ideias”, explica. 


Já a palavra “jovem” foi usada sete vezes, o que também pode ser reflexo da maior representatividade. No próximo mandato, a média de idade dos vereadores será de 48 anos e a faixa etária mais prevalente será de 29 a 39 anos (37%). Atualmente, os vereadores porto-alegrenses têm, em média, 55 anos, e 72% deles já passou dos 50. “O eleitorado jovem busca essa identificação com os candidatos”, aponta González.

 
A “nuvem de tags” mostra ainda que o termo “obras” teve destaque, com seis repetições, mesma quantidade das expressões “esporte” e “esportes” somadas, e também do total de menções a “educação” e “infância” juntas.


Textos refletem história pessoal e política

A escolha dos textos de apresentação dos eleitos para projetar temas em pauta na próxima Legislatura é significativa porque as biografias são espaços preferenciais para destacar a trajetória pessoal e política dos candidatos em busca do voto. Nesses conteúdos, estão expressos não só os interesses do momento, mas o histórico de atuação de cada um dos futuros parlamentares. Foram excluídas da análise expressões como “Câmara de Vereadores”, menções aos nomes dos candidatos e referências a anos e cargos eletivos, para obter um resultado mais próximo das pautas de interesse dos eleitos.

Com pós-doutorado em Comunicação Política pela Universidade de São Paulo (USP) e ampla experiência em marketing eleitoral, o publicitário Sérgio Trein observa que a biografia é onde o candidato constrói a imagem de si para o eleitor, e, para muitos cidadãos, as características pessoais são mais importantes do que o partido na decisão de voto. É por isso que a abordagem biográfica pauta estratégias de campanha tanto a favor do candidato quanto contra adversários. “A nuvem de palavras indica que a fala das minorias fez mais sentido nesta eleição, reverberando causas que já estavam em voga no debate público, ao lado de termos que costumam ser bastante repetidos no período eleitoral, como saúde, segurança e educação”, observa Trein. 

Palavras como “imposto” ou “tributo” não se destacam nos textos biográficos dos futuros vereadores, mas, com Sebastião Melo (MDB) eleito prefeito, o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) deve ser um dos primeiros assuntos do Executivo a chegar ao Plenário. Ao longo da campanha, Melo prometeu cancelar todos os aumentos do IPTU, e reafirmou a intenção logo após eleito, em entrevista à Rádio Band News.


Os seis partidos (DEM, Cidadania, Solidariedade, DC, PRTB e PTC) que compuseram a coligação com o MDB na campanha para prefeito ocupam sete das 36 cadeiras na Câmara, o que indica que o novo chefe do Executivo municipal não deve ter dificuldade de garantir uma base de apoio no Legislativo, com provável adesão de outros parlamentares da direita e de partidos de centro que apoiaram a campanha do emedebista em segundo turno, somando cerca de dois terços do Parlamento.

Em parceria com Afonte Jornalismo de Dados, o Grupo Matinal Jornalismo apresenta dados da Câmara de Vereadores de Porto Alegre durante cobertura das Eleições 2020. Nesta semana, apresentamos os principais temas que pautaram os discursos biográficos dos eleitos para a próxima Legislatura. 

*Texto e gráfico produzido com dados extraídos dos sites e perfis nas redes sociais registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) dos 36 vereadores eleitos à Câmara de Porto Alegre para 2021-2024.

Esta reportagem é financiada pelo investimento de nossos assinantes. Assine o Matinal e ajude-nos a produzir um jornalismo independente e de qualidade.

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.