Memória

1752 – Os açorianos e sua religiosidade: história

Change Size Text
1752 – Os açorianos e sua religiosidade: história Fig. 1 – Painel N. Srª Mãe de Deus entronizada, em tesselas de cristal de Murano, 6 x 10 m, executado nas oficinas do Vaticano. Catedral Nossa Senhora Mãe de Deus, Porto Alegre – RS.

Assim como os navegadores espanhóis comandados de Pero de Mendoza, que quando fundaram a futura capital dos portenhos chamaram o lugar de Puerto de Nuestra Señora de los Buenos Aires, por ser dia 2 de fevereiro de 1536, os açorianos que para aqui se deslocaram atravessaram os mares agarrados nos seus santos e devoções. Uma delas a própria N. Sra. dos Navegantes. Outra a do Jesus Menino, nome do futuro bairro do Menino Deus. E, a principal delas, a devoção a São Francisco, ao qual foi erguido o primeiro templo da cidade e em homenagem ao qual foi dado o primeiro nome da futura capital dos gaúchos: Porto de São Francisco dos Casais.

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.

 

 
 
 

 

 

 

 
 
 

 

 
conteúdo exclusivo
Revista
Parêntese


A revista digital Parêntese, produzida pela equipe do Matinal e por colaboradores, traz jornalismo e boas histórias em formato de fotos, ensaios, crônicas, entrevistas.

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

RELACIONADAS
marca-parentese

Abra um parêntese no seu fim de semana com jornalismo e boas histórias. Deixe seu email e receba toda semana as newsletters da revista Parêntese.

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito