Ensaio

A morte e a morte de Fiódor Dostoiévski

Change Size Text
A morte e a morte de Fiódor Dostoiévski

Todos os aficionados por Dostoiévski, e somos muitos, conhecemos a história da sua execução de mentirinha. Implicado num círculo clandestino de intelectuais com ideias incômodas para o regime czarista, o jovem escritor foi aprisionado e mantido incomunicável por meses, assim como seus confrades, até as esferas superiores decidirem seus destinos. O czar Nicolau I, já resolvido a condená-los “só” a trabalhos forçados na Sibéria e à perda de direitos civis, resolveu antes pregar-lhes uma peça para fazer deles um exemplo: simulou uma execução por fuzilamento, revogada no último instante por um arauto que anunciaria a pena mais branda. Isso foi no início da carreira de Dostoiévski: ele recém tinha chegado à notoriedade com seu romance de estreia, Gente pobre. Essa, a sua primeira morte (1849), e a outra, a de verdade (em fevereiro de 1881, poucas semanas antes de o czar Alexandre II, filho daquele outro, ser liquidado por uma bomba lançada por terroristas de verdade, e não poetas e teóricos), enquadram como uma moldura tétrica as três décadas da sua obra. Nesses trinta e poucos anos, Dostoiévski teve uma vida das mais acidentadas, investigada nos cinco volumes da magistral biografia de Joseph Frank, livro incontornável para qualquer dostoievskiano doente.

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.

 

 
 
 

 

 

 

 
 
 

 

 
conteúdo exclusivo
Revista
Parêntese


A revista digital Parêntese, produzida pela equipe do Matinal e por colaboradores, traz jornalismo e boas histórias em formato de fotos, ensaios, crônicas, entrevistas.

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

RELACIONADAS
marca-parentese

Abra um parêntese no seu fim de semana com jornalismo e boas histórias. Deixe seu email e receba toda semana as newsletters da revista Parêntese.

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito