Folhetim

Capítulo 4: Saber nadar

Change Size Text
Capítulo 4: Saber nadar

Sem saber como nadar no novo oceano, meu bote salva-vidas foi o verso de uma canção, um som solto na memória, tão avulso quanto providencial. Pelo cantar de Gilberto Gil, também navegante dos mares da insuficiência renal, a transmissão vinda de algum lugar do futuro ou do inconsciente havia me encorajado “Os pés, de manhã, pisar o chão”.

A bordo de uma cadeira de rodas pilotada em alta velocidade através dos corredores, elevadores e pátios, eu me esforçava para não cair do assento nem deixar a pasta lotada de prescrições médicas escorregar do meu colo. Quanto mais as rodas riscavam o piso, mais eu me distanciava do Hospital Dom Vicente Scherer e atravessava os portais do Santa Clara, partindo para uma realidade até então ignorada por mim. 

A enfermeira empurrou a cadeira para dentro de uma sala, me informando que seria ali minha primeira sessão de hemodiálise.

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.

 

 
 
 

 

 

 

 
 
 

 

 
conteúdo exclusivo
Revista
Parêntese


A revista digital Parêntese, produzida pela equipe do Matinal e por colaboradores, traz jornalismo e boas histórias em formato de fotos, ensaios, crônicas, entrevistas.

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

ASSINE O PLANO ANUAL E GANHE UM EXEMPLAR DA PARÊNTESE TRI 1
ASSINE O PLANO ANUAL E GANHE UM EXEMPLAR DA PARÊNTESE TRI 1
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.