Matinal News

Sem leitos e sem vacinas, RS vislumbra o colapso

Change Size Text
Sem leitos e sem vacinas, RS vislumbra o colapso Crédito: Maria Ana Krack / PMPA
Sem leitos e vacinas, RS vislumbra o colapso O que era muito ruim, piorou. Prestes a completar um ano, a pandemia de Covid-19 está em vias de levar o sistema de saúde do Rio Grande do Sul ao colapso, em um momento em que não há vacinas disponíveis para imunizar nem todos os idosos, grupo prioritário. Além disso, mesmo com novas restrições impostas pela bandeira preta, aglomerações seguem sendo registradas. Conforme os dados da Secretaria Municipal da Saúde da Capital de ontem à noite, seis de 17 hospitais de Porto Alegre tinham ocupação máxima em leitos de UTI ontem à noite. À exceção de outros quatro, os demais operavam com mais de 90% de sua capacidade. Pouco mais da metade do total de pacientes tinha sido diagnosticado com Covid-19, doença que já tirou a vida de 11.771 pessoas no Estado. A situação é periclitante, porque, além de leitos, especialistas advertem sobre o cansaço e a falta de profissionais de saúde, potencializando a crise sanitária. Nesse cenário, além de classificar 11 das 21 regiões em bandeira preta no distanciamento controlado (risco altíssimo de contaminação), o Governo do Estado vetou a volta às aulas nessas regiões e proibiu atividades não essenciais entre 22h e 5h desde sábado até, pelo menos, 1º de março em todo o Estado. Mas na primeira noite dessas proibições, autoridades reportaram 110 aglomerações e encerraram 30 festas clandestinas – até mesmo uma rave chegou a começar. A torcida do Inter lotou as imediações do aeroporto em um alentaço antes da partida contra o Flamengo, no Rio de Janeiro. Vacinação no RS – Sem coordenação nacional efetiva, a vacinação segue em marcha lenta, com várias cidades já tendo interrompido a campanha no RS. Nesta segunda, Porto Alegre volta a vacinar idosos a partir de 83 anos, público que deve ser ampliado com a chegada de um novo lote, previsto para esta semana. Em 33 dias, menos de 100 mil pessoas da Capital iniciaram o seu processo de imunização. No sábado, reunião da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa garantiu no Colégio de Líderes o acordo para incluir na pauta da próxima sessão, na terça-feira, o projeto de lei que autoriza o Governo do Estado a adquirir doses da vacina contra a Covid-19. No mês passado, o governador Eduardo Leite (PSDB) reuniu-se com representantes da União Química, que produz no Brasil a vacina Sputnik V. O que mais você precisa saber Disputa política sobre restrições – O agravamento da pandemia no RS levou o governador Eduardo Leite a suspender o retorno às aulas presenciais, que ocorreria a partir de hoje em diversos municípios. A suspensão vale apenas para regiões que hoje estão em bandeira preta. Ainda hoje, Leite se reúne com a Famurs e outras entidades para definir a suspensão da cogestão do plano, mecanismo que permite às prefeituras adotarem critérios mais brandos com relação à bandeira definida pelo Estado. As medidas de restrição foram referendadas por oito hospitais de Porto Alegre, que, em nota, alertaram: “Os doentes, de todas as idades, chegam em condições cada vez mais críticas, inclusive aqueles que internam em enfermarias”. Há, no entanto, resistência por parte de alguns […]

Quer ter acesso a conteúdo exclusivo?


Assine o Premium
ou faça login

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

RELACIONADAS

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.