abre ( parêntese

Livros digitais com ideias e boas histórias

Em breve o selo Abre Parêntese vai lançar seu primeiro título. Deixe seu email e fique por dentro das novidades:

Como funciona

Assine o Clube Abre Parêntese

Tenha acesso ao Acervo de Novidades, com os últimos três lançamentos do selo Abre Parêntese

+ Receba livros mensalmente

Um livro digital novo a cada mês para você baixar

+ Acesso aos produtos do Matinal Jornalismo

Receba as newsletters Matinal News, Roger Lerina e revista Parêntese, além de conteúdos exclusivos no site

OU

Compre o livro que deseja

Você pode comprar qualquer um dos nossos títulos, individualmente, direto na Amazon

Assine o Clube Abre Parêntese e receba um livro digital por mês
OU

Compre o livro que deseja

Você pode comprar qualquer um dos nossos títulos, individualmente, direto na Amazon

Como funciona

Assine o Clube Abre Parêntese

Tenha acesso ao Acervo de Novidades, com os últimos três lançamentos do selo Abre Parêntese

+ Receba livros mensalmente

Um livro digital novo a cada mês para você baixar

+ Acesso aos produtos do Grupo Matinal Jornalismo

Receba as newsletters Matinal News, Roger Lerina e revista Parêntese, além de conteúdos exclusivos no site

OU

Compre o livro que deseja

Você pode comprar qualquer um dos nossos títulos, individualmente, direto na Amazon

Sobre o selo

Raízes e asas

Mais ou menos como quem abre as cortinas de ferro para posicionar os expositores de seu produto, para o distinto freguês olhar, se encantar e querer levar pra casa, eis-nos aqui abrindo a conversa sobre uma editora. Digital, como os textos que temos publicado na revista Parêntese. Tá servido, freguês? Queira mais, freguesa!

A revista, irmã da na newsletter Matinal e do site/newsletter Roger Lerina, tem já mais de dois anos de vida, e desde sempre nos cutucava a ideia de perenizar, na nobre forma do livro, muitos materiais que temos publicado. Entrevistas com pessoas extraordinárias, memórias tocantes, ensaios agudos, crônicas sensíveis, tendo como âncora a cidade de Porto Alegre e o Rio Grande do Sul, mas como horizonte o mundo todo.

Aliás, uma pequena declaração aqui: a revista e agora a editora se entendem nessa dinâmica nem sempre óbvia, de pertencerem profundamente ao seu contexto original, que não é hegemônico em nosso país, e de se conceberem como parte do mundo todo.

Jorge Luis Borges, aquele portenho que devia ter nascido em Porto Alegre, uma vez disse que como argentino se sentia como um morador de um subúrbio do Ocidente. Ele, um cosmopolita completo, sabia que a vida se dá a conhecer em cada canto, no assobio de um passante distraído na calçada em frente ou na complexa e verbosa enciclopédia. É uma questão de saber pensar.

(Ou como diz a sabedoria chinesa, que talvez seja indiana mas pode ser porto-alegrense: para os filhos, devemos oferecer raízes e asas.)

Cá estamos, prezado leitor, gentil leitora: está servido? Mais alguma coisa?

— Luís Augusto Fischer

Luís Augusto Fischer, editor

Conselho editorial da Abre Parêntese

Beatriz Sorrentino Marques (Filosofia _ UFMT)
Beatriz Sorrentino Marques

(Filosofia _ UFMT)

Dirce Waltrick do Amarante (Letras _ UFSC)
Dirce Waltrick do Amarante

(Letras _ UFSC)

Fernando Seffner (Educação _ UFRGS)
Fernando Seffner

(Educação _ UFRGS)

Homero Araújo (Letras _ UFRGS)
Homero Araújo

(Letras _ UFRGS)

Karina Lucena (Letras _ UFRGS)
Karina Lucena

(Letras _ UFRGS)

Mitieli da Silva Seixas (Filosofia _ UFSM)
Mitieli da Silva Seixas

(Filosofia _ UFSM)

Paulo Francisco Estrella Faria (Filosofia _ UFRGS)
Paulo Francisco Estrella Faria

(Filosofia _ UFRGS)

Paulo MacDonald (Direito e Filosofia _ UFRGS)
Paulo MacDonald

(Direito e Filosofia _ UFRGS)

Ronai Pires da Rocha (Filosofia / Educação _ UFSM)
Ronai Pires da Rocha

(Filosofia e Educação _ UFSM)

LANÇAMENTO DO MÊS

Pássaros da Cidade

Meses após o início do isolamento social em uma Porto Alegre tomada pela pandemia de coronavírus, Lúpino sente saudades de sua avó. Descontente com a suspensão da vida como conhecia e porque não consegue respostas objetivas dos adultos sobre quando-tudo-isso-vai-passar, o menino está descobrindo como lidar com a frustração e acontecimentos inesperados.

Em Pássaros da Cidade, Julia Dantas fala sobre curiosidade infantil, amizade intergeracional, família e paternidade, entrelaçando a história de uma criança de sete anos e a de um homem de 55. Discussões atuais, ligadas à raça e classe, aparecem como pano de fundo da história e iniciam conflitos e reflexões nos personagens.

Livraria

Tratado Geral da Reunião Dançante

Paulo Coimbra Guedes
junho

As 20 melhores entrevistas da Parêntese

Matinal Jornalismo (org.)
em breve

Seis estudos sobre Simões de Lopes Neto

Luís Augusto Fischer (org.)
em breve

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito