Artigos | Cinema

Liliana Cavani reflete sobre o tempo em filme inspirado em best-seller de físico quântico

Change Size Text
Liliana Cavani reflete sobre o tempo em filme inspirado em best-seller de físico quântico Pandora Filmes/Divulgação

A veterana cineasta italiana Liliana Cavani está de volta com A Ordem do Tempo (2023), drama que traz no elenco nomes como Alessandro Gassmann, Fabrizio Rongione e Ángela Molina. O filme é inspirado no best-seller homônimo de Carlo Rovelli, físico teórico e especialista no estudo da gravidade quântica, que apresenta uma nova interpretação dos mistérios do tempo.

O longa é protagonizado por um grupo de amigos que todos os anos se reúne no aniversário de um deles. Desta vez, o encontro celebra o aniversário de Elsa (Claudia Gerini), que comemora seus 50 anos.

Publicidade

O amigo Enrico (Edoardo Leo), porém, não traz boas notícias, o que pesa no clima da festa. Aparentemente, um asteroide, chamado Anaconda, ruma em direção à Terra, e pode representar para a humanidade o mesmo efeito exterminador que, no passado, um outro corpo celeste causou aos dinossauros.

Em plena atividade aos 91 anos, Liliana Cavani pertence a uma brilhante geração de cineastas italianos que se destacaram na década de 1970, como Bernardo Bertolucci, Lina Wertmüller, Pier Paolo Pasolini e Marco Bellocchio. A diretora e roteirista tem no currículo filmes como O Porteiro da Noite (1974), A Pele (1981) e O Retorno do Talentoso Ripley (2002).

Carlo Rovelli, por sua vez, é conhecido por sua interpretação relacional da mecânica quântica e já escreveu diversos livros sobre o tema, entre os quais Sete Breves Lições de Física, A Realidade Não É o que Parece, A Ordem do Tempo e o recém-lançado Buracos Brancos – todos traduzidos para mais de 40 idiomas e publicados no Brasil pela Objetiva, selo de não-ficção da editora Companhia das Letras.

Escrito com o tom poético, filosófico e acessível característico do autor, o livro A Ordem do Tempo transformou-se na direção de Cavani em um drama sobre as possibilidades e impossibilidades na vida de seus personagens: em um momento de angústia e contagem regressiva, confissões inesperadas são feitas, colocando em xeque laços que eram dados como fortes.

“Tive a sorte de encontrar grandes atores para se juntarem a mim nessa aventura: artistas que conseguem uma interpretação autêntica da vasta gama de emoções que esta história exigia, encontrando uma forma pessoal de expressar medo, nostalgia, espanto, incerteza, esperança”, explica a realizadora.

Cavani conta que quando leu o livro de Rovelli sentiu a necessidade de transformar a obra de física em um longa de ficção: “Quando fico tão absorta na leitura de algo, e sinto as emoções surgirem, quero transmiti-las ao meu público, e geralmente decido fazer um filme sobre isso. Mergulhei profundamente em palavras emocionantes como: ‘Toda a nossa física, e a ciência em geral, trata de como as coisas se desenvolvem conforme a ordem do tempo’”, conta a nonagenária cineasta.

Liliana Cavani revela que dividiu a descoberta com Paolo Costella, com quem assina o roteiro do longa, e começou a trabalhar no filme: “Como humanos e parte do universo, embarcamos na jornada da vida sem termos escolhido fazê-lo. Simplesmente acontece, como tudo acontece, segundo A Ordem do Tempo”.

Pandora Filmes/Divulgação

A Ordem do Tempo: * * *

COTAÇÕES

* * * * * ótimo     * * * * muito bom     * * * bom     * * regular     * ruim

Assista ao trailer de A Ordem do Tempo:

PUBLICIDADE

Esqueceu sua senha?