Reportagem

Ao governo federal, Fraport diz que pretende manter concessão do Salgado Filho, que segue sem data para reabrir

Change Size Text
Ao governo federal, Fraport diz que pretende manter concessão do Salgado Filho, que segue sem data para reabrir Foto: Mauricio Tonetto / Secom

Durou pouco mais de uma hora a reunião entre a Fraport e o governo federal, sobre as possibilidades de reabertura do Aeroporto Internacional Salgado Filho, fechado desde o dia 3 de maio, quando foi atingido pela enchente. Em Brasília, a concessionária reafirmou nesta terça sua intenção de manter a concessão do aeródromo, e disse precisar de mais quatro semanas para finalizar uma série de estudos sobre as condições do solo e do asfalto da pista – a partir daí, somente, poderia ser estimado o custo de reconstrução. 

O encontro desta terça ocorreu entre ministros do governo – a Casa Civil da Presidência da República, o Ministério de Portos e Aeroportos, e o Ministério de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul – e a direção global da concessionária, representada pelo CEO da Frankfurt Airport Services Worldwide, Stefan Schulte, e mais quatro dirigentes da empresa.

Publicidade

À imprensa, o ministro da Reconstrução, Paulo Pimenta, reiterou que acredita na possibilidade de uma retomada parcial das operações do Salgado Filho, assim que houver condições de segurança para tal – ele havia mencionado essa possibilidade na segunda-feira, em uma audiência promovida pela seção gaúcha Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), na qual disse também que prognósticos mais definitivos só poderiam ocorrer quando concluído o estudo sobre a situação da pista. O ministro afirmou, depois da reunião com a concessionária, estar “otimista” sobre o restabelecimento do aeródromo. 

“No dia 18 de julho, após a conclusão do diagnóstico de segurança, o CEO global da Fraport retorna ao Brasil para, junto ao governo federal, anunciarmos o cronograma definitivo de reabertura do aeroporto. Até lá, as equipes técnicas continuam trabalhando e tomando decisões em conjunto”, disse o ministro Pimenta, em sua conta na rede social X (antigo Twitter).

O modo com a qual o governo pode auxiliar financeiramente a Fraport, entretanto, segue em aberto – se haveria uma ampliação do prazo da gestão do aeroporto – que atualmente vai até 2042 – ou se haverá concessão de crédito subsidiado à empresa, que se diz em situação adversa por ter se encarregado da ampliação da pista ao assumir o Salgado Filho em 2018, pouco antes da pandemia. Uma definição sobre essas responsabilidades viria somente depois de calculado o prejuízo com a pista do aeroporto. 

Outras coberturas podem ser adicionadas à indenização do seguro. Foto: Wagner Lopes/Casa Civil

Planalto conta com seguro e estima que recuperação do Salgado Filho não chegue a R$ 1 bilhão

Na apólice de seguro do Aeroporto Salgado Filho contratada pela Fraport com a seguradora Chubb Brasil, o limite indenizável para alagamentos está em uma cláusula específica para esse tipo de evento. Pelo contrato, é de R$ 133,3 milhões, mas a cifra é capaz de crescer: é possível ainda somar coberturas especiais contratadas pela concessionária – por exemplo, a descontaminação e a perda de lucro bruto, pelo tempo fechado, têm potencial de aumentar a extensão da cobertura.

Segundo uma fonte do primeiro escalão do governo à qual o Valor teve acesso, essa indenização do seguro poderia chegar a quase R$ 300 milhões, e o Planalto interpreta que esse montante, acrescido de um crédito de R$ 200 milhões pré-aprovado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), deve ser capaz de cobrir a maior parte dos gastos com o restabelecimento do aeroporto. De acordo com essa mesma fonte, o valor da reconstrução não deve chegar à cifra de R$ 1 bilhão, mesma cifra estimada pela CEO da Fraport Brasil, Andreea Pal, na semana retrasada. 

De acordo com o advogado Jefferson Alves, consultado pela Matinal para avaliação da apólice de seguro, outras coberturas poderiam ser adicionadas à indenização, a depender de discussão jurídica entre a Fraport e a seguradora, sobre a viabilidade e interpretação das cláusulas.


Fale com o repórter: [email protected]

Gostou desta reportagem? Garanta que outros assuntos importantes para o interesse público da nossa cidade sejam abordados: apoie-nos financeiramente!

O que nos permite produzir reportagens investigativas e de denúncia, cumprindo nosso papel de fiscalizar o poder, é a nossa independência editorial.

Essa independência só existe porque somos financiados majoritariamente por leitoras e leitores que nos apoiam financeiramente.

Quem nos apoia também recebe todo o nosso conteúdo exclusivo: a versão completa da Matinal News, de segunda a sexta, e as newsletters do Juremir Machado, às terças, do Roger Lerina, às quintas, e da revista Parêntese, aos sábados.

Apoie-nos! O investimento equivale ao valor de dois cafés por mês.
Se você já nos apoia, agradecemos por fazer parte da rede Matinal! e tenha acesso a todo o nosso conteúdo.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Se você já nos apoia, agradecemos por fazer parte da rede Matinal! e tenha acesso a todo o nosso conteúdo.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

Gostou desta reportagem? Ela é possível graças a sua assinatura.

O dinheiro investido por nossos assinantes premium é o que garante que possamos fazer um jornalismo independente de qualidade e relevância para a sociedade e para a democracia. Você pode contribuir ainda mais com um apoio extra ou compartilhando este conteúdo nas suas redes sociais.
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

Se você já é assinante, obrigada por estar conosco no Grupo Matinal Jornalismo! Faça login e tenha acesso a todos os nossos conteúdos.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
RELACIONADAS
;

Esqueceu sua senha?

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.