Artes Visuais | Notas

Casa de Cultura Mario Quintana apresenta exposição “A Casa do Tempo”

Change Size Text
Casa de Cultura Mario Quintana apresenta exposição “A Casa do Tempo” Obra "Visível" (2022) de Estêvão da Fontoura. Foto: Clarice Sena

A Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ) recebe, até o dia 15 de maio, a exposição A Casa do Tempo – Laboratório de Curadoria Colaborativa. A mostra organizada por alunos do curso de especialização em Práticas Curatoriais do Instituto de Artes da UFRGS está distribuída em núcleos curatoriais que envolvem fotografia, memória, música, cinema e outras linguagens, ocupando cinco espaços expositivos da CCMQ (Andradas, 736 – Centro Histórico de Porto Alegre).

Ao abordar as relações entre centro e periferia na arte, a exposição propõe o questionamento sobre o que representa uma casa da cultura na região central de Porto Alegre, de que cultura estamos falando e por quem e para quem essa cultura é produzida. O projeto de criação colaborativa tem a participação de 27 alunos do curso de especialização em Práticas Curatoriais do Instituto de Artes da UFRGS.

A coordenadora da exposição e docente do Instituto de Artes, Ana Maria Albani de Carvalho, relata que a reflexão que norteou a concepção e a montagem da mostra debateu muito as questões de visibilidades, invisibilidades, centros e periferias. 

A diversidade de linguagens artísticas presentes na exposição A Casa do Tempo é fruto do perfil multidisciplinar dos alunos do curso, oriundos de áreas como Comunicação, Letras, Biblioteconomia, Teatro, Música e Arquitetura. Dessa forma, cada um dos núcleos curatoriais ocupa um espaço expositivo distinto na CCMQ, oferecendo uma experiência peculiar a partir das características próprias e dos artistas convidados.

O Passado Não Sabe Seu Lugar é o núcleo curatorial instalado na Sala Radamés Gnattali, no 4º andar, recebendo duas instalações de artistas que exploram a memória. O Duo Betamaxers faz arte sonora e Iriane Leme mescla fotografias e projeções. Já o núcleo Atravessamentos, está no Laboratório Vânia Toledo, no 3º andar, com obras das fotógrafas Sandra Gonçalves e Fernanda Chemale, que contrapõem uma série de imagens coloridas e outra em preto e branco.

O Memorial Majestic, no 2º andar, sedia o núcleo Majestic Hotel – Sua Sala de Estar em Porto Alegre, com documentos e imagens que contam a história do prédio do antigo Hotel Majestic antes de ser transformado em Casa de Cultura Mario Quintana. 

A exposição A Casa do Tempo também marca a inauguração de mais um nicho expositivo alternativo na CCMQ. O Espaço Inusitado, junto ao mezanino do segundo andar, recebe, em um poço de luz, obras instaladas pelos artistas Cláudia Hamerski, Estevão da Fontoura Haeser e Mitti Mendonça.

PUBLICIDADE