Reportagem

Serviços de saúde deverão ser os primeiros a sentir benefícios do 5G em Porto Alegre, diz especialista

Change Size Text
Serviços de saúde deverão ser os primeiros a sentir benefícios do 5G em Porto Alegre, diz especialista Desde o último dia 29, Capital conta com a tecnologia 5G (Foto: Alex Rocha/PMPA)

Impactos do 5G na cidade dependerão de esforços conjuntos de entes públicos e privados

O 5G chegou a Porto Alegre. Mas por enquanto sua presença está restrita a poucos bairros e algumas dezenas de modelos de aparelhos compatíveis. Ainda levará algum tempo, questão de meses, para que a nova tecnologia esteja incorporada de fato ao cotidiano da cidade, a partir do avanço da instalação de antenas, além da massificação dos aparelhos receptores.

A novidade abre um potencial de novos serviços e usos do espaço público, visando a sustentabilidade. O 5G avança em três características principais: maior velocidade no tráfego de dados, maior largura de banda e baixa latência. Esses pontos, aliás, são imprescindíveis para a aplicação e funcionamento da internet das coisas, algo que estará presente nas chamadas “cidades inteligentes”. Para isso, contudo, será necessária uma parceria estruturada entre poder público e empresas privadas.

Para o professor do Instituto de Informática da UFRGS e membro do Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos (IEEE) Jefferson Nobre, a presença do 5G em Porto Alegre deverá ser notada inicialmente na área da saúde. “Será possível melhorar a experiência de usuários dos sistemas de saúde, com um impacto rápido e que não demanda grandes revoluções”, projetou, citando a possibilidade de dados de exames, mesmo que sejam pesados, serem encaminhados a centros médicos – e mesmo aos próprios médicos – de maneira ágil e imediata.

Nobre citou exames cardiológicos que demandam coleta de dados periodicamente como exemplo. “Se no meio desse exame houver um risco iminente, tu poderá acionar o médico do indivíduo e entrar em contato”, especulou. “O médico poderá interagir com imagens em alta resolução.” Há também a possibilidade de cirurgias remotas, mas isso, explicou o professor, não necessariamente está relacionado ao 5G, pois ambientes hospitalares normalmente contam com boa conexão. “No 5G, tem novas aplicações. Dá para fazer exames fora do ambiente hospitalar”, reforçou.

A liberação do sinal 5G foi só um primeiro passo. Todo o seu potencial será visto em momentos seguintes, a partir do reforço da infraestrutura – hoje Porto Alegre conta com apenas 291 antenas licenciadas. Para a exploração a pleno do 5G é necessário muito mais e, provavelmente, até mesmo em locais como paradas de ônibus. Nobre acredita que, em um período de pelo menos seis meses, a presença da tecnologia poderá ser mais percebida em Porto Alegre: “É um período de seis meses a um ano, para ter uma rede mais estabelecida. São procedimentos fáceis, mas são muitos”. A projeção é feita com base na implementação do 4G, na década passada.

O secretário de Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade de Porto Alegre, Germano Bremm, evita fazer previsões nesse sentido. “Naturalmente, é algo gradativo. Agora a gente está implantando a tecnologia em alguns pontos da cidade. Vamos precisar de muito mais antenas para ampliar este sinal”, afirmou.

Cooperação entre entidades públicas e privadas

A partir do momento em que esta implementação estiver mais consolidada, os saltos na vida das cidades serão possíveis. O 5G possibilita, por exemplo, uma geração de carros autônomos. Mas, claro, não se imagina esses veículos trafegando pela Avenida Ipiranga tão cedo. No entanto, será possível criar soluções para o trânsito tanto na Ipiranga quanto em outras vias da Capital a partir da análise de uma grande quantidade de dados provenientes de aparelhos como câmeras ou sensores, devidamente conectados. 

Entretanto, será necessário atentar a possíveis problemas relacionados à privacidade. “Mesmo tendo proteções como a Lei Geral de Proteção de Dados, os desafios de se conseguir coletar mais informações, numa velocidade maior, são bem evidentes especialmente”, ressalvou o professor da UFRGS.  

O secretário Bremm revelou que espera um ambiente de inovação para breve. “Assim como a gente teve grandes saltos com o 4G, com o desenvolvimento de aplicativos, como Uber iFood, tudo o que ficou disponível na palma da nossa mão, nesse mesmo sentido a gente espera, em grau mais elevado ainda, que o mercado e a iniciativa privada comecem a encontrar soluções, assim como o poder público, para melhorar a vida das pessoas com o 5G”, disse. 

A cooperação entre entidades públicas e privadas é apontada pelo professor Jeferson Nobre como um dos fatores determinantes para a boa aplicação do 5G. Para isso, a capital gaúcha deve beneficiar-se de um ambiente propício, segundo sua avaliação. “Porto Alegre tem vários vetores que, se forem operados e articulados, podem mudar a cidade. Há grandes universidades, incubadoras tecnológicas, um conjunto organizado de startups. Se agregar isso a uma infraestrutura de telecomunicação de qualidade, a gente pode pensar em várias aplicações que essas startups produzem para a cidade, em várias áreas”, analisou o especialista. “É muito mais uma questão de articular essas parcerias com empresas – que naturalmente têm interesses que precisam ser ponderados – do que investimentos.”

Gostou desta reportagem? Garanta que outros assuntos importantes para a sociedade gaúcha sejam abordados: seja nosso assinante.

Reportagens investigativas e de grande importância para a democracia como esta só são possíveis graças ao investimento dos nossos assinantes premium. Além disso, os nossos assinantes premium têm acesso a todo o conteúdo do Roger Lerina, à revista Parêntese, à versão completa da NewsMatinal, a descontos nos nossos cursos e a muito mais. Com o preço de dois cafezinhos por dia você tem mais informação, cultura e ainda ajuda o jornalismo local independente. Assine!
Se você já é assinante, obrigada por estar conosco no Grupo Matinal Jornalismo! Faça login e tenha acesso a todos os nossos conteúdos.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Se você já é assinante, obrigada por estar conosco no Grupo Matinal Jornalismo! e tenha acesso a todos os nossos conteúdos.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

Gostou desta reportagem? Ela é possível graças a sua assinatura.

O dinheiro investido por nossos assinantes premium é o que garante que possamos fazer um jornalismo independente de qualidade e relevância para a sociedade e para a democracia. Você pode contribuir ainda mais com um apoio extra ou compartilhando este conteúdo nas suas redes sociais.
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Se você já é assinante, obrigada por estar conosco no Grupo Matinal Jornalismo! e tenha acesso a todos os nossos conteúdos.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
RELACIONADAS
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.