Artigos, Cinema

Bem mais do que apenas uma boa esposa

Change Size Text
Bem mais do que apenas uma boa esposa Califórnia Filmes/Divulgação

O filme francês A Boa Esposa (2020) estreia nesta quinta-feira (17/6) no Brasil nos cinemas de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Porto Alegre, Florianópolis, Niterói, Campinas e Santos. Como proprietária de uma escola que ensina mulheres a serem boas esposas e donas de casa, Juliette Binoche levou mais de 600 mil espectadores aos cinemas na França após a reabertura das salas em junho de 2020. A comédia é assinada pelo diretor e roteirista Martin Provost – ganhador dos prêmios César de melhor filme e roteiro original por Séraphine (2008).

No longa, Paulette Van Der Beck (Binoche) dirige com o marido Robert (François Berléand) no final dos anos 1960 no interior da Alsácia – região francesa de forte influência germânica – a Escola Doméstica Van Der Beck, um local que ensina jovens a serem boas esposas, cumprirem seus deveres matrimoniais e cuidarem do dia a dia como perfeitas donas de casa. A diretora divide as aulas e a disciplina do estabelecimento com a cunhada, a desajeitada e sonhadora Gilberte (Yolande Moreau), professora de culinária da escola, e a severa freira Marie-Thérèse (Noémie Lvovsky).

Tudo muda quando Paulette se vê subitamente viúva e falida. Ao mesmo tempo em que é obrigada a assumir a escola sozinha, a cordata professora de boas maneiras reencontra o amor de juventude, o agora banqueiro André Grunvald (Edouard Baer), de quem não tinha notícias desde o final da II Guerra. Sentindo os ares libertários bafejados pelos movimentos de 1968, Paulette depara com um horizonte novo em sua vida: e se a boa esposa se tornasse então uma mulher efetivamente dona de seu destino?

Califórnia Filmes/Divulgação

A emancipação feminina é um tema recorrente nos filmes de Martin Provost, como no já citado Séraphine e também em Violette (2014) e O Reencontro (2017) – estrelado por Catherine Deneuve e Catherine Frot. A Boa Esposa é ambientado em uma época na qual o empoderamento das mulheres ganhou um grande impulso – o diretor conta que as escolas domésticas, comuns na França até esse período, desapareceram no começo da década de 1970.

Como em grande parte do mundo, as mulheres francesas demoraram a conquistar direitos e independência. Em 1873, foi criada a primeira escola para donas de casa, em Reims. Foi somente em 1944 que as francesas conquistaram o direito ao voto – e só em 1965 puderam praticar uma profissão e abrir uma conta bancária sem a permissão do marido, que até então era considerado o chefe da família.

O tom de A Boa Esposa é de comédia ligeira e um tanto farsesca, que flerta muitas vezes com a caricatura. Provost tenta evitar que a história descambe totalmente para o pastiche, dosando humor, crítica e nostalgia em seu retrato de uma sociedade e valores que parecem se reportar a tempos remotos, mas que na verdade eram a regra geral até 50 anos – e que ainda hoje não foi superada por completo.

Califórnia Filmes/Divulgação

O filme capricha na reconstrução de época, especialmente na direção de arte, no figurino e nos penteados. A trilha sonora também merece crédito nessa viagem saudosista ao final dos 1960, não apenas por reproduzir sucessos de ídolos pop da época como Salvatore Adamo e Joe Dassin, mas também por conta da partitura original composta por Grégoire Hetzel, que evoca ironicamente a música sentimental dos filmes românticos da época. Aliás, a trilha é responsável por uma curiosa alteração de registro no desfecho de A Boa Esposa, que termina como um musical de crítica social ao estilo dos filmes de François Ozon.

Como não poderia ser diferente, Juliette Binoche é o que efetivamente se destaca em A Boa Esposa. Uma das maiores intérpretes do cinema contemporâneo, a francesa ganhadora do Oscar de atriz coadjuvante por O Paciente Inglês (1996) extrapola os limites estreitos de sua personagem e do roteiro e imprime veracidade, empatia e, sobretudo, frescor ao papel de uma mulher madura que desabrocha para a vida.

Califórnia Filmes/Divulgação

A Boa Esposa: * * * 

COTAÇÕES

* * * * * ótimo     * * * * muito bom     * * * bom     * * regular     * ruim

Assista ao trailer de A Boa Esposa:

RELACIONADAS

Quer saber tudo sobre cultura e eventos em Porto Alegre e no RS? Então assine a newsletter do Roger Lerina e receba as dicas no seu e-mail!

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.