Ensaio

Mais África em nossas vidas

Change Size Text
Mais África em nossas vidas Por @Firkin

Para melhor entendimento deste texto, sugiro que o leitor procure na rede e vá ouvindo “Ladysmith Black Mambazo” como trilha sonora. A canção “Homeless” é uma boa pedida.

Há coisa de 600 anos, o pessoal que vivia no interiorzão da África começou a receber visitas de um povo extremamente selvagem e cruel, mestre nas artes de matar e capturar gente. Chegavam matando, prendendo e arrebentando e depois negociavam, sempre em posição de quem está com a faca, o queijo e o pescoço do outro na mão. Faziam acordo com uns pra melhor matar, prender e arrebentar os outros. 

Os africanos capturados eram levados pra longe, embarcados à força nos porões de navios, para serem vendidos como gado. Ao mesmo tempo e com a mesma violência, os selvagens europeus começaram a invasão de ainda outro continente, ao qual deram o nome de América. Com sua peculiar truculência, foram roubando as terras dos que lá viviam, a quem apelidaram de índios. E pra lá vendiam os africanos escravizados. 

Nas terras ocupadas, instalaram grandes plantações de açúcar, algodão, café, cacau, banana… enfim, o que pudessem negociar com seus conterrâneos. Além disto, extraíram toneladas de ouro e prata. Pra isto, porém, alguém precisava trabalhar, né? Pois é! Foram estes, os africanos negros, que pegaram no pesado e construíram a base da riqueza daqueles que os capturavam e vendiam. 

Este é o resumo da história. Já nos ajuda bastante a entender o mundo, mas é um resumo pobre. Vamos adiante, mas, antes de chegarmos no que julgo ser o que mais importa, quero observar que não estou falando só dos africanos que vieram para o Brasil, trazidos pelos portugueses. Falo dos que foram para os Estados Unidos, para o Caribe, para as minas e portos do Equador e do Peru, todos debaixo dos trabucos e chicotes de ingleses, franceses, holandeses, espanhóis… 

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.

 

 
 
 

 

 

 

 
 
 

 

 
conteúdo exclusivo
Revista
Parêntese


A revista digital Parêntese, produzida pela equipe do Matinal e por colaboradores, traz jornalismo e boas histórias em formato de fotos, ensaios, crônicas, entrevistas.

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito