Matinal News

Justiça mantém suspenso decreto de Melo que contrariava medida estadual

Change Size Text
Justiça mantém suspenso decreto de Melo que contrariava medida estadual

Deu no The New York Times: Porto Alegre é o “coração de um colapso monumental no sistema de saúde do Brasil”. O prefeito Sebastião Melo (MDB) foi citado na reportagem como uma autoridade mais preocupada em salvar a economia do que vidas. O emedebista se defendeu. Disse que nunca negou a doença, mas acredita ser possível reabrir a cidade “com equilíbrio”. Também destacou o número de novos leitos abertos, estratégia importante mas que não combate a transmissão do vírus.

No esforço para retomar atividades econômicas, Melo editou um decreto na sexta-feira liberando comércio, bares e restaurantes também nos finais de semana, o que é proibido pela gestão estadual. O Ministério Público do Estado então entrou na Justiça e, até ontem à noite, o TJ mantinha a suspensão do decreto municipal. No Twitter, o prefeito ironizou a decisão.

Publicidade
Publicidade

Melo justificou seu decreto pelo fato de Leite ter rompido com o modelo de cogestão de forma unilateral. “Minha opinião é de que Leite decide mais na política do que de forma científica”, afirmou. Lembrando que, do ponto de vista da ciência, a recomendação para frear a pandemia é restringir atividades e a circulação de pessoas.

Na sexta-feira, pela quinta semana consecutiva, o mapa do distanciamento controlado manteve-se todo em bandeira preta – o que não significa restrições rigorosas, já que todas as regiões aderiram à cogestão e podem adotar medidas mais brandas apesar do nível altíssimo de risco de contágio.

O que mais você precisa saber

Sul tem o maior número de mortes fora da UTI – Ontem, o Rio Grande do Sul registrou 143 novas mortes por Covid, o maior número em um domingo, dia que costuma ter índices mais baixos. Nas 11 primeiras semanas do ano, mais de 28 mil brasileiros morreram de Covid-19 nos hospitais do país sem passar por uma UTI. Atualmente, os números são maiores no Sul. Há quatro semanas o índice não baixa de 53% em Santa Catarina e ultrapassou os 50% no começo de março no RS. Muitos desses óbitos seriam evitáveis se os pacientes tivessem recebido “todos os cuidados que em outra circunstância receberiam”, destacou o professor da UFRGS e médico do Clínicas Alexandre Zavascki. Mas a circunstância atual não permite: o RS está há quase um mês com as Unidades de Tratamento Intensivo operando acima do limite. Zavascki também chama a atenção para o aumento de mortes nas faixas etárias de 20 a 39 anos e de 40 a 59 anos.

No RS, 39% das doses não foram aplicadas; na Capital falta um terço – Quase 40% de todas as vacinas que chegaram ao Estado (831,4 mil doses) ainda não foram aplicadas. A coordenadora do Departamento de Atenção Primária e Políticas de Saúde da Secretaria Estadual da Saúde, Ana Costa, explicou que, entre as razões está a reserva para a segunda dose, embora o Ministério da Saúde tenha orientado as prefeituras a não guardarem vacina para a segunda aplicação, recomendação com a qual Costa concorda. De acordo com ela, o governo estadual busca apoio de universidades para ampliar a capacidade de aplicação. Em Porto Alegre, um terço do que já chegou ainda não foi usado, apesar de o prefeito ter afirmado na semana passada que, tendo vacina, a cidade estaria preparada para imunizar em massa. Aliás, o sábado foi marcado por longas filas nos drive thrus da cidade, tanto que o atendimento foi estendido por três horas e nem todos que esperavam conseguiram se vacinar. Ainda assim, a cidade é a capital que mais vacinou proporcionalmente, com cerca de 13% da população alvo para esta etapa da campanha já imunizada.

Carreata pede reabertura de escolas enquanto PGE-RS tenta derrubar liminar que as mantém fechadas – Organizada pelo projeto Lugar de Criança é na Escola RS, mais uma carreata em favor da volta às aulas presenciais foi realizada ontem na Capital. De acordo com a EPTC, a manifestação contou com cerca de 55 veículos, que saíram do Parque Marinha do Brasil com destino ao Tribunal de Justiça do Estado (TJ-RS). No final do ato, os participantes exibiram mochilas e materiais escolares em frente ao local, objetos que depois foram doados ao Projeto Anjos da Quinta. O coletivo pede que o TJ-RS atenda à medida judicial de urgência encaminhada pela Procuradoria Geral do Estado (PGE/RS) na sexta-feira e que tenta derrubar a liminar que mantém suspensas as atividades presenciais. As escolas estão impedidas de abrir desde o início de março por uma ação ajuizada pela Associação Mães e Pais pela Democracia, que alega preocupação com a segurança sanitária em meio ao agravamento da pandemia. Até o momento, não houve nova decisão da Justiça. 

Vacina, sim!

Chegou a vez dos idosos com 69 anos se vacinarem na Capital. As aplicações serão feitas em 39 unidades de saúde e três pontos de drive-thru. Hoje também podem ser imunizados profissionais liberais da área da saúde a partir de 40 anos em farmácias habilitadas. Confira horários e endereços aqui.

Outros links:

  • fila para UTI em Porto Alegre recuou 12% ontem, mas o número de pacientes à espera de um leito ainda é alto: 187. Houve 1,75% de aumento na média do total de internados com Covid-19 nos últimos sete dias, uma oscilação pequena como é de se esperar quando o sistema opera acima da capacidade.
  • Sete projetos do Hospital de Clínicas de Porto Alegre foram registrados para a busca de recursos de emendas parlamentares. Dois pretendem garantir equipamentos para qualificar o atendimento a pacientes com Covid-19. 
  • O número de internações de gestantes infectadas com Covid-19 aumentou no RS. De janeiro a 25 de março, foram registradas 184 hospitalizações e 11 óbitos. 
  • Em protesto pela flexibilização das restrições no comércio, um grupo lacrou o acesso à prefeitura e à Câmara de Vereadores de Nova Petrópolis. Na porta do Executivo foi colocada a faixa com onde se lia “Serviço não essencial”. 
  • Pensando em manter o número de segurados, o IPE criou um clube de benefícios (🔒) para oferecer descontos em estabelecimentos e atividades relacionadas à saúde. Neste ano, serão abertos editais para cadastrar farmácias interessadas. 
  • O Sindilojas indicou que as vendas na Páscoa devem ser 30% menores em relação ao período anterior à pandemia. O presidente da entidade, Paulo Kruse, destacou que o movimento em shoppings centers e em lojas físicas ainda é fraco. 
  • Cientistas do RS iniciaram uma pesquisa que busca um tratamento alternativo para a asfixia neonatal. O estudo inédito foi publicado na revista Neuroscience, referência na área de neurociências. 
  • Uma ecobarreira, instalada no Arroio Dilúvio, impediu que chegasse ao Guaíba o equivalente a 15 meses de lixo recolhido em Porto Alegre. A estrutura recolheu mais de 775 toneladas de resíduos até 21 de março.
  • Um avião jogou agrotóxicos sobre assentados em Nova Santa Rita, de acordo com a Agapan. A entidade fará uma transmissão ao vivo hoje para mostrar depoimentos. 
  • A gasolina acumulou alta de 23,5% nos três primeiros meses de 2021 no Rio Grande do Sul.

Cultura

Beba sem moderação

Foto: Henrik Ohsten, Vitrine Filmes/Divulgação

Aguardado longa do diretor dinamarquês Thomas Vinterberg, indicado aos prêmios do Oscar de Melhor Diretor e Melhor Filme Internacional, Druk – Mais uma Rodada (2020) apresenta quatro professores de uma pacata escola na Dinamarca. A fim de sair do marasmo existencial, eles decidem testar uma ousada teoria: segundo um pesquisador norueguês, todo mundo seria mais feliz, relaxado e produtivo se mantivesse constantemente uma quantidade mínima e controlada de álcool no sangue. Assim, o quarteto mergulha de cabeça no experimento etílico, bebendo diariamente inclusive durante o trabalho. Leia a resenha de Roger Lerina.

Agenda (🔒)

Para receber todas as dicas culturais do Roger Lerina enviadas aos assinantes premium do Matinal, assine aqui.


Você viu?

próxima edição do curso Jornalismo e Território busca comunicadores das periferias de cidades do Sul e do Sudeste brasileiro (exceto SP e RJ) para ampliar o olhar sobre os temas centrais da iniciativa: infância e território. As inscrições estão abertas e vão até o dia 7 de abril. Os participantes que cumprirem 80% da carga horária da formação, irão receber uma ajuda de custo de 250 reais. Ao longo do curso, serão apresentadas pautas e seis delas serão selecionadas para produção. Os escolhidos serão beneficiados com uma remuneração de 1 mil reais para a finalização da reportagem, já que a ideia é estimular o jornalismo local e apresentar a visão de quem vive e convive nos territórios periféricos. O curso, desenvolvido pela Énóis, terá oito encontros.

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.