Música | Notas

“Asfixia” – Um respiro artístico de Laura Finocchiaro

Change Size Text
“Asfixia” – Um respiro artístico de Laura Finocchiaro Foto: Marian Starosta/Divulgação

“Não consigo respirar”. A frase que traduz o momento atual – em que o novo coronavírus provoca insuficiência respiratória e a violência policial mata cidadãos negros – serviu de inspiração para a cantora e compositora Laura Finocchiaro, que acaba de lançar o single e clipe Asfixia, canção musicada por ela com letra do jornalista e compositor cearense Flávio Paiva, e distribuída pelo selo Plural de Cultura em todas as plataformas digitais. 

Fruto de mais de cem dias de trabalho remoto, num home studio no Rio de Janeiro, Asfixia tem produção musical de Laura Finocchiaro, criada sob encomenda de Paiva para o catálogo “Arte na espreita e na espera…Poéticas na quarentena”, de Bené Fonteles, artista multidisciplinar de Fortaleza. A balada punk foi criada para um projeto amplo de produção cultural que enfatiza obras sobre os efeitos da pandemia do novo coronavírus na sociedade e vai compor o novo álbum da artista gaúcha, com previsão de lançamento no final do segundo semestre de 2020.

Se em tempos de pandemia é preciso muita criatividade, o videoclipe de Asfixia não fugiu à regra. A edição é assinada por Rafael de Carvalho, a partir de imagens produzidas e captadas pela própria Laura através de seu celular e por fotografias cedidas pelos fotógrafos profissionais Fernanda Chemale, Teo Ponciano, Eduardo Kobbi e Marian Starosta, que também assina a consultoria de imagens.

O videoclipe já nasceu com uma improvisação do cenário: Laura ergueu um pano preto como um fundo neutro para cantar e tocar sua guitarra cor-de-rosa, usando uma máscara feita com seu próprio “$ dólaura”. Além dessas, a artista usou as imagens que registrou por semanas, no amanhecer do dia, quando percebeu que seu próprio reflexo poderia se tornar uma nova criatura nas sombras projetadas na parede de sua casa.  Ao mesmo tempo, fotógrafos parceiros e amigos também registravam cenas promovidas pela quarentena, de New York a São Paulo, os cruzamentos, o vazio das cidades, o céu, a solidão, janelas, muros e becos.

Na letra, o roteiro da asfixia de escala mundial: “O ar acabou pra mim em Wuhan / Acabou em Nova Iorque / Já não respiro nas ruas de São Paulo”.  Em outro trecho da canção, embalada pela guitarra rosa, loops e synths eletrônicos, Paiva escreve: “Sei que você me chama de algum lugar / Mas não consigo entender nada”: “E morto, de olhos arregalados / Não vejo nada, não saio de mim”.

O videoclipe traduz o ar parado, contrastando com a conhecida melodia de Summertime, famosa ária do compositor americano George Gershwin, citada na melodia instrumental da composição. 

Asfixia é parte do álbum de inéditas que Laura Finocchiaro está produzindo em seu home studio e que será lançado até o fim de 2020. Fôlego não lhe falta. E assim ela mantém a arte respirando por ajuda de seus aparelhos – a guitarra cor-de-rosa, sintetizadores e celular.

Confira o clipe de Asfixia aqui.

PUBLICIDADE