Música, Notas

Gali Galó promove clipe de “Aceita”

Change Size Text
Gali Galó promove clipe de “Aceita” Foto: Mari Rosa/Divulgação

Após quatro singles lançados em pouco mais de um ano, Gali Galó está cada vez mais próxima de seu primeiro álbum. Aceita é uma canção que fala sobre sexualidade, identidade de gênero e integra o álbum previsto para agosto de 2021. O Clipe já está disponível no YouTube.

Aceita é uma música que me leva pra minha infância no interior de São Paulo. É um grito de libertação diante de todas as situações que oprimiram o meu passado. Aceita tem cheiro de laranja”, afirma Gali Galó.

Integrante do Queernejo, sertanejo feito por pessoas LGBTQIA+, Galó vem se destacando no movimento com uma assinatura única que passa pelo brega, pelo pop e pelo indie. A produção musical da faixa é assinada por Mônica Agena, que também captou os violões. Gravado de forma remota, a faixa traz a gaita de Thais Ribeiro, o baixo de Érica Silva e a guitarra de Theo Charbel. 

O clipe de Aceita dá sequência à estética roadie movie que Gali Galó vem propondo desde seu primeiro single Fluxo (Mulher do Futuro). Com câmeras nas mãos e movidas pelos acontecimentos cotidianos da estrada, um grupo de mulheres da coletiva Casarelas viajaram pelo interior de Minas Gerais para captar cenas de Galó nas mais diversas paisagens da natureza, literalmente encarnando o personagem. A produtora As de Ouro, responsável pelos dois últimos clipes de Galó (Fluxo, Raíz) também assina este trabalho.

A pesquisa pela estética roadmovie começou em 2015, quando Galó conheceu a diretora do clipe e sua atual companheira, Maria Moreira (que também aparece em algumas cenas). Através dela conheceu a cineasta Gabriela Pessoa, que estudou cinema de guerrilha e que analisou em sua monografia filmes de estrada latino americanos. 

“Depois de um ano de namoro, caímos na estrada no melhor estilo Thelma e Louise, porém dessa vez sem ameaças e sem fugir de ninguém. Só estávamos fazendo arte e captando aquele nascimento de Gali. Essa trilogia testemunha exatamente o nascimento da minha persona artística e dá base ao que ainda está por vir”, explica Gali Galó. 

Gali Galó é uma das idealizadoras do Queernejo. O termo “Queernejo” nasceu durante a SIM São Paulo, a maior conferência musical do país, com o slogan do Fivela Fest – O Primeiro Festival Queernejo do Brasil em dezembro de 2019. Idealizado e produzido por Gabeu, Gali Galó e Alice Marcone, os principais representantes do gênero, o festival online apresentou outros artistas LGBTQIA+ no Sertanejo, como Reddy Allor, Zerzil e Mel & Kaleb

Assista ao clipe de Aceita aqui.

Quer saber tudo sobre cultura e eventos em Porto Alegre e no RS? Então assine a newsletter do Roger Lerina e receba as dicas no seu e-mail!

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.