Matinal News

Porto Alegre tem menos chuva que o previsto

Change Size Text
Porto Alegre tem menos chuva que o previsto Sacos de areia improvisados pela prefeitura se desmancharam na esquina das avenidas Polônia e Voluntários da Pátria | Foto: Fernando Oliveira/ @fernao_berthold / Reprodução X

Porto Alegre teve menos chuva do que o esperado ao longo do fim de semana. No domingo, quando modelos meteorológicos indicavam a possibilidade de até 100mm de precipitação, o acumulado na estação Jardim Botânico do Inmet não chegou a 44mm. Assim, foi possível manter os serviços na cidade sem grandes contratempos. Os sacos de areia improvisados pela prefeitura sobre os bueiros no 4º Distrito sequer foram testados – se desmancharam mesmo sob a chuva fraca. Para os próximos dias, a sequência de precipitação e a chegada do vento sul podem elevar o nível do Guaíba até a cota de alerta, em 3,15m, conforme o Instituto de Pesquisas Hidráulicas da UFRGS.

RS registra microexplosão e inundações

O fim de semana, porém, não foi de calmaria no restante do estado. Na noite de sábado, um temporal classificado como microexplosão atingiu São Luiz Gonzaga, no noroeste do estado. O fenômeno, acompanhado de granizo e vento, afetou cerca de 15 mil pessoas na cidade, que ficou sem luz e água. Na noite de domingo, a situação era preocupante nos vales: Três Coroas e Igrejinha já registravam desalojados por conta da inundação do rio Paranhana; famílias também eram removidas em Lajeado com a subida do rio Taquari – situação semelhante em São Sebastião do Caí. Às 19h20, a Defesa Civil do estado emitiu alerta sobre riscos de inundação do rio dos Sinos a partir de Taquara.

Publicidade


Conselho de Reconstrução do Piratini dá mais espaço ao agronegócio do que ao meio ambiente

Empossado na última semana, o Conselho do Plano Rio Grande – Programa de Reconstrução, Adaptação e Resiliência Climática do Rio Grande do Sul não conta com nenhuma entidade ambientalista do estado, conforme mostra o Sul21. Dos 178 integrantes, apenas quatro têm relação direta com o meio ambiente: um representante do Conselho Estadual do Meio Ambiente; um membro do Conselho Estadual de Saneamento, um representante do Conselho Estadual de Recursos Hídricos; e um membro do Fórum Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas. O setor da construção civil também possui quatro, enquanto as áreas da logística e do agronegócio têm seis. O papel dos conselheiros será propor, avaliar e monitorar as problemáticas recebidas, além de participar das câmaras temáticas que serão criadas para análise e discussão dos assuntos indicados.

Clique para ler a íntegra da Matinal News desta segunda-feira, 17 de junho

RELACIONADAS

Esqueceu sua senha?

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.