Matinal, Parêntese, Prefeito da semana

Sucupira encerra os anos do PTB com crise

Change Size Text
Sucupira encerra os anos do PTB com crise Tristão Sucupira Vianna. Foto: Prati/Divulgação
27º PrefeitoNome: Tristão Sucupira ViannaPartido: Partido Trabalhista Brasileiro (PTB)Período que governou: 29/12/1958 a 01/01/1960 Por Maurício Brum A saída de Leonel Brizola da prefeitura, para se tornar governador do Estado, não reduz sua influência sobre o poder municipal. Tristão Sucupira Vianna, seu vice tornado mandatário, permanece um ano e três dias para concluir o período da chapa no poder, e as reuniões entre ambos serão constantes para acertar o poder. Mais tarde, Sucupira se tornará um desafeto de grande parte do PTB – e os primeiros sinais virão já nos dias finais de seu governo, com críticas virulentas a despedi-lo do cargo. Mas, no 1959 em que Porto Alegre esteve sob seu comando, a cidade viveu uma relação íntima entre o Paço e o Piratini. Tome-se, por exemplo, a entrega ao Estado de mais de uma centena de escolas populares construídas pelo município, para intensificar o projeto educacional que guiava Brizola, ou os pedidos de Sucupira para que o governador ajudasse a liberar verbas para trazer os trólebus à Capital – retidos no Rio de Janeiro (e sofrendo com as intempéries) desde a importação, os ônibus elétricos eram uma aposta para substituir os bondes, mas acabariam sendo um rotundo fracasso e aposentados em menos de uma década de uso. Também estavam os pedidos para que a população racionasse o uso de energia elétrica, em meio a uma crise que levaria Brizola a encampar a Companhia de Energia Elétrica, então propriedade da multinacional Bond & Share. Crises, aliás, seguiam sobrando. O ano de Sucupira no poder foi de trocas de acusações com o ex-prefeito Ildo Meneghetti (1948-51 e 1952-54), de cuja gestão, dizia, havia recebido uma série de funcionários “encostados” e sem função clara, que só aumentavam o peso da máquina pública. Algumas obras municipais precisaram ser interrompidas para reajustar o caixa. Na vida em geral, a inflação crescente vivida pelo país exigiu medidas enérgicas de tabelamento de preços: a certa altura, Porto Alegre gabou-se de ter o arroz mais barato do país, a 15 cruzeiros por quilo. Mas eram iniciativas desesperadas que não continham a carestia: três décadas antes dos “fiscais do Sarney”, Sucupira já convocava as “donas de casa” da Capital a atuarem como “fiscais” da cidade para garantir que as feiras-livres praticassem os preços controlados, muito abaixo do valor de mercado. Visitas ilustres e avanço sobre o Guaíba Com apenas um ano no cargo, Sucupira Vianna teve tempo de governar para ver a cidade espraiar-se, cada vez mais, sobre o Guaíba e em direção à zona sul. Foi em 1959 que o município começou, oficialmente, a urbanizar a região do Praia de Belas e passou a vender lotes ao redor da Avenida Beira-Rio, cujas obras tinham sido iniciadas no governo de Maneco Vargas (1955). A expansão de Porto Alegre sobre o lago, com o aterramento, era uma aposta antiga de vários prefeitos tanto para recuperar economicamente o município quanto para conter as cheias e evitar um trauma semelhante às enchentes de 1941. Mas boa parte do sucesso dessa […]

Quer ter acesso a conteúdo exclusivo?


Assine o Premium
ou faça login

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

RELACIONADAS

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.