Prefeito da semana

Olívio Dutra abre a era do PT no comando da Capital

Change Size Text
Olívio Dutra abre a era do PT no comando da Capital Olívio Dutra. Foto: Marcello Casal Jr/ABr
37º PrefeitoNome: Olívio DutraPartido: Partido dos Trabalhadores (PT)Período que governou: 01/01/1989 – 01/01/1993 Correção: Olívio Dutra radicou-se em Porto Alegre em 1970, não em 1961, como estava escrito originalmente. Além disso, o acordo entre a Prefeitura e as empresas de transporte consistiu na formação de um Programa de Qualificação do Sistema, na qual o Município arcaria com um valor de R$ 6 milhões, além de abrir mão da cobrança de honorários, despesas e impostos com a desistência das ações que corriam de ambas as partes, e não em uma única indenização de R$ 12 milhões. A reportagem foi corrigida em 7 de agosto. Em 1980, quando o Partido dos Trabalhadores nasceu, o nome de Olívio de Oliveira Dutra era o segundo a aparecer na lista de membros-fundadores publicada na edição de 21 de outubro do Diário Oficial da União. Apenas dois anos depois, ele seria o primeiro candidato petista da história a concorrer ao Piratini, algo que faria outras três vezes, chegando a se eleger em uma oportunidade. Em 1982, o PT de Olívio fez votação inexpressiva e, com 1,5% das preferências, ele ficou em último lugar no pleito que elegeu Jair Soares (PDS). Mas, antes que a década acabasse, o jogo viraria: os petistas cresceram para se tornar uma das maiores siglas do Estado e teriam em Porto Alegre uma de suas grandes vitrines para, na virada do século, ajudar a catapultar o partido ao governo federal. A vitória de Olívio na corrida ao Paço, em 1988, foi considerada uma grande surpresa na época. Sua vitória foi convicta, derrotando partidos e políticos com história na cidade, como Carlos Araújo, que representava o situacionista PDT de Brizola, e o ex-prefeito Guilherme Socias Villela (PDS), deixado para trás com menos da metade dos votos do ganhador. O petista também derrotou, na oportunidade, um político jovem que vinha despontando: o jornalista Antônio Britto (PMDB), que pouco antes havia se tornado um rosto conhecido nacionalmente como porta-voz de Tancredo Neves, comunicando ao país o drama dos dias finais daquele que seria o primeiro presidente civil após a ditadura, mas morreu antes da posse. A rivalidade entre Britto e Olívio nas urnas marcaria, depois, duas eleições ao governo do Estado, com o primeiro levando a vitória em 1994 e o petista dando o troco em 1998. Antes de Porto Alegre, o PT só havia governado uma capital brasileira, elegendo Maria Luiza Fontenele em Fortaleza (CE) em 1985. No pleito de 1988, a legenda passou a ganhar mais espaço nas maiores cidades do país: ao lado de Olívio, também foram eleitos Vitor Buaiz, em Vitória (ES), e Luiza Erundina, em São Paulo. Mas em nenhum lugar o partido teve um período contínuo tão longo, antes de chegar ao Planalto, como na capital gaúcha. De fato, o PT viria a se tornar a sigla que mais tempo governou Porto Alegre em um período democrático: antes houve os 47 anos do Partido Republicano Rio-Grandense no início da República (1890-1937) e os 21 da ARENA/PDS entre o Golpe […]

Quer ter acesso a conteúdo exclusivo?


Assine o Premium
ou faça login

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

RELACIONADAS

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.