Matinal News

Pressões podem fazer Piratini conceder flexibilizações e liberar aulas, apesar da pandemia em patamar alto

Change Size Text
Pressões podem fazer Piratini conceder flexibilizações e liberar aulas, apesar da pandemia em patamar alto

Após uma reunião de três horas do Gabinete de Crise do governo estadual, o RS poderá ter a volta da bandeira vermelha. A possibilidade tinha sido descartada antes, mas voltou à mesa de debates depois de pressões de entidades como Federasul e Fecomércio. Outra possibilidade é a continuidade da bandeira preta, pela nona semana consecutiva, mas com flexibilizações. Algumas delas já foram feitas, como o fim da restrição ao horário de jogos de futebol e a ampliação do expediente de parques e museus. O mapa da próxima semana será conhecido hoje à tarde. 

No entanto, além das flexibilizações, desta vez está em jogo o retorno das aulas presenciais – algo que o governo é favorável. Para isso, seria necessária a retirada de uma trava de salvaguarda do sistema de distanciamento controlado, acionada quando a relação entre leitos livres e ocupados por pacientes de Covid-19 baixa de 0,35. Ontem à noite, estava em 0,25, com 480 leitos livres e 1.894 ocupados por pacientes diagnosticados com coronavírus. Vale salientar que após o pico de março, números de internações e óbitos tiveram retração, só que ainda estão em patamares muito altos. 

O fim dessa trava também foi defendido por deputados estaduais que se reuniram com o chefe da Casa Civil, Artur Lemos. E, ontem à noite, conforme a colunista Rosane de Oliveira, a Procuradoria-Geral do Estado estudava a criação de um decreto de cogestão para a educação (🔒). A medida daria aos prefeitos a prerrogativa para decidir pela retomada das aulas, tal como no comércio, observados os limites impostos pela bandeira inferior à classificada. Dessa forma, mesmo com a bandeira preta, os municípios poderiam adotar critérios da vermelha.

Perfil reativo – O eventual recuo do governador Eduardo Leite (PSDB) nas medidas de restrição tem sido um padrão nacional, principalmente a partir da confirmação da segunda onda de Covid-19. Um estudo do Ipea mostra que as administrações estaduais, diante do aumento de casos e mortes, tomaram atitudes reativas ao cenários, e não preventivas quando da primeira onda. Na pesquisa, em que o Índice de Distanciamento Social é medido de zero a dez, sendo dez o mais restrito, a partir de janeiro, o RS ficou com cinco durante janeiro, aumentando para seis em abril. Março e abril foram os meses com mais mortes relacionadas ao coronavírus desde o início da pandemia.

O que mais você precisa saber

RS tem a primeira morte do Brasil por reinfecção do coronavírus com variantes – Um homem, morador de Campo Bom, foi a primeira morte confirmada no Brasil por reinfecção pelo coronavírus. O caso, que envolve um homem de 39 anos, também é inédito por tratar-se de infecção por variantes diferentes em duas ocasiões. Segundo o artigo científico produzido por pesquisadores brasileiros do Laboratório de Microbiologia Molecular da Universidade Feevale, as contaminações ocorreram em um intervalo de pouco mais de três meses. A primeira foi assintomática, mas a segunda provocou a fatalidade. A última infecção causou no paciente falta de ar, fadiga, dificuldade respiratória e saturação menor que 95%. O agravamento levou a vítima para UTI e depois, para a intubação.

Conselho da UFRGS define vestibular de 2021 – A realização do vestibular da UFRGS de 2021 deve ser definida pelo plenário do Conselho Universitário nesta sexta. A proposta que será analisada pelos 77 conselheiros é de uma divisão do processo seletivo em dois. Para o primeiro semestre de 2021, que se inicia em agosto, a universidade utilizaria notas dos últimos quatro vestibulares ou do Enem de cada estudante. Já para a entrada do segundo semestre do mesmo, marcado para o começo de 2022, a UFRGS poderá fazer um processo seletivo presencial, conforme o andamento da pandemia, ou usaria os critérios anteriores com o acréscimo das notas do Enem deste ano. A reunião será transmitida ao vivo a partir das 8h30 neste link

Alusão a supremacistas será investigada – A Polícia Civil e a Promotoria de Justiça Criminal irão apurar a conduta de um homem vestido com roupas semelhantes com as que eram usadas pela Ku Klux Klan, grupo de supremacistas brancos dos EUA, durante manifestação de apoio ao presidente Jair Bolsonaro, na quarta-feira, em Porto Alegre. Imagens mostram o homem discursando e defendendo “acabar com o comunismo”. Isso ao lado de um boneco que simulava uma pessoa enforcada. À RBS, a Brigada Militar relatou que os policiais que estavam no local não presenciaram este momento da manifestação.

Vacina, sim!

A semana termina com a abertura da imunização contra a Covid-19 ao público de 60 anos de idade, em Porto Alegre. As doses serão aplicadas em 30 unidades de saúde, além de três pontos de drive-thru. Esta é a última faixa etária antes do início da vacinação de pessoas com comorbidades. 

Outros links:

  • Estimando que o número de pessoas em atraso com a segunda dose da vacina contra a Covid-19 já esteja em mais de 20 mil, a Prefeitura de Porto Alegre organiza uma busca ativa a esse público, que irá começar semana que vem.
  • A partir de resolução do Conselho Estadual de Educação, alunos de cursos técnicos da área da saúde antecipam formatura para ajudar na pandemia no RS. A estimativa é de que até 2,6 mil possam ingressar no mercado.
  • O governo do RS decidiu adaptar os canais do Disque-denúncia para receber queixas de descumprimento de medidas sanitárias. As informações passarão por uma central de triagem, que podem ser encaminhadas para diversos órgãos de segurança e prefeituras.
  • A Escola Emílio Meyer irá testar câmeras de monitoramento com reconhecimento facial. Três equipamentos serão programados para identificar e alertar sobre pessoas que circulam no local sem máscara.
  • As diretorias de Inter e Grêmio aguardam posição de autoridades para decidir se seus jogadores tomarão ou não as vacinas doadas pela Conmebol. A GZH, os clubes não confirmam nem descartam o imunizante.
  • Apesar de dizer que prefere a aposentadoria quando seu mandato terminar, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB) admitiu uma possível candidatura ao Senado no ano que vem.
  • Eletricitários da CEEE estão mantendo os serviços essenciais apesar da greve da categoria, que já dura nove dias. A paralisação foi deflagrada a partir das perdas de direitos e de benefícios como bônus alimentação e refeição.

Cultura

As nuvens de escuta do FestFoto POA 2021

“3 x 4”. Foto: Madame Pagu

Online e gratuito, o Festival Internacional de Fotografia de Porto Alegre – FestFoto POA começa hoje, às 18h30. Logo após a apresentação de abertura, o evento debate a fotografia modernista brasileira no primeiro de uma série de painéis que serão realizados até 29 de abril. Na News do Roger #161, o repórter Ricardo Romanoff trouxe mais detalhes sobre a 14ª edição do evento, idealizado pelos fotógrafos Carlos Carvalho e Sinara Sandri, e resgatou um pouco de sua história. Leia a matéria e acompanhe a programação diária aqui na Matinal News.

Agenda do FestFoto POA 2021

Hoje 
Às 18h30, o FestFoto POA dá início às suas atividades com uma apresentação das videoexposições Fotograma Livre 2021. Às 19h, a curadora Sarah Meister, do Departamento de Fotografia do Museu de Arte Moderna de Nova York, conversa com Sergio Burgi, coordenador de Fotografia do Instituto Moreira Sales, sobre a fotografia modernista brasileira.

Sábado (24/4)
Às 16h, o painel A Pandemia na América Latina reúne integrantes do coletivo de fotojornalismo CovidLatam. Às 17h30, o festival apresenta trabalhos selecionados na convocatória Fotograma Livre 2021 em torno dos temas pandemia, confinamento e violência.

Domingo (25/4)
Às 16h, nova rodada do Fotograma Livre, dessa vez, apresentando produções fotográficas que abordam a questão da memória. Às 17h30, o painel Festival Imaginária e o Fotolivro no Brasil reúne José Fujocka e Luciana Molisani, da editora paulista Lovely House, e fotógrafos premiados pelo Imaginária.

Agenda (🔒)

Para receber todas as dicas culturais do Roger Lerina enviadas aos assinantes premium do Matinal, assine aqui.

Hoje
No Dia Mundial do Livro, o Viradão da Leitura propõe uma mobilização nacional de 24 horas contra a taxação de livros.

Às 19h, começa a 9ª Semana da Dança de Canoasprojeto do Sesc que segue até 29 de abril.

Também às 19h, o médico Fernando Lucchese e a jornalista Tânia Carvalho conversam sobre inclusão com a jornalista e escritora Lelei Teixeira, em bate-papo virtual do CHC Santa Casa.
E mais.

Receba a agenda completa

Você viu?

O projeto Livro na Lomba chega a sua oitava edição e nesta sexta distribui mais de mil livros de literatura entre as paradas de ônibus de 2 e 21 do bairro Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre. A iniciativa faz parte das celebrações pelo Dia Internacional do Livro, iniciado na região da Catalunha, em 1995. O evento na Capital é realizado pela Biblioteca Leverdógil de Freitas, do Instituto Porto-Alegrense de Arte-Educação (Ipdae), e tem o suporte da Secretaria Municipal da Cultura. A distribuição de obras começa cedinho, às 6h e vai até as 8h30min.

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.