Ensaio

O vosso nome, assim na terra, como no céu, como nos prédios, abençoado seja

Change Size Text
O vosso nome, assim na terra, como no céu, como nos prédios, abençoado seja

As estratégias que conduzem à escolha de nomes religiosos católicos a batizar prédios residenciais em Porto Alegre constituem trama com infinitas variáveis. O que nos faz clamar a Nosso Senhor para que a solução destes mistérios esteja inscrita no terceiro segredo de Fátima, ainda a ser revelado, que poderá pacificar as angústias nesse ramo do conhecimento. 

Publicidade Publicidade

Alguém dirá que, em um país de tradição fortemente católica como é o Brasil, não é surpresa alguma a presença de grande quantidade de nomes de santos e santas em prédios. Mas a questão que me fascina é que, justamente pelo catolicismo estar por toda parte, ser uma espécie de segunda nacionalidade dos brasileiros, uma segunda pele, saber exatamente de onde veio a ideia para dar nome católico a um prédio é tarefa complexa. Uma tia já falecida costumava explicar muitas situações com o conceito genérico de que “uma coisa puxa a outra”. Suas frases mais conhecidas eram: terreno baldio chama lixo e lixo chama bicho, bebida puxa briga, planta em casa atrai formiga, dia de vento dá em confusão. No ver dessa tia, havia um mecanismo de contaminação entre as coisas, e a proximidade de uma derivava em influências sobre a outra. A contaminação, no tema que aqui apresentamos, é cruzada e intensa.

Ao encontrar um edifício com o nome de São José, por exemplo, podemos de imediato dizer “é influência católica”. Está correto, mas não é suficiente. É uma explicação genérica, que no fundo explica pouco. O espalhamento de nomes de influência católica nos faz perceber que aquele prédio está situado em um tramado católico, e eu me ponho a querer saber o que deriva do quê. O prédio está na Vila São José. O morro atrás da vila se chama São José. Há um córrego importante – hoje quase extinto – que é o arroio São José. A avenida central do bairro se chama São José. A paróquia, naturalmente, é a de São José. Sem muito esforço, localizamos a mercearia São José, a borracharia do José, a funerária Sagrada Família, o dogão do Zé, o Zezinho’s games. A imobiliária mais tradicional do bairro é a Imobiliária São José. Paro por aqui, mas não será surpresa se tivermos uma escola, uma praça, uma associação de moradores, um prédio comercial, uma floricultura, uma cafeteria, todos carregando o nome de São José. Quando algo está por toda parte, a questão a conhecer não é essa, é saber do movimento das nomeações. O que veio primeiro? Quem copiou de quem? No que exatamente cada um pensava na hora que decidiu pelo nome? No morro ou no São José pai de Jesus?

Se a rua tem nome de santo, e é uma rua “boa”, em bairro “fino”, o santo prolifera. É o caso da rua Santo Inácio. Em poucas quadras temos Paço Santo Inácio, Clos de Saint Ignace, Maison Santo Inácio, Solar Santo Inácio. Se estafa o nome do santo, até ao limite da ubiquidade. Se o bairro é Glória, e a igreja é N.S. da Glória, e a escola é Escola da Glória, o efeito de contaminação sobre os prédios se mede em megatons, além de papelarias, barbearia, petshop, bazar. Um caso exemplar está no bairro Santo Antônio. Que fica no morro Santo Antônio. E onde está localizada a Paróquia de Santo Antônio do Partenon. Zanzando pela área – me esfalfando a subir e descer ladeiras, em verdade – encontrei Armazém Santo Antônio, Barbearia Santo Antônio, Padaria Santo Antônio, Minimercado Santo Antônio, Colégio La Salle Santo Antônio, Ferragem Santo Antônio, Aviamentos Santo Antônio, Centro Clínico Veterinário Santo Antônio, Ginásio de Esportes Santo Antônio. Claro que não foi difícil encontrar prédios como Morada de Santo Antônio (com direito a capelinha para o Santo logo na entrada), Condomínio Terras de Santo Antônio, Chácara de Santo Antônio, Colinas de Santo Antônio, Reserva Santo Antônio, Vivendas de Santo Antônio e Edifício Santo Antônio. Está tudo no repositório de fotos do artigo, indicado ao final, para que não pensem que me ponho a inventar sem arredar o pé de casa.

Tomei algumas ruas longas e avenidas compridas, com nomes diversos. Percorri do início ao fim. No caso da avenida Cristóvão Colombo, há um bom número de prédios com variações do seu nome, com grafias diversas, além de pizzarias e outros estabelecimentos. Isso se repete em outras ruas. Mas no caso dos nomes de santos e santas, quando indicam ruas ou avenidas, tendem a contaminar de modo mais vigoroso a nomeação das coisas do entorno. Ou seja, se temos uma rua São Luís, teremos chances maiores de surgimento de prédios com variações de São Luís, do que no caso de uma rua Felipe de Oliveira. A impressão que fica é que nomes que carregam ar de santidade influenciam, de modo mais notável, a designação de prédios em seu entorno. O mesmo vale para igrejas e praças com nome de santos e santas.

Em língua portuguesa, uma amostra do que mais foi encontrado está nos nomes Edifício São Jacó, Santo Domingo, Ed. N.S. Caravaggio, Ed. S. Clara, Ed. São Januário, Edifício Santa Bárbara, Edifício Santa Cruz, Santa Tecla, São Rafael, São José, Santa Tereza, Santa Catarina, Santa Cecília, Santa Maria Goretti, Santa Eulália, Condomínio Santa Isabel, Morada Auxilliadora, Ed. Santa Maria, Condomínio Santa Úrsula, Ed. São Geraldo, Ed. São Lucas, dentre outros. Na maioria dos casos, o nome está grafado como Edifício ou Ed. Ou seja, são quase todos prédios anteriores à era dos condomínios, dos residenciais, das moradas, do solar, do palácio, e de tantas outras designações, nos últimos anos em língua estrangeira, que fazem o gosto cafona das designações.

Em outras línguas os nomes de santos, santas e derivados são abundantes, me arrisco a dizer que nas últimas décadas vêm assumindo inclusive uma frequência superior ao dos nomes santos em língua portuguesa. É o caso de Saint Moritz, Saint Vermont, Saint Peter, San Pietro, Reserva Saint Honore, Condomínio San Remo, Saint Girardi, Saint Louis, San Martin, Ed. Boulevard Saint Germain, Saint Denis, San Rafael, San Sebastian, Saint Leger, e mais do mesmo por todo lado. Saint Michel é certamente o campeão em designações, com todas as possibilidades: Reserva Saint Michel, Varandas Saint Michel, Saint Michel Residences. E neste caso podemos pensar que tanto se homenageia o santo, quanto o conhecido monte na igualmente conhecida ilha rochosa. É isso que me dá curiosidade, saber o que efetivamente motivou a designação, uma vez que o catolicismo é um léxico que invadiu tudo em boa parte do Ocidente. É uma explosão discursiva.

Nomes do léxico católico se insinuam via escolas próximas – caso do Cond. Ed. Bom Conselho, frente ao colégio N.S. do Bom Conselho, e do Condomínio Edifício La Salle São João, próximo da escola do mesmo nome, dentre outros casos. Igrejas puxam também nomes, como é o caso do Ed. N. Sra. Piedade e do Ed. N.S. das Dores, os dois não mais que duas quadras distantes das ditas igrejas. Nomes de avenidas puxam também santos; é o caso da avenida Cristóvão Colombo já referida, onde temos tanto Edifício São Cristóvão quanto Ed. San Cristobal. Ao longo da avenida, o Cristóvão Colombo original foi dando lugar ao santo. Caso precioso se dá na rua Gonçalo de Carvalho, a tal rua mais bonita do mundo. A divindade encontrou jeito particular de imiscuir-se, e temos ali um Edifício São Gonçalo. Temos um Edifício São Gabriel, quase ao lado de Edifício Bagé, o que pode indicar que a escolha se deu por homenagem a municípios tradicionais do Rio Grande do Sul, o que acontece muito na cidade, mas enfim é um nome católico. A forte presença de edifícios Maria, Conceição, Aparecida, dentre os nomes de mulher, como já mostrei em artigo anterior, indica modos indiretos da influência católica. Nomes masculinos em avenidas abrem caminho para a presença católica nos prédios, como é o caso do Condomínio Via Bento, próximo da avenida Bento Gonçalves, mas do modo como foi composto lembrando influência católica.

Outro caminho que batiza prédios com designações católicas se dá pela escolha de nomes ligados à geografia do mundo cristão antigo. Encontrei Condomínio Colina Maggiore, Edifício Cerro Catedral, Edifício Catedral, Condomínio Jardim das Oliveiras, Edifício Betânia, Edifício Corinto, Condomínio Jardim do Éden, Residencial Paraíso. Raciocínio semelhante explica Ed. Monte Tabor e Ed. Monte Carmelo, lado a lado no bairro Santana. Papas contribuem para alargar a presença católica como no Ed. Pio XII e no Conjunto Residencial João XXIII. Tomado de curiosidade, fui andar nas cercanias de conhecidas igrejas luteranas em Porto Alegre, para ver se o efeito de contaminação se fazia sentir. Nada localizei. Verifiquei que há uma rua Martinho Lutero em Porto Alegre. Estive lá para averiguações. Chama a atenção ser uma rua sem saída, apenas casas, nem sinal de prédios com influência luterana.

O mecanismo de influência ou contaminação acontece de modo potente em relação ao nome dos bairros de Porto Alegre. É comum que se encontrem prédios residenciais contendo o nome do bairro aonde se localizam, o que vai ser objeto de outro artigo dessa série. Há em Porto Alegre boa quantidade de bairros com nomes derivados do léxico católico, como Cristo Redentor, Auxiliadora, Medianeira, São João, Santa Maria Goretti, Santana, São Sebastião, São José, Santa Catarina, Santa Tereza, Menino Deus, Espírito Santo, Belém e muitos mais. Sendo abundante o nome de bairros com santos, santas e termos católicos, por aí temos grande quantidade de prédios que homenageiam tais figuras. Talvez o móvel da designação tenha sido mais em função do bairro, da rua, da escola próxima, do morro, da praça, do que propriamente do santo ou santa em si, como já comentado. Algo que está por toda parte por vezes tem sua raiz enfraquecida, e o motivo da designação pode estar distante da raiz.

Do ponto de vista histórico, é visível que designar prédio residencial com nomes do léxico católico é atitude que já foi muito comum, mas experimenta recuo nos dias de hoje, mesmo quando seu uso se faz em língua estrangeira. Fica a pergunta: quando começaremos a ter prédios com nomes de divindades de outras religiões? A diminuição do número de católicos, em benefício de outras pertenças religiosas, e certo modismo de adesão, em especial das classes médias, a crenças orientais, poderia já ter rendido entre nós um Edifício Vishnu, um Buda Suítes, uma Morada Taoísta ou um Condomínio Sétimo Céu de Alá. Das religiões afro não achei sinal em nomes de prédios. Os nomes indígenas, alguns dos quais remetem a divindades, serão tratados em artigo específico mais adiante, e são bem numerosos em Porto Alegre, mas indicam claramente uma moda que já passou.

Demonstrada a frequência de denominações católicas a batizar prédios residenciais em Porto Alegre, resta uma dúvida: não seria isso usar o Seu santo nome em vão? Não é raro que empreendimentos imobiliários na cidade tenham se construído em meio a práticas fraudulentas, que volta e meia se tornam conhecidas via manchetes de jornais. E lá está Santa Clara, na forma de Condomínio Santa Clara, a dar explicações ao fisco. Ou São Francisco, por conta do Palácio São Francisco, empreendimento com cinco torres de vinte andares com estrutura de clube, a se haver com o IBAMA por corte de árvores nativas e extermínio de passarinhos daí derivado. Ou Santo Ivo, o padroeiro dos advogados, após uma vida dedicada à prática da caridade e da retidão, por conta do Residencial Santo Ivo, enfrentando as barras do tribunal por crime de peculato.

Penso que o empreiteiro nacional reinterpretou a regra bíblica de não usar Seu santo nome em vão, completando a frase: não usar Seu santo nome em vão em língua nacional. Em língua estrangeira pode. Porque os maiores candidatos a ter complicações com o fisco são o Varandas de Saint Michel, o Saint Paul Suítes, o Reserva Saint Pierre e assemelhados. Podemos também pensar que quando se proíbe usar Seu santo nome em vão isso vale apenas para Nosso Senhor ou para Jesus. Bem que procurei, mas não encontrei nenhum Edifício Deus, ou Condomínio Deus Pai Todo Poderoso, ou Morada de Jesus ou mesmo Solar dos Apóstolos. Os únicos exemplares foram o Edifício Bom Jesus e o Edifício Menino Deus. Isso sim já é usar Seu santo nome em vão. Mas um leitor da coluna enviou fotos de um Edifício Deus é Fiel, situado em cidade do interior do Estado de Pernambuco (verifique no repositório indicado ao final do artigo). Fico a imaginar as regras do condomínio em um prédio desses! 

Acerca dos nomes de prédios empresariais em Porto Alegre estou coletando informações para futuros artigos. Mas já posso adiantar que são bem mais raros os nomes de santos nesse tipo de empreendimento, embora se encontre Edifício Comercial Santa Flora, Galeria Santa Catarina, Centro Empresarial Santana, e deixo de lado os hospitais e outros negócios da área da saúde, que vão compor artigo próprio. Aqui efetivamente a coisa pode provocar a ira do Senhor, uma vez que há precedente histórico bem conhecido, no caso da expulsão dos vendilhões do templo. E ninguém poderá dizer que não foi avisado, pois a história vem sendo recontada há mais de dois mil anos.

Uma questão interessante nesse assunto dos nomes católicos é que eles encontram distribuição igualitária em todos os bairros em que andei. Tanto há prédios com tais nomes no bairro Auxiliadora ou na Bela Vista, como no Partenon, Medianeira, São Geraldo, Tristeza, Centro Histórico, Passo da Areia. Enfim, a divindade parece não se deixar influenciar muito pelo marcador classe social, e sobre todos e todas ela derrama a sua benção.


  • Quem quiser conferir o banco de fotos deste artigo clique aqui
  • Quem quiser conferir a série completa de artigos sobre nomes de prédios, clique aqui
  • Sigo estimulando que enviem fotos, nomes de prédios ou histórias sobre o tema, indicando caminhos para seguir na pesquisa. Neste artigo mesmo duas das fotos foram enviadas por colaborador atento. Para isso, fica o contato [email protected]

Fernando Seffner é historiador e professor na Faculdade de Educação UFRGS

marca-parentese

Abra um parêntese no seu fim de semana com jornalismo e boas histórias. Deixe seu email e receba toda semana as newsletters da revista Parêntese.

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.