Folhetim

Capítulo 6: Urbanidades

Change Size Text
Capítulo 6: Urbanidades

Temos uma pista e não foi Marcela quem descobriu, fui eu. Nenhuma de nós duas tem carro, o que dificulta qualquer plano de vigiar alguém, e ainda assim a sorte resolveu recompensar o nosso esforço em obter informações. 

Em uma quarta-feira, após a banca de doutorado de um aluno do professor Ricardo, o grupo de orientandos decidiu sair para comemorar na Cidade Baixa. Marcela me contou que Ricardo também iria, então ela teria oportunidade de conversar com ele em ambiente mais informal. Sem ter mais nada o que fazer no campus, eu resolvi ir para casa. 

Naquele dia estava de bicicleta. Saí pensando nas muitas recomendações que recebia de conhecidos sobre os perigos de pedalar sozinha por caminhos vazios ladeados por mato fechado. Na época em que o tempo fazia sentido eu tinha medo, não tenho mais, o campus me lembra uma urbanidade que não existe, mas existirá. Um dia Porto Alegre será ainda mais arborizada do que hoje, e andar pelo campus me lembra do futuro. O cheiro do mato é ótimo, só lamento que nada mais seja verde para mim.

A Bento Gonçalves, sim, é perigosa. É uma avenida movimentada e estreita, cheia de carros velozes e motoristas que veem os ciclistas como uma afronta. Quando eu passava em frente à escola estadual Finamor, um carro cortou a minha frente para entrar à direita; buzinou, freou em cima e me xingou. Eu me desequilibrei mas não caí no chão, e quando olhei para o carro abaixei logo a cabeça. Era o Ricardo: reconheci o veículo e o motorista. Escutei ele gritar algo para mim, mas fingi estar concentrada em verificar se tinha algum dano na minha bicicleta, torcendo para que o capacete o impedisse de me reconhecer. Ele seguiu seu caminho na pequena travessa, e eu fiquei parada tentando ser discreta em observar o seu rumo. Ele foi pouco adiante na rua e em seguida entrou de novo à direita, então perdi o carro de vista. Peguei meu celular e liguei para Marcela perguntando onde ela estava. Ela me respondeu que estava no bar com os colegas. Quis logo saber do Ricardo: ele não foi. Marcela disse que ainda estavam no campus quando ele deu uma desculpa qualquer para não acompanhar o grupo, e foi embora sozinho.

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.

 

 
 
 

 

 

 

 
 
 

 

 
conteúdo exclusivo
Revista
Parêntese


A revista digital Parêntese, produzida pela equipe do Matinal e por colaboradores, traz jornalismo e boas histórias em formato de fotos, ensaios, crônicas, entrevistas.

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo ?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.