Entrevista

Tabajara Ruas: Da fronteira para o mundo sem fronteiras – Parte 2

Change Size Text
Tabajara Ruas: Da fronteira para o mundo sem fronteiras – Parte 2 Tabajara Ruas (Foto: arquivo pessoal)

Sábado passado apresentamos a primeira parte de uma longa conversa com o escritor, cineasta e gente fina Tabajara Ruas. Uma conversa que recuperou sua trajetória até o fim de seu exílio. Mas ocorreu o que de vez em quando ocorre: a conversa com nosso entrevistado ia bem quando caiu a luz, quer dizer, a energia, e nossa entrevista com Tabajara Ruas foi interrompida. Só foi reatada uns dias depois. Aqui vai ela. 

A entrevista foi feita em parceria com a Cubo Play, tendo como entrevistadores Carlos Caramez, Cláudia Laitano e este que aqui assina. O resultado em vídeo pode ser conferido a seguir

(Luís Augusto Fischer)


Esta é um entrevista feita em parceria com a Cubo Play. Você pode assistir a primeira parte neste link. Ou, se preferir, leia o conteúdo a seguir.

Parêntese – Vamos recuperar o ponto onde a gente tinha parado a conversa. Tu tinha pegado um barco para ir até outra cidade, na Suécia e aí tu encontraste uns camaradas de São Tomé e Príncipe, e aí começou toda uma nova fase no teu exílio, certo?

Taba – Isso, você havia me perguntado como é que eu tinha ido parar em São Tomé. Da Dinamarca eu fui para São Tomé e Príncipe. 

Parêntese – Em que ano foi isso? Tu voltaste para o Brasil em 1981? Por que tu foste para São Tomé?

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

RELACIONADAS
ASSINE O PLANO ANUAL E GANHE UM EXEMPLAR DA PARÊNTESE TRI 1
ASSINE O PLANO ANUAL E GANHE UM EXEMPLAR DA PARÊNTESE TRI 1
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.