Recomendações

Roger Lerina: recomendações da semana

Change Size Text
Roger Lerina: recomendações da semana Rosinha de Valença. Foto: Biscoito Fino/Divulgação

DISCO

Namorando a Rosa

Capa do disco Namorando a Rosa. Foto: Biscoito Fino/Divulgação
Capa do disco Namorando a Rosa. Foto: Biscoito Fino/Divulgação

Nesta quinta-feira (30/7), dia em que Rosinha de Valença (1941 – 2004) completaria 79 anos, a gravadora Biscoito Fino lançou nas plataformas digitais o álbum Namorando a Rosa, homenagem à grandeza e ao virtuosismo da violonista e compositora. O disco-tributo nasceu sob inspiração de um vinil que Rosinha havia lançado em 1976, Cheiro de Mato, e a iniciativa partiu de Maria Bethânia – que contou com a direção e o violão de Rosinha em vários discos e espetáculos.

Namorando a Rosa privilegia a produção autoral de Rosinha e reúne 13 faixas – duas delas compostas especialmente para o álbum: Prelúdio da Rosa, do violonista Turíbio Santos, e Mais uma Rosa, escrita por Hermeto Pascoal. A lista de convidados inclui Chico Buarque, Caetano Veloso, Alcione, Bebel Gilberto, Miúcha, Martinho da Vila e Joana. Além de Hermeto e Turíbio, veteranos parceiros de Rosinha, participam da parte instrumental Célia Vaz e Yamandu Costa – que muitos consideram herdeiro musical da violonista.

Escute o disco Namorando a Rosa aqui.

ARTES VISUAIS

Clarice Lispector na Fundação Iberê

“Figura I” (1973), de Iberê Camargo. Foto: Reprodução
“Figura I” (1973), de Iberê Camargo. Foto: Reprodução

A família de Clarice Lispector doou à Fundação Iberê a gravura Figura I (1973), um presente de Iberê Camargo (1914 – 1994) ao filho da escritora, Paulo Gurgel. A obra passa a integrar o acervo da instituição no ano do centenário de nascimento da escritora (10 de dezembro de 1920) e, também, dos seus 43 anos de morte (9 de dezembro de 1977).

“A gravura foi presente de meu casamento que Iberê Camargo gentilmente ofereceu em abril de 1976. E, com o passar do tempo, tanto Clarice como Iberê pertencem ao Brasil, portanto, não poderia ficar com esse documento histórico. Quero muito visitar a fundação, pois gosto muito de Porto Alegre, do Rio Grande e, como já mencionei, Erico Verissimo e Mafalda foram meus avós de fato”, diz Gurgel.

Além de ser um dos nos nomes mais importantes da literatura brasileira, Clarice tinha nas artes uma de suas grandes paixões. “Quem sabe escrevo por não saber pintar?”, dizia. Em meados da década de 1970, Clarice pintou 22 quadros – que, atualmente, integram o acervo da Fundação Casa de Rui Barbosa e do Instituto Moreira Sales (IMS) e estão reproduzidos no livro Clarice Lispector Pinturas, do português Carlos Mendes de Sousa.

REVISTA

Instituto Moreira Salles lança ZUM #18

Capa da revista ZUM. Foto: Reprodução
Capa da revista ZUM. Foto: Reprodução

O Instituto Moreira Salles lançou a edição 18 da revista ZUM, com 200 páginas de ensaios visuais e artigos que destacam o papel da fotografia e das imagens no mundo atual. Excepcionalmente, em razão da pandemia, a publicação está disponível online a fim de chegar ao maior número de leitores.

A revista segue com sua edição impressa, mas em tiragem reduzida. O lançamento incluirá uma série de debates e conversas sobre os temas da edição. Confira a programação aqui.

RELACIONADAS