Entrevista

Igreja: o crime perfeito porque não é crime

Change Size Text
Igreja: o crime perfeito porque não é crime

Nesta entrevista, Luís Augusto Fischer pergunta a Hélio Schwatsman, colunista da Folha de São Paulo, como se deu a ideia e a fundação da Igreja Heliocêntrica do Sagrado EvangÉlio.

Há muitos anos mantenho curiosidade sobre o que vai agora contado na entrevista. Leitor da Folha há – puxa vida – mais de trinta anos, leio sempre a coluna de Hélio na página 2, e muitas vezes me passou pela cabeça perguntar-lhe como foi o processo de inventar uma igreja. Pois agora satisfiz a curiosidade, produzindo essa conversa, que se complementa com o texto do Ângelo Chemello Pereira dedicado a expor algo sobre o que era a configuração dos estatutos da empreitada.

Muito do que somos como país, no plano das instituições e no plano da mentalidade, se embaralha e se apresenta nessa iniciativa, que tem um ar de maluquice mas de fato é jornalismo investigativo. Se algo como a Igreja Heliocêntrica do sagrado evangÉlio é legalmente possível, e sabendo o que acontece a quem funda igrejas em nosso tempo e em nosso país, o que nos resta é o quê, mesmo?

Hélio é formado em Filosofia pela USP e trabalha na Folha desde 1988, sendo colunista desde o ano 2000 e ocupante da prestigiosa página 2 desde 2011.

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.

 

 
 
 

 

 

 

 
 
 

 

 
conteúdo exclusivo
Revista
Parêntese


A revista digital Parêntese, produzida pela equipe do Matinal e por colaboradores, traz jornalismo e boas histórias em formato de fotos, ensaios, crônicas, entrevistas.

Quer ter acesso a conteúdo exclusivo?


Assine o Premium
ou faça login

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

Nesta entrevista, Luís Augusto Fischer pergunta a Hélio Schwatsman, colunista da Folha de São Paulo, como se deu a ideia e a fundação da Igreja Heliocêntrica do Sagrado EvangÉlio.

Há muitos anos mantenho curiosidade sobre o que vai agora contado na entrevista. Leitor da Folha há – puxa vida – mais de trinta anos, leio sempre a coluna de Hélio na página 2, e muitas vezes me passou pela cabeça perguntar-lhe como foi o processo de inventar uma igreja. Pois agora satisfiz a curiosidade, produzindo essa conversa, que se complementa com o texto do Ângelo Chemello Pereira dedicado a expor algo sobre o que era a configuração dos estatutos da empreitada.

Muito do que somos como país, no plano das instituições e no plano da mentalidade, se embaralha e se apresenta nessa iniciativa, que tem um ar de maluquice mas de fato é jornalismo investigativo. Se algo como a Igreja Heliocêntrica do sagrado evangÉlio é legalmente possível, e sabendo o que acontece a quem funda igrejas em nosso tempo e em nosso país, o que nos resta é o quê, mesmo?

Hélio é formado em Filosofia pela USP e trabalha na Folha desde 1988, sendo colunista desde o ano 2000 e ocupante da prestigiosa página 2 desde 2011.

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.

 

 
 
 

 

 

 

 
 
 

 

 
conteúdo exclusivo
Revista
Parêntese


A revista digital Parêntese, produzida pela equipe do Matinal e por colaboradores, traz jornalismo e boas histórias em formato de fotos, ensaios, crônicas, entrevistas.

Quer ter acesso a conteúdo exclusivo?


Assine o Premium
ou faça login

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

RELACIONADAS
marca-parentese

Abra um parêntese no seu fim de semana com jornalismo e boas histórias. Deixe seu email e receba toda semana as newsletters da revista Parêntese.

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.