Matinal, Parêntese, Prefeito da semana

Uma Porto Alegre mais verde

Change Size Text
Uma Porto Alegre mais verde Guilherme Socias Villela. Foto: Ana Maria Müler, Editorial J/Divulgação
34º PrefeitoNome: Guilherme Socias VillelaPartido: Aliança Renovadora Nacional (ARENA)Período que governou: 08/04/1975 a 08/04/1983 Por Maurício Brum Passados os anos da frenética transformação de Porto Alegre nas mãos de Telmo Thompson Flores, a ARENA seguiu no poder, agora com o economista Guilherme Socias Villela. Em 1975, ainda sem eleições diretas para o comando da Capital, teria início o terceiro mandato mais longo da história da cidade: depois dos mais de 27 anos de José Montaury (1897-1924) e de quase um decênio com Alberto Bins (1928-1937), os oito anos exatos de Villela foram o maior período contínuo de um mandatário – mesmo depois da redemocratização e com a possibilidade de reeleição, seria comum que os prefeitos deixassem o cargo no meio do caminho para tentar o Piratini. Guilherme Socias Villela, em 1975. Foto: Arquivo pessoal/Divulgação Se a época de Thompson Flores foi marcada pelos grandes viadutos que tentaram desafogar o trânsito de uma Porto Alegre que já tinha dez vezes mais automóveis do que seu planejamento rodoviário permitia, os anos de Villela tentariam estabelecer os mecanismos para que a cidade pudesse fazer uso da nova estrutura. Com os bondes tirados de cena e o transporte coletivo sobre as ruas cada vez mais fundamental, seria reimplementado, por exemplo, o serviço de lotações na cidade: a partir de 1977, começaram a circular as primeiras linhas, em kombis, posteriormente substituídas por micro-ônibus, um modelo que se mantém atualmente. Nos anos 50, já havia operado na Capital o chamado “táxi-lotação”, mas eram carros normais percorrendo linhas fixas, que recebiam passageiros até lotar os quatro assentos, uma prévia do modelo moderno. Também foram inaugurados corredores de transporte em avenidas como João Pessoa, Bento Gonçalves, Assis Brasil e Protásio Alves, entre outras, e criadas as famosas Linhas Transversais dos ônibus urbanos, com nomes que iam do T1 ao T4. A burocracia municipal passaria por uma revisão, com a criação de uma série de órgãos que ainda hoje permanecem em funcionamento, como o Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), a Companhia de Processamento de Dados do Município de Porto Alegre (PROCEMPA) ou a conversão da antiga Secretaria Municipal da Produção e do Abastecimento na atual Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio (SMIC). Árvores, patrimônio e cultura Um contraste em relação ao governo anterior, porém, ficou logo claro. Ainda que Guilherme Socias Villela também tenha voltado os olhos para o transporte em uma cidade que seguia crescendo rapidamente (mais de 15 mil casas, apartamentos e lotes urbanizados foram construídos em seu governo) e precisava de soluções para tantos carros, sua gestão já não atropelou tanto os patrimônios materiais e imateriais da cidade em nome de obras desenfreadas. Pelo contrário: foi sob Socias Villela que surgiu o Conselho Municipal do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural – uma inovação em uma cidade que vinha demolindo ou descaracterizando antigos marcos arquitetônicos em nome dos viadutos. Se com Thompson Flores o Mercado Público esteve muito próximo de ser demolido, por exemplo, exigindo grande mobilização popular por sua preservação, com Villela ele foi […]

Quer ter acesso a conteúdo exclusivo?


Assine o Premium
ou faça login

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

RELACIONADAS

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.