Artigos, Cinema

Um mundo sem os pés no chão

Change Size Text
Um mundo sem os pés no chão Foto: Juhani Zebra/Divulgação
O filme austríaco O Chão Sob Meus Pés (2019), exibido na competição oficial do 69º Festival Internacional de Cinema de Berlim, entra em circuito no Brasil diretamente em streaming nesta quinta-feira (8/10) via Now e Vivo Play. O drama dirigido por Marie Kreutzer entraria em cartaz no país em 19 de março, semana em que a maioria dos cinemas brasileiros começaram a ser fechados devido à pandemia de coronavírus.O longa conta a história de Lola (Valerie Pachner), uma consultora de negócios que trabalha incessantemente e gerencia sua vida pessoal com a mesma eficiência implacável que usa para otimizar margens de lucro. Jovem, bonita e atlética, a protagonista mantém em segredo um relacionamento amoroso com sua chefe Elise (Mavie Hörbiger) – da mesma forma que esconde de todos a existência de sua irmã mais velha, Conny (Pia Hierzegger), que tem uma longa história de doença mental. Entretanto, quando recebe a notícia de que sua irmã tentou suicídio, a eficiente executiva se vê obrigada a incluí-la em seu cotidiano. A nova rotina faz Lola começar a perder o controle sobre a realidade, levando-a a suspeitar de que a esquizofrenia pode ser uma herança familiar que também ronda sua sanidade mental. Segundo a diretora e roteirista, Lola foi inconscientemente inspirada em Marnie, Confissões de uma Ladra (1964), de Alfred Hitchcock. “O que elas têm em comum é sua independência, sua maneira de viver sem precisar confiar em ninguém, recusando a ver sua própria escuridão. Elas estão totalmente sozinhas, e isso as tornam personagens muito comoventes e vulneráveis, ao mesmo tempo em que são ‘difíceis’”, observa Marie, comparando a personagem de seu filme com a protagonista atormentada vivida por Tippi Hedren no thriller hitchcockiano. Exibido no Festival Mix Brasil e no Festival do Rio, O Chão Sob Meus Pés ressalta a resistência e o sacrifício das mulheres em um mundo profissional cruel dominado por homens, que costuma subestimar a capacidade feminina e exigir das trabalhadoras um desempenho redobrado como prova de sua competência. A ótima atuação de Valerie Pachner – atriz austríaca de Uma Vida Oculta (2019), mais recente trabalho do mestre Terrence Malick – é decisiva para expressar em cena como o enrijecimento emocional da workaholic Lola impede-a de se conectar com sua instável irmã Conny e expõe a fragilidade de sua relação amorosa com Elise. O Chão Sob Meus Pés aponta como a sociedade europeia desenvolvida contemporânea, a despeito da sofisticação institucional e da modernidade econômica, ainda é regida por uma lógica falocêntrica predadora, muito primitiva em essência e prática. Mais do que expor essa constatação, porém, o principal acerto da realizadora Marie Kreutzer em seu quarto longa talvez seja denunciar a causalidade entre a desumanização no âmbito do trabalho e do mercado – e que atinge tanto homens quanto mulheres – com a falta de empatia e conexão com os outros aspectos da vida “não produtivos”, isolando grupos sociais e indivíduos que não se integram à norma, como a perturbada irmã de Lola. O Chão Sob Meus Pés: * * * * COTAÇÕES * * * * * ótimo     * * * * muito bom    […]

Quer ter acesso a conteúdo exclusivo?


Assine o Premium
ou faça login

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

RELACIONADAS

Quer saber tudo sobre cultura e eventos em Porto Alegre e no RS? Então assine a newsletter do Roger Lerina e receba as dicas no seu e-mail!

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.

O matinal
PRECISA
de você

Precisamos bater a meta do nosso crowdfunding para seguirmos ativos em 2021

O matinal
PRECISA
de você

Precisamos bater a meta do nosso crowdfunding para seguirmos ativos em 2021