Cinema | Notas

“5 Casas” é o vencedor do 31° Cine Ceará

Change Size Text
“5 Casas” é o vencedor do 31° Cine Ceará “5 Casas”. Foto: Reprodução

O 31º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema realizou a cerimônia de premiação nesta sexta-feira (3/12), e na Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-Metragem, o filme 5 Casas, de Bruno Gularte Barreto, foi  o  grande vencedor.

O documentário autobiográfico ganhou o Troféu Mucuripe nas categorias de Melhor Longa-metragem e prêmio no valor de R$ 20 mil para distribuição do filme no Brasil, conforme regulamento do festival. O filme também garantiu os prêmios de Melhor Roteiro (Bruno Gularte Barreto e Vicente Moreno) e Melhor Som (Emil Klotzsh). 

O prêmio de Melhor Direção foi para Alicia Cano Menoni por Bosco, que também conquistou o de Melhor Montagem (Guillermo Madeiro) e Melhor Trilha Sonora Original (Giorgio Ferrero e Rodolfo Mong). A atriz Clebia Sousa e o ator Vanderlei Bernardino de Fortaleza Hotel, de Armando Praça, venceram nas categorias Melhor Atuação Feminina e Melhor Atuação Masculina. Armando Praça é diretor de Greta, filme vencedor no Cine Ceará em 2019, que também levou o prêmio de Melhor Atuação Masculina e Melhor Direção. Já Petrus Cariry garantiu o troféu de Melhor Fotografia por A Praia do Fim do Mundo

Leia também a reportagem sobre a exposição que integra o projeto de Bruno Gularte Barreto.

Lista completa dos vencedores

MOSTRA COMPETITIVA IBERO-AMERICANA DE LONGA-METRAGEM

Melhor Longa-metragem
5 Casas, de Bruno Gularte Barreto
Prêmio: Troféu Mucuripe e cheque no valor de R$ 20 mil

Melhor Direção
Alicia Cano Menoni, por Bosco

Melhor Atuação Feminina
Clebia Sousa, por Fortaleza Hotel

Melhor Atuação Masculina
Vanderlei Bernardino, por Fortaleza Hotel

Melhor Roteiro
Bruno Gularte Barreto e Vicente Moreno, por 5 Casas

Melhor Fotografia
Petrus Cariry, por A Praia no Fim do Mundo

Melhor Montagem
Guillermo Madeiro, por Bosco

Melhor Trilha Sonora Original
Giorgio Ferrero e Rodolfo Mong, por Bosco

Melhor Som
Emil Klotzsh, por 5 Casas

Melhor Direção de Arte
Sergio Silveira, por A Praia do Fim do Mundo

PRÊMIO DA CRÍTICA – ABRACCINE
A Praia do Fim do Mundo, de Petrus Cariry

MOSTRA COMPETITIVA BRASILEIRA DE CURTA-METRAGEM

Melhor Curta-metragem
Chão de Fábrica, de Nina Kopko

Melhor Direção
Pedro Gonçalves, por O Resto

Melhor Roteiro
Carlos Segundo, por Sideral

RELACIONADAS
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito