Agenda | Teatro

(DE)COLAGEM no Viaduto Otávio Rocha

Change Size Text
(DE)COLAGEM no Viaduto Otávio Rocha
Concebido a partir de textos de Caio Fernando Abreu transformados em dramaturgia por Luiz Arthur Nunes, o espetáculo multicênico (DE)COLAGEM estreia nesta quinta (21/6), às 20h, em um palco inusitado e aberto: o Viaduto Otávio Rocha, no Centro Histórico da Capital. Reunindo teatro, música, dança, pintura e recursos audiovisuais, a montagem inédita e inovadora segue nos dias 22 e 23 de junho, sempre às 20h. Com patrocínio da Oi, apoio cultural da Oi Futuro e financiamento da Lei de Incentivo à Cultura do Estado do Rio Grande do Sul, o projeto foi proposto via edital, desafiando os selecionados a criarem, em pouco tempo e de forma colaborativa, as apresentações que o público poderá conferir em Porto Alegre. Participam do projeto a atriz e cantora Adriana Deffenti; os diretores Bruno Polidoro e Bruno Gularte Barreto, junto à Besouro Filmes; a Cia Atimonautas, com seu teatro de bonecos adulto; o Coletivo Moebius, com sua dança contemporânea; e o designer gráfico e bailarino Jackson Brum. A montagem é multicênica porque possibilita que diversas cenas do texto aconteçam de forma simultânea enquanto o espectador interage com a obra, fazendo a colagem dessas cenas. Durante todo o espetáculo, imagens audiovisuais desenvolvidas por Bruno Gularte Barreto e Bruno Polidoro serão projetadas na parte superior do viaduto, nos prédios no entorno e nos corpos dos artistas. Além disso, serão apresentados ao público vídeos com cenas extraídas dos arquivos pessoais dos diretores contendo imagens da casa de Caio F. e dos demais locais em que ele viveu pelo mundo, e até mesmo uma interpretação de um dos textos do escritor feita pela atriz Sandra Dani. Simultaneamente, Jackson Brum pintará ao vivo uma tela temática com assuntos abordados na dramaturgia de Nunes e nas ideias de Caio, que completaria 70 anos em 2018. A cada apresentação, uma nova tela de 1,60m x 1,25m será feita, totalizando, até a última sessão, um conjunto de 14 painéis entre os que serão pintados ao vivo e os que já estarão fixos no local. Para o espetáculo, a cantora Adriana Deffenti musicou alguns dos principais versos do texto original de (DE)COLAGEM. Acompanhada pelo músico Ricardo Pavão com sampler, violão, baixo e instrumentos alternativos, ela interpretará trechos da obra, improvisando ao vivo em cima de trilhas pré-gravadas. Enquanto isso, quatro bailarinos do Coletivo Moebius estarão em cena, contracenando e interagindo com elementos urbanos das escadarias do viaduto e da Rua Duque de Caxias. Já a Cia Atimonautas participa da montagem com seus bonecos habitáveis, representando teatralmente alguns dos diálogos centrais da dramaturgia, com gestos significativos e jogos de palavras complementados com ambientação sonora especialmente composta para as cenas. Encenado em 1977 no Teatro de Câmara, o texto original de (DE)COLAGEM é parte do acervo Espaço Sonia Duro – Centro de Documentação e Pesquisa em Artes Cênica, sediado no Teatro de Arena. A obra, que foi censurada na época com cortes feitos pela Divisão de Censura de Diversões Públicas, apresenta uma estrutura surpreendente com “um continuum de eventos, um fluxo ininterrupto de imagens, onde se […]

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

PUBLICIDADE