Artigos | Cinema

O amor é como se fosse um filme em “13 Sentimentos”

Change Size Text
O amor é como se fosse um filme em “13 Sentimentos” Vitrine Filmes/Divulgação

Dez anos depois do sucesso de público e crítica Hoje Eu Quero Voltar Sozinho (2014), representante do Brasil ao Oscar de Melhor Filme Internacional e vencedor do Prêmio Teddy no Festival de Berlim, o cineasta Daniel Ribeiro volta a falar de homoafetividade em 13 Sentimentos (2024). No seu novo filme, o diretor e roteirista acompanha um jovem cineasta que tenta engatar um namoro depois de terminar um relacionamento amoroso de uma década.

Na comédia romântica 13 Sentimentos, João (Artur Volpi), que mantém uma amizade próxima com o ex-namorado, conhece Vitor (Michel Joelsas), por quem se apaixona à primeira vista. Enquanto isso, ele divide seus impasses sentimentais e profissionais com os amigos Chico (Marcos Oli) e Alice (Julianna Gerais) em encontros na mesa de um bar. Aos poucos, o aspirante a cineasta vai tentando controlar o relacionamento com Vitor e outros flertes, como se fosse um filme que estivesse construindo.

Publicidade

O realizador Daniel Ribeiro diz que partiu de uma experiência bastante pessoal para criar 13 Sentimentos, inspirando-se no fim de seu relacionamento com o também diretor Rafael Gomes ⎯ cujo longa 45 Dias sem Você (2018) é o retrato ficcional dos sentimentos que vivenciou após o término com o ex-companheiro. A resposta de Ribeiro vem agora com 13 Sentimentos ⎯ que, ao lado de Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, compõe uma trilogia sobre sentimentos e relacionamentos, que será encerrada com Amanda e Caio, sobre um casal transgênero interpretado por Alice Marcone e Gabriel Lodi.

Vitrine Filmes/Divulgação

“O roteiro foi escrito bem depois de todo o processo de superação da separação. Eu já tinha processado todos os sentimentos e compreendido quais caminhos eu percorri para estar aberto para uma nova relação. Eu percebo que gosto de escrever sobre minhas experiências com um olhar mais completo de como elas aconteceram”, justifica Daniel Ribeiro.

Em 13 Sentimentos, o protagonista utiliza o fato de ser roteirista para criar uma versão da sua vida que seja perfeita. “Eu acredito que escrever um roteiro e fazer um filme sobre minhas experiências é uma forma de compreender melhor meus sentimentos, e nesse filme isso foi transferido para o personagem João, que também passa a escrever um roteiro em que ele pode transformar as partes da realidade que o desagradam, reviver cenas do passado como ele gostaria de ter vivido e reescrever os finais para serem mais felizes. Muitas pessoas aproveitam a experiência de assistir a um filme de ficção como um espelho da própria vida e, consequentemente, compreender melhor os próprios sentimentos, compartilhando-os secreta e intimamente com os personagens dos filmes. 13 Sentimentos, de alguma maneira, aborda essa ideia de buscar uma fuga nas histórias ficcionais, mas também lembra que uma hora precisamos enfrentar a realidade”, diz o diretor.

Ribeiro destaca ainda a importância de 13 Sentimentos ter sido filmado em 2023, “um momento em que pessoas LGBT+ estavam voltando a respirar aliviadas depois de um período sombrio, de tensão e insegurança sobre o futuro. Acho que o filme traz esse sentimento de esperança, de um Brasil em que a diversidade é possível, onde todos podem viver sem medo de ser quem são”.

Vitrine Filmes/Divulgação

13 Sentimentos: * * * *

COTAÇÕES

* * * * * ótimo     * * * * muito bom     * * * bom     * * regular     * ruim

Assista ao trailer de 13 Sentimentos:

PUBLICIDADE

Esqueceu sua senha?