Matinal News

Sem acordo, Cozinha Solidária do MTST em Porto Alegre deve receber ordem de despejo

Change Size Text
Sem acordo, Cozinha Solidária do MTST em Porto Alegre deve receber ordem de despejo

Em reunião com representantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) nesta terça, a juíza federal Ana Maria Wickert Theisen indicou que deve efetivar em breve a decisão da reintegração de posse do imóvel em que foi instalada a Cozinha Solidária da Azenha. Inaugurada pelo MTST em 26 de setembro em um terreno abandonado pertencente à União, a ocupação vem servindo refeições para trabalhadores, moradores e pessoas em situação de rua do bairro. “Aqui ficou muito claro que a fome não tem cara”, chegou a comentar um dos membros da coordenação do movimento, Eduardo Osório, em entrevista ao Sul21. Uma liminar favorável ao pedido de reintegração de posse já havia sido obtida pela União no dia 27, sem prazo para efetivação. Segundo o despacho publicado após a reunião desta terça, o encontro discutiu apenas o prazo para desocupação do imóvel. A União pediu a desocupação em 24 horas, o que foi negado pela juíza. Já o MTST não propôs prazo. Sem consenso, a juíza deverá definir uma data.

Mapa sobre o congelamento do IPTU mostra benefício às regiões mais ricas de Porto Alegre – Proposta e defendida pela gestão Sebastião Melo (MDB), a suspensão do reajuste do IPTU teve como justificativa a retomada econômica da Capital em meio à pandemia. No entanto, a medida beneficiou residentes e proprietários de imóveis comerciais que tinham a maior defasagem entre a quantia verdadeira do local e o que era projetado pela administração. A maioria dos terrenos beneficiados estão justamente nas áreas mais ricas da cidade, segundo um mapa elaborado pelo ObservaPoa, a pedido do Sul21. Menino Deus, Independência, Moinhos de Vento, Rio Branco e Três Figueiras são alguns exemplos dos locais em que o preço do IPTU não condiz com a valorização do imóvel. No final de agosto, o Matinal abordou em reportagem as consequências do congelamento do imposto, que já suscitava dúvidas quanto a uma possível manutenção de injustiças na cobrança do tributo. 

Startup cria estudo que sugere alternativas para o Esqueletão – Desocupado desde 26 de setembro, quando os últimos moradores deixaram o local, o Esqueletão terá o seu futuro definido a partir de um laudo que será elaborado pelo Laboratório de Ensaios e Modelos Estruturais (Leme), da UFRGS. O trabalho terá supervisão da Secretaria de Planejamento e Assuntos Estratégicos de Porto Alegre e só deverá ser concluído no final deste ano. No entanto, a startup Space Hunters, do RS, fez uma análise sobre as alternativas para o prédio, possibilidades que não se resumem à demolição da edificação, como o prefeito Sebastião Melo quer. Segundo o estudo, a estrutura poderia abrigar empreendimentos relacionados à educação, mas também atividades comerciais, como café, mercado e até petshop. A avaliação considera o entorno do prédio e o potencial econômico, baseado na quantidade de pessoas que vivem nas proximidades, que seriam cerca de 34 mil pessoas e que teriam potencial econômico superior a 104 milhões de reais. “Há um grande potencial para novos negócios, que também podem ajudar a revitalizar toda a região”, enfatizou o diretor da Space Hunters, Francisco Zancan a GZH.

Outros links:


Com força de trabalho reduzida, plataforma de cursos da UFRGS corre risco de ser encerrada 

Uma plataforma que disponibiliza cursos da UFRGS sem custos pode ter suas operações interrompidas nos próximos dias em razão de problemas burocráticos. Trata-se da Lúmina, que, dentro da universidade, é de responsabilidade da Secretaria de Educação à Distância (SEAD), que vê seu quadro de estagiários diminuir cada vez mais.

O problema teve início em julho, quando os estagiários ligados à SEAD foram informados de que teriam suas atividades paralisadas por 30 dias, sem maiores explicações, “por ordem da Reitoria”. O trabalho voltou em seguida, mas entre setembro e outubro, estagiários passaram a ser desligados, afetando as atividades da secretaria – que também atende outros setores da universidade, como a Gráfica da UFRGS e a UFRGS TV.

Ao Matinal, a UFRGS descartou que trata-se de reestruturação, sendo a situação mais uma “questão relacionada com ajustes necessários nos fluxos e contratos”. A situação, no entanto, gerou de manifestação do DCE a protestos de professores. Isso em um momento de tensionamento entre a comunidade acadêmica e a reitoria – em agosto, o Conselho da UFRGS aprovou pedido de impeachment do reitor Carlos Bulhões, justo por conta de uma reforma administrativa na universidade.

Mais de 300 mil atendimentos – Ativo desde 2016, a Lúmina possui conteúdos multimídia sobre temas ligados a ciências exatas, humanas, tecnologia, saúde e letras, entre outros, e já recebeu mais de 300 mil cadastros. Não é necessário ser ligado à universidade para se inscrever, e os cursos garantem certificado da UFRGS ao currículo do aluno.

Leia a reportagem completa


Vacina, sim!

A aplicação das vacinas contra a Covid-19 hoje em Porto Alegre ocorre em mais de 40 pontos. A imunização é liberada para todos acima de 12 anos. Idosos com mais de 60 e que tenham tomado a segunda dose até 5 de abril e imunossuprimidos com esquema vacinal completo até 8 de setembro podem tomar a dose de reforço. E atenção: por falta de imunizantes, está suspensa a aplicação de vacinas da AstraZeneca.  


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO
Livraria Bamboletras

Porto Alegre na Palma da Mão, de Ana Paula Alcantara, com ilustrações de Bia Dorfman
(Ed. da autora, 102 páginas, 79 reais)

Porto Alegre na palma da mão mostra a evolução urbana da cidade. Trata-se de um livro infantil que pretende ajudar as crianças a conhecer a história da cidade e assim despertar o amor e o interesse pela cidade. Inspirado pela infinita curiosidade de um guri e pelos inúmeros passeios feitos com seu cão pelo centro histórico, o livro conta como nasceu e cresceu a cidade. Lindamente ilustrado, será um livro inesquecível para seu filho(a). 

Quero ler PORTO ALEGRE NA PALMA DA MÃO

O conteúdo desta seção é de responsabilidade do anunciante


Cultura

“A Chorona” vinga o genocídio indígena

Foto: Elite Filmes

Indicado ao Globo de Ouro de Melhor Filme em Língua Estrangeira em 2021 e ganhador de 22 prêmios internacionais – além de ter sido o representante da Guatemala na corrida ao Oscar deste ano –, A Chorona (2019) mescla terror e drama político. A produção dirigida por Jayro Bustamante reúne fatos históricos e a lenda latino-americana da mulher que afogou os filhos em um ato desesperado e, arrependida, passou a chorar insistentemente todas as noites. Leia o comentário de Roger Lerina.

Agenda

Às 12h30, o Musical Évoraapresenta a violoncelista Milene Aliverti em recital na Sala da Música do Multipalco Eva Sopher, com entrada franca. 

Secretaria de Estado da Cultura promove o seminário internacional “Anita e a Pluralidade do Feminino”, de hoje a sexta-feira, das 18h às 19h30, em formato online.

O ciclo “O que é o cinema gaúcho?” exibe, às 19h, na Sala Eduardo Hirtz (Casa de Cultura Mario Quintana), o documentário Trinta Povos, seguido de conversa do diretor Zeca Brito com o pesquisador Glênio Póvoas.

Para receber todas as dicas culturais do Roger Lerina enviadas aos assinantes premium do Matinal, assine aqui.

Receba a agenda completa


Agenda do Unimúsica 2021

Às 20h, o Unimúsica reúne a compositora argentina Carmen Baliero, a pianista Catarina Domenici e a compositora Ana Fridman na conversa “Da música ao silêncio em artes vivas: a criação sem fronteiras”.

Uni 40: Música da Presença realiza atividades gratuitas transmitidas pelo canal do Departamento de Difusão Cultural da UFRGS no YouTube. Confira a programação completa aqui.


Você viu?

Aos 23 anos, no ano de 2011, Flávia Maoli foi diagnosticada com um Linfoma de Hodgkin e precisou passar por um transplante de medula. Na época ela sentiu que poderia ajudar outras pessoas compartilhando sua vivência e criou o blog Além do Cabelo. Foi o princípio do Projeto Camaleão, uma instituição porto-alegrense que hoje presta acolhimento e assistência a pessoas com câncer. Conforme conta a reportagem do Jornal do Comércio, dez anos depois, a ONG tem cinco funcionários, cerca de 50 voluntários e ampara mais de 250 pessoas por mês.

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.