Matinal News

RS perde mais de 10 mil vidas para a Covid-19

Change Size Text
RS perde mais de 10 mil vidas para a Covid-19

O que você precisa saber hoje 

RS passa a marca de 10 mil vítimas da Covid-19 – No mesmo dia em que as doses da CoronaVac começaram a chegar a todos os cantos do Estado, o Rio Grande do Sul alcançou mais uma marca triste na pandemia: passaram de 10 mil o número de vidas perdidas para o coronavírus. Mais precisamente 10.051 histórias encerradas pela Covid-19. Eram, em sua maioria, homens brancos com mais de 80 anos e portadores de alguma comorbidade – o que não significa que não tenham havido mortes em outras faixas etárias e também de pessoas até então consideradas saudáveis. Essa contagem trágica teve início ainda em março do ano passado. A marca de 10 mil vítimas foi ultrapassada uma semana antes do que projetaram especialistas. E mesmo com a vacinação já iniciando aos poucos, ainda será preciso manter os cuidados: “Nesse momento de crise, o que precisamos é proteger as pessoas. A vacina contra covid não terá o efeito esperado se não mantivermos cuidados como distanciamento, uso de máscaras e lavagem das mãos”, afirma a imunologista Cristina Bonorino, professora da UFCSPA e membro do comitê científico da Sociedade Brasileira de Imunologia.

“Kit Covid” de prefeituras será auditado pelo TCE – A falta de eficácia de medicamentos que compõem o “kit Covid” embasou pedido do Ministério Público de Contas para que o Tribunal de Contas do Estado faça uma auditoria na compra dos medicamentos por prefeituras gaúchas. A representação, assinada pelo procurador-geral Geraldo da Camino, foi acolhida pelo conselheiro e presidente da corte, Estilac Xavier. Camino – que lembrou que a Anvisa reconheceu a inexistência de comprovação científica do suposto “tratamento precoce” – recomenda que a auditoria leve em conta três pontos: respaldo técnico, regularidade dos procedimentos licitatórios, com ênfase na adequação aos preços de mercado, e eventual responsabilidade do erário por danos resultantes da adoção de tratamentos cuja eficácia não tenha sido demonstrada. “No levantamento efetuado, não foi possível identificar estudos que comprovassem a redução da mortalidade ou hospitalização em pacientes por Covid-19 com a utilização dos fármacos”, escreveu Camino, que cita 27 municípios da região de Bento Gonçalves no documento, além de Porto Alegre. A auditoria poderá gerar uma medida cautelar contra os gestores municipais. 

Após 11 anos, sargento da BM é preso pela morte de trabalhador rural – Quatro meses após a sentença ter transitado em julgado, o sargento da Brigada Militar Alexandre Curto foi preso em Pelotas. Ele foi condenado em todas as instâncias pela morte do trabalhador rural Elton Brum, do MST, durante uma ação de reintegração de posse em uma fazenda de São Gabriel. O caso ocorreu em 2009. Nesses 11 anos, o policial seguiu recebendo salário, enquanto a família da vítima ainda aguarda pela indenização. Reportagem publicada no Matinal relata essa história.

Passagem de ônibus em Porto Alegre pode ir a 6 reais, segundo ATP –  Porto Alegre já discute o novo preço da passagem de ônibus. A definição quanto ao novo preço, que pode chegar a 6 reais (🔒), segundo cálculos da Associação dos Transportadores de Passageiro (ATP), é esperada para no máximo 1º de fevereiro. A data já havia sido determinada em contrato e em um acordo firmado ainda em setembro de 2020. Na oportunidade, a prefeitura assumiu o compromisso de pagar 39,3 milhões de reais a quatro consórcios para diminuir os prejuízos ocasionados pela pandemia. Conforme a ATP, sempre que a tarifa não é reajustada nos primeiros dias de fevereiro, as companhias arcam com um prejuízo de até 7 milhões de reais. A entidade considera que a revisão tarifária é, além de obrigatória, urgente. O número de passageiros caiu mais de 50% em 2020 e outra preocupação que ainda não foi resolvida é o reajuste dos rodoviários. A primeira proposta foi negada pela categoria, cujo pedido é de aumento de 5,45% referente ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor. A situação foi pauta na Prefeitura ontem, que estuda reenviar o projeto de taxação de aplicativos (🔒) para subsidiar as passagens. Horas depois, os rodoviários realizaram assembleia e reivindicaram aumento salarial.

Estudo avaliará viabilidade de transporte de alta velocidade no RS –  Para muitos moradores de Porto Alegre uma das opções para fugir da rotina no final de semana é a Serra gaúcha. E que tal se esta viagem tivesse duração de apenas 15 minutos? (🔒) Pois esta é a proposta do transporte de altíssima velocidade. Ontem, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), assinou um acordo para estudar a viabilidade do Hyperloop no Estado. A iniciativa, elaborada pelo programa Techfuturo, é uma parceria com a empresa de transportes HyperloopTT, com o apoio da Ufrgs. A ideia consiste na criação de uma cápsula que possa percorrer o trajeto entre as duas regiões a uma velocidade de até 1,2 mil km/h. O sistema, totalmente ecológico, funciona com o auxílio da energia solar. Além disso, como não há resistência do ar, a composição passaria a sensação de que os passageiros estão em uma aeronave. A propulsão eletromagnética faz a composição levitar e se movimentar em alta velocidade. O estudo será o primeiro para um sistema hyperloop na América Latina e terá a coordenação de pesquisadores da Ufrgs.

Outros links:

  • O governo do Rio Grande do Sul lançou ontem o TeVacinaRS, um site com informações oficiais sobre a campanha de vacinação contra o coronavírus, como atualizações da imunização e a ordem dos grupos prioritários.
  • Gradativamente, a partir de hoje a Casa de Cultura Mario Quintana reabre suas portas. O espaço estava fechado desde março do ano passado, em razão da pandemia. 
  • Por outro lado, a Cotrijal não irá realizar a Expodireto neste ano, em Não-Me-Toque. O comunicado veio uma semana após o presidente Jair Bolsonaro ter confirmado participação no evento que ocorreria em março.
  • Após a reforma administrativa em Porto Alegre, a Equipe de Patrimônio Histórico e Cultura deve ser integrada à Secretaria de Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade.
  • A Fepam determinou a redução de 30% no lançamento industrial de líquidos nos rios do Sinos e Gravataí. Segundo o órgão, isso deve ocorrer sempre que os rios estiverem abaixo de sua condição de vazão de referência.
  • Quatro cidades gaúchas tiveram reconhecida a situação de emergência por conta da estiagem. Novo Xingu, Sete de Setembro, Senador Salgado Filho e Vicente Dutra poderão acessar recursos federais para ações de socorro e assistência.
  • O setor calçadista do RS acredita que a produção deve recuperar em 2021 parte do prejuízo registrado no ano passado. A área estimou uma queda de 22% na produção de 2020.
  • Os aluguéis de imóveis residenciais em Porto Alegre subiram menos que a inflação em 2020. A pesquisa FipeZap apontou que a elevação ficou em 1,27%.
  • Dois projetos gaúchos foram selecionados para a chamada IoT – Eficiência Industrial. A ideia da iniciativa é estimular a eficiência e competitividade da indústria nacional.

Teste rápido
por Nathallia Protazio

Dizem que quem impõe o ritmo do jogo nos primeiros minutos tem mais chance de ganhar, independente se em casa ou no estádio do adversário. Quer dizer, o jogo da moda este fim de ano foi outro. Dizem que quem começa com as peças brancas já praticamente ganhou o jogo. Não sei. Espero que estes primeiros cinco minutos do ano não o definam.

[Continua]

Ler o texto completo na Parêntese


ANÚNCIO:

Tem interesse nos espaços de mídia do Matinal? Escreva para [email protected].


Cultura

Agenda (🔒)

Para receber todas as dicas culturais do Roger Lerina enviadas aos assinantes premium do Matinal, assine aqui.

Receba a agenda completa


Você viu?

A hora da vacinação chegou, mas ainda há quem tenha dúvida sobre o seu lugar na fila da imunização. Um especial, elaborado por GZH, permite que o leitor calcule em que momento será vacinado. O questionário faz algumas perguntas baseadas no Plano Nacional de Imunização, que já estabeleceu quem são as primeiras pessoas que devem receber a vacina contra a Covid-19. A fila da vacinação começa com os profissionais da saúde, essenciais no atendimento de pacientes que estão com o coronavírus. Depois deles, os idosos que vivem em lares de longa permanência ou os chamados “superidosos”, que estão acima dos 75 anos. As comunidades indígena, quilombola e ribeirinhas também fazem parte do grupo prioritário e por isso ganharão as primeiras doses da CoronaVac, até aqui a única à disposição para aplicação.

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.