Reportagem

Prefeitura anuncia projeto para fechar permanentemente oito comportas do sistema de proteção

Change Size Text
Prefeitura anuncia projeto para fechar permanentemente oito comportas do sistema de proteção Comporta 3, localizada na avenida Mauá esquina com a rua Padre Tomé, será uma das que devem ser fechadas permanentemente. Foto: Alex Rocha/PMPA

*Matéria atualizada às 21h37 de 01/07

O Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) anunciou nesta quarta-feira (19) o fechamento permanente de oito das 14 comportas que fazem parte do sistema de proteção contra cheias de Porto Alegre. As estruturas devem ser substituídas por muros de concreto, segundo o órgão. O projeto para a obra deve ser concluído dentro de 30 dias. 

Publicidade

Sobre a medida, o Instituto de Pesquisas Hidráulicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) pondera que o escoamento de água deve ser mais lento, com apenas seis pontos de vazão em caso de cheias. Para a Portos RS, o projeto do Dmae deve abranger portões que não são utilizados como acesso pelas embarcações. 

As comportas que devem ser fechadas são as de número 3, 5, 7, 8, 9, 10, 13 e 14 (como mostra o mapa abaixo). O portão 11 ficará parcialmente aberto, mantendo uma abertura de 4 metros de largura para acesso de veículos e pedestres ao cais. 

Localização das 14 comportas (em azul) e dos portões que devem ser fechados permanentemente (em preto)

Segundo o Dmae, o valor da obra deverá ser conhecido apenas quando o projeto for concluído. Posteriormente será contratada a execução da construção. O órgão estima que o fechamento completo deve ocorrer entre o segundo semestre de 2024 e a primeira metade de 2025.

O presidente da Portos RS Cristiano Klinger afirma que a empresa não utiliza muitas das comportas que estão abertas hoje e por isso o fechamento não afetaria o acesso ao porto. “Por nós não há problema algum em serem fechadas, desde que isso esteja dentro do projeto definitivo do Dmae. Tratam-se de comportas que não utilizamos hoje em dia e que ficam permanentemente fechadas.” 

Para prefeitura, Muro foi única estrutura que não falhou no sistema de proteção

No início da enchente, especialistas afirmaram à Matinal que a falta de manutenção no sistema de proteção contra as cheias fez com que ele falhasse, ocasionando a inundação de partes de Porto Alegre, ainda que o nível do Guaíba tivesse ficado abaixo do que a proteção garantiria. Nesta quarta, a prefeitura reconheceu que apenas o muro da Mauá não falhou durante a enchente. 

Sistemas de proteção contra cheias e soluções apresentadas no plano estratégico de reconstrução da prefeitura de Porto Alegre.

Quando a cidade ainda estava sob águas, o consultor Carlos Tucci recomendou que o sistema passasse por uma avaliação antes de alguma intervenção. “A primeira coisa que tem que fazer é um diagnóstico geral. Tem que fazer uma revisão geral. Precisa saber o que falhou, onde falhou e fazer os consertos”, disse ele à Matinal em maio. “Precisa ter um protocolo permanente de monitoramento e atualização de forma que isso não aconteça nesta magnitude que ocorreu. Essas são lições que vamos aprendendo.” Ainda no início da crise, o prefeito Sebastião Melo (MDB) já sugeria trocar as comportas por uma “nova tecnologia”

Menos trabalho de manutenção, mas lentidão para escoamento

A troca, contudo, irá gerar consequências. À Matinal, o professor Rodrigo Paiva, do Instituto de Pesquisas Hidráulicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), afirma que, para escoar novas inundações, outras comportas próximas às que serão fechadas são uma alternativa. “A consequência [do fechamento das oito comportas] seria um escoamento mais lento. Mas durante a cheia de 2024, possivelmente por questões práticas, não foram todas as comportas que foram abertas para escoar a água de inundação”, diz Paiva. 

Segundo o professor, com a colocação de muros no lugar das comportas a água deve escoar pelos portões que restaram. Uma avaliação precisa da medida, no entanto, exige análise de cada comporta. “A opção pelo fechamento definitivo diminui o trabalho de manutenção e insegurança por alguma falha no fechamento durante uma próxima cheia”, conclui. 

O diretor-geral Mauricio Loss disse à GZH que as comportas que serão substituídas por muros já estavam fechadas há muito tempo. Em nota da prefeitura, Loss afirmou que a medida deve otimizar ações do Dmae nos demais portões, quando houver necessidade.

Para ficar na mesma altura do atual nível de proteção, as futuras construções deverão ter três metros de altura. Vale lembrar, contudo, que o Muro da Mauá também possui três metros para baixo, sob o chão, de forma a ter melhor ancoragem e proteção. Questionado se essa nova construção terá os três metros inferiores, o Dmae evitou confirmar neste momento. A assessoria do departamento informou que o “projeto ainda está em desenvolvimento nos seus aspectos técnicos”.


Fale com a repórter: [email protected]

Gostou desta reportagem? Garanta que outros assuntos importantes para o interesse público da nossa cidade sejam abordados: apoie-nos financeiramente!

O que nos permite produzir reportagens investigativas e de denúncia, cumprindo nosso papel de fiscalizar o poder, é a nossa independência editorial.

Essa independência só existe porque somos financiados majoritariamente por leitoras e leitores que nos apoiam financeiramente.

Quem nos apoia também recebe todo o nosso conteúdo exclusivo: a versão completa da Matinal News, de segunda a sexta, e as newsletters do Juremir Machado, às terças, do Roger Lerina, às quintas, e da revista Parêntese, aos sábados.

Apoie-nos! O investimento equivale ao valor de dois cafés por mês.
Se você já nos apoia, agradecemos por fazer parte da rede Matinal! e tenha acesso a todo o nosso conteúdo.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Se você já nos apoia, agradecemos por fazer parte da rede Matinal! e tenha acesso a todo o nosso conteúdo.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

Gostou desta reportagem? Ela é possível graças a sua assinatura.

O dinheiro investido por nossos assinantes premium é o que garante que possamos fazer um jornalismo independente de qualidade e relevância para a sociedade e para a democracia. Você pode contribuir ainda mais com um apoio extra ou compartilhando este conteúdo nas suas redes sociais.
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

Se você já é assinante, obrigada por estar conosco no Grupo Matinal Jornalismo! Faça login e tenha acesso a todos os nossos conteúdos.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
RELACIONADAS
;

Esqueceu sua senha?

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.