Matinal News

Em dia de caos, Câmara mantém veto ao passaporte vacinal

Change Size Text
Em dia de caos, Câmara mantém veto ao passaporte vacinal

Uma imagem de suástica, insultos de cunho racista, agressões físicas e negacionismo. Foram esses os ingredientes que marcaram a sessão da tarde dessa quarta-feira na Câmara Municipal de Porto Alegre, no momento em que os vereadores analisavam o veto parcial do prefeito Sebastião Melo (MDB) ao projeto que estabelecia um passaporte vacinal na cidade. O veto acabou mantido, por 18 votos a favor, 14 contrários e duas abstenções. Mas a decisão não tem eficácia, já que uma medida estadual torna obrigatória a comprovação da imunização em determinados espaços. Vale lembrar que os imunizantes estão ligados à queda nos números da pandemia.

Sessões com o clima mais quente, com discussões acaloradas, não são raras na Câmara. No entanto, as cenas de ontem – provocadas por manifestantes que se dizem defensores da liberdade e, por isso, são contrários à obrigação do passaporte vacinal – ultrapassaram os limites da divergência.

Para piorar, um cartaz criticava a obrigação do comprovante vacinal comparando-a a uma prática nazista. Porém, o que mais se destacava era uma suástica. A lei 7.716/1998 veda a veiculação de símbolos que divulguem o nazismo. Antes de serem retirados, uma briga generalizada tomou conta da galeria e envolveu ao menos dois parlamentares: Roberto Robaina (PSOL) e Clàudio Janta (Solidariedade), além de assessores.

Como se não bastasse, uma outra manifestante chamou vereadoras da bancada negra de “lixo” e “empregadas”. As parlamentares informaram que irão à Delegacia de Combate à Intolerância para registrar um boletim de ocorrência contra os agressores e pedir que medidas sejam tomadas. A Câmara publicou uma nota de repúdio. O prefeito Sebastião Melo ignorou o assunto em suas redes sociais.


O que mais você precisa saber

CPI afirma que coordenador de experimento com proxalutamida cometeu crime contra a humanidade – Apresentado ontem pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL), o relatório da CPI da Pandemia recomenda o indiciamento de 66 pessoas físicas. Entre elas está o endocrinologista Flávio Cadegiani, que coordenou os experimentos com proxalutamida em hospitais no Amazonas e no Rio Grande do Sul. No entendimento do relator, o médico cometeu crime contra a humanidade. O estudo com pacientes com Covid em Manaus teria matado mais de 200 pessoas. Já em Porto Alegre, não há notificações sobre óbitos. O caso gaúcho veio a público com uma reportagem publicada em agosto pelo Matinal. Cadegiani esteve à frente do experimento realizado no Hospital da Brigada Militar, do qual teriam participado cerca de 60 pacientes internados com Covid-19 na UTI. Ontem, reportagem do El País mostrou que Cadegiani também administrou proxalutamida em sua clínica em Brasília sem a autorização da Anvisa e numa dose jamais aplicada oficialmente em um ser humano.  

Projeto que inclui Educação como critério de divisão do ICMS é lançado – O Governo do RS lançou ontem o projeto Educação no ICMS. A proposta modifica as bases de divisão do imposto com os municípios e permite que indicadores relacionados ao tema sejam colocados dentro do cálculo de divisão do tributo no Estado. A pretensão do Piratini é aumentar o percentual de distribuição do recurso de 10%, o mínimo exigido pela emenda constitucional de 2020, para 17% a partir de 2024. A iniciativa ainda prevê a inclusão de dois novos índices: o Índice Municipal de Ensino e a Participação no Rateio da Cota-Parte da Educação. O projeto deverá ser encaminhado hoje à Assembleia Legislativa em regime de urgência. Ainda sobre ensino, a administração estadual ainda não definiu a data do retorno obrigatório às aulas presenciais. O tema voltará a ser discutido na próxima semana e, se for aprovado, deverá envolver as redes de ensino estadual e privada. 

Novo trecho da orla do Guaíba abre sábado – Uma nova área de lazer está pronta para ser usada em Porto Alegre. Trata-se do trecho 3 da Orla do Guaíba, que será entregue à população neste sábado. O investimento feito no local foi de 53,4 milhões de reais e a estrutura tem 1,6 quilômetro de extensão, que vai das proximidades da foz do Arroio Dilúvio ao complexo do Parque Gigante. A região conta com 29 quadras esportivas, pista de caminhada, arquibancadas, três bares e a maior pista de skate da América Latina, segundo o secretário de Obras e Infraestrutura, Pablo Mendes Ribeiro. Os permissionários dos espaços gastronômicos já estão definidos (🔒), mas a montagem ainda não começou. Os trabalhos do trecho 3 da Orla chegaram a ser adiados em três ocasiões e foram finalizados dois anos após o início.

Outros links:

  • O Brasil passou da marca da metade da população com o esquema vacinal completo nessa quarta-feira. O índice coincide com a redução de casos e óbitos a patamares de maio do ano passado.
  • Horas antes, na Itália, um estudo do Instituto Nacional de Saúde do país concluiu que somente pessoas muito idosas e que já apresentavam outras comorbidades ainda correm mais risco de morte após serem vacinadas.
  • A vereadora Fernanda Barth (PRTB) esteve em um evento do SindilojasPoa na segunda. Ela, que não se vacinou, chegou a ser barrada, pois o evento exigia a vacinação, mas depois foi autorizada a entrar, informa a jornalista Taline Oppitz.
  • Hospitais gaúchos estão adiando exames em pacientes com câncer. O Instituto responsável por fornecer os insumos já retomou a produção, que deve acontecer só em novembro.
  • mural que será pintado no prédio do Daer permanecerá ao menos até dezembro de 2024. Terminado o período, poderá ser apagado ou incorporado ao patrimônio.
  • A Smamus autorizou o início das obras para retomada dos pedalinhos da Redenção. Expectativa é de que os serviços voltem a funcionar ainda este ano.
  • Integrantes do Movimento Preserva Belém Novo entraram com uma representação no MPE para interditar obra do DMAE. Estudo de impacto ambiental declarado falso pelo IGP.
  • A maioria dos municípios gaúchos teve dificuldades em pagar os benefícios previdenciários no ano passado, segundo levantamento do TCE que será publicado hoje.
  • Um estudo divulgado pela Netfive apontou que sete em cada dez empresas gaúchas têm, pelo menos, três vulnerabilidades na segurança da informação.
  • A Capital foi sede do 1º Encontro do Coletivo Digitais Pretas, onde 20 empreendedoras locais expuseram seus trabalhos.

Vacina, sim!

Mais de 50 locais aplicam a vacina contra a Covid hoje em Porto Alegre. Lembrando que a dose de reforço passa a ser liberada a partir desta quinta a pessoas com 60 anos ou mais vacinadas e profissionais de saúde com a segunda dose até 21 de abril, além de imunossuprimidos com esquema vacinal completo até 23 de setembro. Acesse o serviço completo do dia. 



Cultura

Agenda (🔒)

Salão Mourisco, da Biblioteca Pública do Estadovolta a sediar a série Recitais na Biblioteca. Às 19h, os estudantes da Escola de Música da OSPA apresentam interpretações de BachMozart e mais. 

Às 19h, Francisco Dalcol recebe o pesquisador Arnoldo Doberstein para uma live que integra o Programa Público da 1ª Exposição de Arte Brasileira Contemporânea: 1955/2021 — Resgate da exposição de estreia do MARGS e formação inicial do Acervo

De hoje a 23 de outubro, às 21h, o Theatro São Pedro recebe a temporada de Grace em Revista, show da atriz, autora e diretora Grace Gianoukas. O evento dá início às comemorações dos 40 anos de carreira da atriz. 

Para receber todas as dicas culturais do Roger Lerina enviadas aos assinantes premium do Matinal, assine aqui.

Receba a agenda completa


Você viu?

Há uma década Porto Alegre implementou a lei que determina a instalação de obras de arte visíveis em edifícios novos de grande porte. Com o passar do tempo, o resultado disso é visível. Hoje, há quase 200 obras espalhadas pela cidade. O arquiteto e urbanista Vinicius Vieira, em entrevista ao Jornal do Comércio, lembra que as artes transformam-se em pontos de referência e tornam as fachadas mais ativas. “As artes visuais não ocupam lugar, elas criam lugar”, destacou. Para o arquiteto Márcio Carvalho, cuja vista da janela de sua casa dá para o painel da artista Heloísa Crocco, a arte no edifício passa a mensagem de que aquela construção também é da cidade, e que a arte é de quem a vê. “De dentro de casa enxergo as formas e quem olha da rua vê da mesma forma. Ela é minha ou de quem está na rua?”, refletiu.

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito