Matinal News

Morte de Beto gera levante antirracista pelo Brasil

Change Size Text
Morte de Beto gera levante antirracista pelo Brasil Acordo foi fechado cerca de sete meses depois do assassinato de Beto Freitas em uma unidade da rede (Foto: Marcela Donini)

Crime em Porto Alegre desencadeia levante antirracista no Brasil

Foi brutal e cruel. Antes de morrer, João Alberto Silveira Freitas, o Beto, foi asfixiado por quatro minutos, diante de 15 pessoas, na unidade Passo d’Areia do Carrefour. As cenas deploráveis ocorridas na noite de quinta-feira percorreram o mundo e deram início a um levante antirracista no Brasil – um país onde, de acordo com o Atlas da Violência, cinco negros foram assassinados por hora em 2018.

Em Porto Alegre, na sexta, uma grande manifestação clamou por justiça para Beto no entardecer, em frente ao local do crime. Terminou com cenas de confronto entre Brigada Militar e um grupo de manifestantes que tentou invadir a loja. O fim de semana marcado de luta contra o racismo iniciou na região ao som de rojões e com gás lacrimogêneo no ar. Mas a revolta ultrapassou os limites da capital. Entre sexta-feira e domingo, diversas unidades do Carrefour em diferentes cidades do país tiveram protestos. Alguns com mais, outros com menos quebra-quebra.

Com o tema do racismo – e por vezes a sua negação – mais uma vez em voga, nesta segunda há um outro ato marcado, dessa vez na unidade Partenon do Carrefour, a partir das 18h. Os cinco vereadores negros que se elegeram no domingo passado devem comparecer à manifestação.

Inquérito – Na esfera criminal, a Polícia Civil espera encerrar o inquérito da morte de Beto até sexta-feira. A dupla flagrada no espancamento foi detida em flagrante e agora está presa preventivamente. Eles deverão responder por homicídio doloso, conforme a  delegada Roberta Bertoldo, responsável pelo caso.

O caso, segundo a chefe da Polícia Civil, delegada Nadine Anflor, deve acelerar a implementação da Delegacia de Polícia de Combate à Intolerância (DPCI) para o dia 10 de dezembro. Coincidentemente, será na mesma região em que aconteceu o crime que tirou a vida de Beto.


O que mais você precisa saber

Políticas antirracistas de Manuela e Melo – No plano de governo registrado no TSE pelas candidaturas à Prefeitura de Porto Alegre, apenas Manuela D’Ávila (PCdoB) menciona planos de combate à discriminação racial (leia aqui o plano completo). Se eleita, promete propor um Plano Municipal de Promoção da Igualdade Racial, além de capacitar e conscientizar servidores para a importância de uma postura inclusiva. Manuela também pretende trazer a bandeira Vidas Negras Importam para dentro da gestão. O emedebista Sebastião Melo não menciona os termos racismo ou preconceito no plano (leia aqui). No tempo da TV, Melo dedicou três dos cinco minutos do programa de sexta à noite para lamentar o caso. A candidata Manuela falou sobre o caso e detalhou o plano no programa de sábado.

Pandemia no RS – O Governo do Estado recebeu 15 pedidos de reconsideração após classificar 13 regiões em bandeira vermelha no plano de distanciamento controlado – inclusive Porto Alegre, que na semana passada tinha sido indicada na vermelha, mas recorreu e ficou na laranja. O repique da pandemia, tanto no Brasil quanto no Rio Grande do Sul, se manifesta na ocupação de leitos de UTI por pacientes com suspeita ou com diagnóstico de coronavírus. Em Porto Alegre, ontem, o patamar havia voltado a crescer, depois de uma queda no fim da semana. Ainda assim, na comparação ao longo das semanas, a curva do gráfico já não indica queda nessas internações. Hoje o RS deverá passar da marca de 6,5 mil vidas perdidas para a Covid-19.

A difícil tarefa de montar uma base na Câmara – Independente de quem vencer as eleições para a Prefeitura da Capital no domingo, um dos principais desafios vai ser lidar com uma Câmara de Vereadores ainda mais fragmentada. A colunista Rosane de Oliveira, de GZH, fez o cálculo (🔒) . O número de partidos que possuem assentos subiu de 16 para 18. Na legislatura de 2012, eram 12. No quadro atual, considerando as coligações e os partidos que manifestaram apoio, Sebastião Melo (MDB) conta com 18 parlamentares de 12 partidos diferentes. A coligação de Manuela D’Ávila (PCdoB) elegeu 12 vereadores de quatro partidos. Seis eleitos não manifestaram apoio a nenhum candidato, sendo quatro do PSDB e dois do Novo. O número de votos para se aprovar com maioria simples um projeto na Câmara de Porto Alegre é 19.


Outros links:

  • Três anos depois da reforma trabalhista do governo Temer, o número de processos recuou 41,4% no Estado.
  • No último final de semana antes do pleito, Sebastião Melo e Manuela D’Ávila fizeram caminhadas nos bairros carentes da Capital.
  • Com Covid-19 há mais de uma semana, o deputado Osmar Terra (MDB) foi internado ontem no Hospital São Lucas. O quadro clínico  é estável.
  • As contratações emergenciais no RS para atender as demandas de enfrentamento à pandemia chegaram ao custo de 950 milhões de reais, segundo o TCE. 
  • Sérgio Bandoca Foscarini da Silva, ex-prefeito de São Francisco de Paula e presidente da Expointer na gestão Sartori, morreu ontem aos 70 anos.
  • Se possível, apaguem as luzes! A conta da CEEE ficou mais cara ontem. Consumidores residenciais e comerciais tiveram acréscimo de 6,79%; indústrias, de 10,54%.
  • Com o IGP-M acumulando alta de 24,25% em 12 meses, os contratos de aluguel devem ser a próxima vítima da alta de preços. Locadores e locatários de vários setores discutem como se aproximar da inflação oficial, de 3,14%.
  • Alô, concurseiros: mais de 200 vagas foram abertas no RS nesta semana.


Só você e o negro
Por Rafael Guimaraens

Você esperou toda a vida por esse momento. Quantas vezes sonhou com isso? Um negro à sua mercê, rendido, manietado. Quantas vezes imaginou encher um negro de porrada, mas não pôde, porque ele reagiria e você poderia se daria mal. Agora não: é você e ele, num local ermo. Tem gente em volta, mas ninguém vai reagir porque é só um negro. Você não o conhece, mas nem precisa. É um negro como os outros, de forma que você o odeia. E você está autorizado: pela firma de segurança que o treinou para essas ocasiões (talvez tenham falado outras coisas como evitar conflitos, usar a cabeça, agir com prudência, mas você não prestou atenção, porque escolheu esse emprego exatamente pela possibilidade de dar porrada em alguém, de preferência, num negro); a direção do super não vai se responsabilizar, só pede para que essas coisas aconteçam longe dos caixas, se não alguém pode desistir das compras e isso é ruim para os negócios.

É só você e o negro. Minto: você, o negro e o colega que se conforma em ser miserável coadjuvante, e só vai segurar o negro para você enchê-lo de porrada. Esse negro, que que tá pensando? Entrar no super e dar uma de bacana? É hoje! O grande momento. Bater num negro que não sabe o seu lugar. E você, com seus bíceps artificiais à base de muito anabolizante, você com seu físico de academia, você com a covardia própria dos racistas, você bateu nele exatamente como seus heróis do MMA, do UFC, batem nos outros. Você está no octaedro do MMA, numa luta sem gongo, uma luta contra o adversário manietado para você bater, numa luta desigual, mas você não liga pra essas frescuras, coisa de maricas. Você deu socos, deu pontapés, bateu, bateu e bateu. Não tem gongo. Tem o ódio. Tem os gritos. E você batendo, descontrolado. Lá pelas tantas, ele apagou e você ficou irritado, porque queria bater mais. Queria bater naquele negro pelo resto da noite, pelo resto da vida, pelo resto de sua existência de valentão medíocre, insossa, desprovida de alma, de gentileza, de empatia, de humanidade.

* Rafael Guimaraens é jornalista e escritor. Entre os títulos publicados estão 1935A Dama da LagoaAguas do Guaíba e O Sargento o Marechal e o Faquir, todos pela Libretos.


ANÚNCIO:

Campanha Sintergs – Não à reforma administrativa

Tem interesse nos espaços de mídia do Matinal? Escreva para [email protected].


Cultura

Marias festeiras não se calam

Foto: Ramon Moser / DEDS – UFRGS

As compositoras e instrumentistas Dessa Ferreira e Gutcha Ramil, das Três Marias, conversaram com o repórter Ricardo Romanoff sobre o single e clipe Santo Festeiro, que tem a participação do mestre maranhense Tião Carvalho e celebra o bumba meu boi – uma das diversas tradições populares reverenciadas pelo grupo. As Marias também anteciparam o que vem por aí no primeiro álbum do quinteto, intitulado Não se Cala, que será lançado em 2021. Repleto de participações especiais, o disco foi gravado no estúdio Pedra Redonda, com produção de Guilherme CeronLeia a entrevista.

Agenda

Até 29 de novembro, oito filmes brasileiros, entre curtas a longas-metragens, integram a mostra Consciências Negras da Sala Redenção – Cinema Universitário da UFRGS.

Veja a agenda completa


Você viu?

A pandemia do novo coronavírus modificou muitos eventos e iniciativas sociais. Com a tradicional campanha Papai Noel dos Correios não foi diferente, e agora ela será realizada de forma online, tudo para garantir a segurança dos envolvidos. A estatal fez adaptações relacionadas ao recebimento das cartas e à adoção dos pedidos das crianças, que devem ser feitos através do site. O foco da ação estará em instituições selecionadas que atendem crianças em situação de vulnerabilidade social. O lançamento da campanha ocorreu ontem à tarde, no canal dos Correios no YouTube e, claro, teve a participação do Bom Velhinho. Datas, locais e horários de funcionamento dos pontos de entrega dos presentes podem variar conforme a região, mas podem ser consultados no blog criado para a ação. Em solo gaúcho, a iniciativa ocorrerá entre os dias 27 de novembro e 11 de dezembro.

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito