a palavra é | Parêntese

Cláudia Laitano: A gíria é BISCOITEIRO

Change Size Text
Cláudia Laitano: A gíria é BISCOITEIRO

“Biscoiteiro: Gíria LGBT+ utilizada para falar sobre pessoas que utilizam a internet e redes sociais só para chamar atenção para si próprias, se vangloriando muitas vezes de aspectos físicos, de forma in ou direta e chata (Como o magro q posta foto dizendo q ta gordo) Fonte: Eu” (@vctrprdo no Twitter) 

DEFINIÇÃO:

  • Pessoa que busca chamar a atenção fazendo ou dizendo coisas com o objetivo descarado de receber elogios ou curtidas em postagens nas redes sociais. “Está querendo biscoito” é o novo “está querendo confete”. 

 

ORIGEM: 

  • Usada inicialmente pela comunidade LGBT+ e popularizada nas redes sociais nos últimos anos, a gíria tem origem na técnica de treinamento de cachorros com reforço positivo (o biscoito, no caso). Quando o bichinho faz o que é esperado pelo treinador, diz-se que ele está “querendo biscoito”.   

 

QUEM USOU:

  • “Nas redes sociais, principalmente no Instagram, a quantidade de selfies postadas é mil vezes superior a qualquer outro tipo de publicação. O close, sabe como é, não tem limites. E com essa inundação de autorretratos, talvez você já tenha passado por alguns comentários como: ‘você é biscoiteiro, hein?’, ‘tá pedindo biscoito’, ‘você quer biscoito?’ – e todas as variações que essa frase possa ter, incluindo emojis de biscoito. Calma, ninguém está pedindo por comida. A gíria ‘biscoiteiro’ – um adjetivo nos tempos atuais – vem do verbo ‘biscoitar’. Um dicionário próprio dos millennials. O significado de ‘biscoitar’ é: chamar a atenção, fazer algo para ganhar elogios na internet. Tudo isso com o toque de brincadeira e deboche. Sabe quando você posta aquela foto e fica esperando pelos comentários te enaltecendo? Você está pedindo biscoito. Sabe quando você comenta em todas as fotos da sua amiga? Você está dando biscoito…” (Gustavo Frank no site Universa)

 

  • “O que quer um homem que posta uma foto só de cueca revelando o abdome trincado e legenda algo sobre a superação de uma cicatriz imperceptível? Talvez o mesmo que uma mulher que tenha o corpo torneado e publique uma foto de biquíni com o texto ‘ame-se como você é’. Biscoito? Empoderamento? Famosos ou anônimos, uns vão assumir que são puramente biscoiteiros. Outros, justificar a necessidade de atenção com um pretenso discurso em defesa de alguma causa. Uma pessoa biscoiteira pode, mesmo que essa não tenha sido sua intenção original, despertar o interesse de outra(s) para algum assunto importante. Um digital influencer, imbuído por um espírito naturalmente good vibes ou financeiramente bem remunerado para isso, pode exercer um papel positivo – ou negativo – na vida de um ou de milhões de seguidores. Esqueçamos as dicotomias. Entre o certo e o errado existem as nuances e, além delas, inúmeras possibilidades. Qual o crime em querer mostrar o corpo fazendo de conta que não quer? Por que condenar quem, para falar de alguma mudança no visual, escreve um texto com uma mensagem um pouco mais ‘profunda’ que o convencional? Em se tratando de redes sociais, ninguém é obrigado a seguir, curtir, concordar, muito menos reproduzir comportamentos alheios. Mas se quiser, pode. E c’est fini.” (Ana Angélica Martins no Blog da Morango) 

 

  • Faça o teste: quão “biscoiteiro” você é nas redes?

https://www.buzzfeed.com/br/victornascimento/biscoiteiro-redes-sociais-nudes-intagram


Cláudia Laitano é jornalista, com especialização em Economia da Cultura. É mestranda em Literatura pela UFRGS, com pesquisa sobre Carlos Reverbel. É autora de “Agora eu era” e “Meus livros, meus filmes e tudo o mais”, ambos pela L&PM.

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.