Memória

1864-67 – A iluminação pública de Porto Alegre, da querosene ao gás de carvão: história

Change Size Text
1864-67 – A iluminação pública de Porto Alegre, da querosene ao gás de carvão: história

Da sua fundação ao início do séc. XX, a história da iluminação de Porto Alegre foi uma história de lamúrias, intermitências, soluções precárias e encaminhamentos mais eficazes, mas não definitivos. Os anos de 1864 e 1867 foram de soluções precárias e novos encaminhamentos. Explica-se.

Da fundação até 1832, Porto Alegre foi uma cidade às escuras. De 1832 a 1864 foi iluminada por lamparinas. Algumas presas a postes de madeiras. A maioria fixada às paredes das casas. Inicialmente o combustível era o óleo de baleia (1832-52). Depois com o emprego de aguardente, do qual se produzia um gás combustível. Este foi o tempo do empreendedor Cassiano Pacheco de Assis (Cfe. FRANCO, Sérgio da Costa. Porto Alegre, ano a ano. Porto Alegre, Letra & Vida, 2012, p. 79).

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.

 

 
 
 

 

 

 

 
 
 

 

 
conteúdo exclusivo
Revista
Parêntese


A revista digital Parêntese, produzida pela equipe do Matinal e por colaboradores, traz jornalismo e boas histórias em formato de fotos, ensaios, crônicas, entrevistas.

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito