Matinal News

RS terá presídio para manter líderes criminosos isolados

Change Size Text
RS terá presídio para manter líderes criminosos isolados

O governador Ranolfo Vieira Júnior anunciou ontem a construção de um presídio com 76 vagas para o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) no Rio Grande do Sul. A nova cadeia dentro da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc) deve ficar pronta até o início de 2023, com custo de 29,3 milhões de reais. O objetivo é isolar detentos perigosos aqui mesmo no Estado, para não depender de presídios federais em casos de onda de violência – como a registrada nas últimas semanas. O anúncio foi feito logo depois que 13 líderes de organizações criminosas foram transferidos para prisões de segurança máxima em outras partes do País.

Quase metade do RS não registrou covid-19 na última semana

Dados da Secretaria Estadual da Saúde do RS analisados por GZH mostram que a pandemia de covid-19 está perdendo força no Estado. Dos 497 municípios gaúchos, 214 não registraram oficialmente nenhum novo caso da doença na última semana – 43% do total. Há cinco meses, análise semelhante apontou que um terço do Estado não tinha anotado infecções por coronavírus nos sete dias anteriores. Para especialistas, as doses de reforço ajudaram a diminuir as mortes, mas ainda é preciso aumentar a conscientização sobre a vacinação para deixar a situação tranquila. Em Porto Alegre, quem tem 27 anos ou mais já pode tomar a quarta dose do imunizante contra a covid-19.


Especialistas apontam desfecho incerto no primeiro turno presidencial

Um cenário estável, sem espaço para grandes reviravoltas, mas com desfecho incerto. É assim que cientistas políticos ouvidos pelo Matinal avaliam a disputa ao Planalto a menos de 20 dias do 1º turno. Para eles, o contexto atípico de enfrentamento entre Lula (PT) e Bolsonaro (PL), dois nomes conhecidos, com bases fortes, oferece protagonismo aos eleitores dos demais candidatos. Entender o movimento desses votos na reta final, entretanto, é complexo –  o que dificulta a projeção de resultado das urnas.

Benedito Tadeu César, professor aposentado de Ciência Política da UFRGS e diretor da Rede Estação Democracia, afirma que a possibilidade do voto útil, a influência das fake news e a rejeição aos candidatos ainda podem alterar votos. “Aquilo que parecia ser um passeio de Lula sobre Bolsonaro, não está assim”.

Para Céli Pinto, professora emérita da UFRGS e doutora em Ciência Política, Lula não receberá votos de Ciro e Tebet em quantidade suficiente para vencer já no 1º turno. Ela acredita que as possibilidades de alteração do voto estão esgotadas. “Tenho a sensação que as eleições já estão muito encaminhadas”.

Visão semelhante tem Augusto Neftali de Oliveira, professor da Escola de Humanidades da PUCRS, que vê pouca margem para mudanças nas últimas semanas por conta da disputa peculiar entre um presidente e um ex-presidente, algo que reduz a influência da campanha eleitoral. Segundo o pesquisador, o voto em candidatos sem chance de ir ao 2º turno pode ser entendidos como “uma mensagem” para os líderes nas pesquisas.

Rodrigo Gonzalez, professor do departamento de Ciência Política da UFRGS, avalia que a corrida presidencial está sendo marcada por um alto grau de consolidação, cenário difícil de ser alterado sem um “elemento novo e inesperado” com potencial de alterar os votos.

Leia a análise completa dos cientista políticos


Renúncias de candidaturas no RS crescem nas eleições de 2022

Após um mês de campanha, 50 nomes inicialmente registrados estão fora da disputa eleitoral no Estado. Foram 40 renúncias e nove candidaturas rejeitadas, além da morte de um candidato a deputado federal em acidente de trânsito. Os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontam 1.433 pedidos de candidaturas no Rio Grande do Sul – com 1.383 nomes ainda na corrida. É o recorde de concorrentes em eleições gerais, superando em 11% o total de registros do pleito de 2018. Segundo o TSE, o número de candidatos à reeleição no RS caiu de 78 na eleição passada para 66 na atual campanha. Leia a reportagem completa no site do Matinal.

Mais sobre eleições:


Outros links:

  • O STF debate hoje os impactos bilionários da redução da base do ICMS nos Estados. O RS terá como representantes o procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha da Costa, e o secretário da Fazenda, Leonardo Busatto.
  • A série de encontros para debater o plano de expansão da rede cicloviária da Capital foi concluída. Uma ciclovia na Sertório é apontada como prioritária no momento.
  • A Prefeitura vai contratar uma empresa para plantar e manter 5.420 árvores em Porto Alegre. Parte vai para a Zona Norte, onde há falta de plantas, e o resto é para áreas de preservação permanente.
  • As causas do incêndio que destruiu dois piquetes no Acampamento Farroupilha, na madrugada de quinta, serão investigadas. Felizmente, nenhuma pessoa ficou ferida.
  • Duas queijarias gaúchas receberam a primeira Indicação Geográfica (IG) do País para o Queijo Artesanal Serrano. O selo indica que o produto é único no mundo.
  • Juremir Machado: “Aos 53 anos, Camargo era um homem atraente, vistoso, em boa forma física, ‘bem apessoado’, como gostava de dizer a sua irmã mais velha, sempre orgulhosa do caçula”. A crônica completa está aqui.

Carta da Editora

A eleição do shortinho

“Fiquem atentos às roupas de suas filhas, pois a partir de segunda-feira (12/9), não será permitido a entrada de roupas inapropriadas como: shorts, miniblusas, tops, croppeds… Att, Direção”.

Esse bilhete não veio de um passado longínquo. Foi entregue a alunas de uma escola municipal de Capão da Canoa na semana passada. Em 2022. Mais ou menos seis décadas desde quando a minissaia ganhou as ruas de Londres – e noventa anos desde a liberação do voto feminino no Brasil.

E o que tem a ver o c* com as calças (ou com os shorts)? Desculpa o palavreado (e o trocadilho barato), é que isso me deixa p da vida. Mas voltemos ao tema. A roupa das estudantes de Capão e as eleições. 

Leia aqui a coluna completa da editora Marcela Donini.


Cultura

3º Festival Internacional de Videodança reúne obras de 27 países na Fundação Ecarta

Reprodução: Martín Reyes e Catalina Balcázar

Até domingo (18/9), a Fundação Ecarta exibe as obras selecionadas para o 3º Festival Internacional de Videodança, reunindo 47 trabalhos produzidos em 27 países e 16 estados brasileiros. O repórter Ricardo Romanoff conversou com as organizadoras do evento, Carmen Hoffmann e Rosângela Fachel, sobre a linguagem da videodança e a trajetória do festival. Leia a entrevista.

Bom dia! Na Matinal News de hoje, cientistas políticos analisam a corrida presidencial restando pouco mais de duas semanas para o primeiro turno. E ainda: a construção de um presídio para manter líderes criminosos em isolamento no Estado e a boa notícia de que quase metade do RS não registrou covid-19 na última semana.

Na edição 143 da Parêntese, uma entrevista com o artista plástico Eduardo Vieira da Cunha, dono de uma grande produção pictórica. Demétrio Xavier – acompanhado das fotos de Eurico Salis – escreve sobre gauchismo, tema que também serve a Jocelito Zalla ao ensaiar sobre Simões Lopes Netto. Inajara dos Santos Pereira discute dois nomes históricos em um só personagem. Taiasmin Ohnmacht aborda sua participação no festival literário Filigram, em Gramado. E Antônio Padeiro propõe um nome de rua para o bairro Moinhos de Vento. Essas histórias e outras mais chegam sábado no seu e-mail. Assine!

Previsão do tempo: Sol e temperatura agradável por todo o Rio Grande do Sul nesta sexta. Em Porto Alegre, mínima de 13°C e máxima de 22°C.

Esta é uma versão reduzida da Matinal News. Com uma assinatura premium, você recebe a newsletter completa e tem acesso a todo o nosso conteúdo exclusivo. Além disso, ajuda o jornalismo local a se manter vivo em Porto Alegre.
Quero receber a edição completa

Especialistas apontam desfecho incerto no primeiro turno presidencial
Um cenário estável, sem espaço para grandes reviravoltas, mas com desfecho incerto. É assim que cientistas políticos ouvidos pelo Matinal avaliam a disputa ao Planalto a menos de 20 dias do 1º turno. Para eles, o contexto atípico de enfrentamento entre Lula (PT) e Bolsonaro (PL), dois nomes conhecidos, com bases fortes, oferece protagonismo aos eleitores dos demais candidatos. Entender o movimento desses votos na reta final, entretanto, é complexo – o que dificulta a projeção de resultado das urnas.

Benedito Tadeu César, professor aposentado de Ciência Política da UFRGS e diretor da Rede Estação Democracia, afirma que a possibilidade do voto útil, a influência das fake news e a rejeição aos candidatos ainda podem alterar votos. “Aquilo que parecia ser um passeio de Lula sobre Bolsonaro, não está assim”.

Para Céli Pinto, professora emérita da UFRGS e doutora em Ciência Política, Lula não receberá votos de Ciro e Tebet em quantidade suficiente para vencer já no 1º turno. Ela acredita que as possibilidades de alteração do voto estão esgotadas. “Tenho a sensação que as eleições já estão muito encaminhadas”.

Visão semelhante tem Augusto Neftali de Oliveira, professor da Escola de Humanidades da PUCRS, que vê pouca margem para mudanças nas últimas semanas por conta da disputa peculiar entre um presidente e um ex-presidente, algo que reduz a influência da campanha eleitoral. Segundo o pesquisador, o voto em candidatos sem chance de ir ao 2º turno pode ser entendidos como “uma mensagem” para os líderes nas pesquisas.

Rodrigo Gonzalez, professor do departamento de Ciência Política da UFRGS, avalia que a corrida presidencial está sendo marcada por um alto grau de consolidação, cenário difícil de ser alterado sem um “elemento novo e inesperado” com potencial de alterar os votos.

Leia a análise completa dos cientista políticos
Renúncias de candidaturas no RS crescem nas eleições de 2022 – Após um mês de campanha, 50 nomes inicialmente registrados estão fora da disputa eleitoral no Estado. Foram 40 renúncias e nove candidaturas rejeitadas, além da morte de um candidato a deputado federal em acidente de trânsito. Os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontam 1.433 pedidos de candidaturas no Rio Grande do Sul – com 1.383 nomes ainda na corrida. É o recorde de concorrentes em eleições gerais, superando em 11% o total de registros do pleito de 2018. Segundo o TSE, o número de candidatos à reeleição no RS caiu de 78 na eleição passada para 66 na atual campanha. Leia a reportagem completa no site do Matinal.

Mais sobre eleições:

O TRE-RS concedeu direito de resposta ao PT durante a propaganda da Comandante Nádia (PP). Na semana passada, o tribunal garantiu espaço para Eduardo Leite na exibição de Edegar Pretto (PT).
A Justiça Eleitoral gaúcha inicia nesta sexta a carga nas urnas eletrônicas que serão usadas na eleição. E o TSE informou que o teste de integridade do sistema também será feito no RS.
Equipes do Datafolha estão sendo hostilizadas ao fazerem pesquisa eleitoral. No RS, um pesquisador foi levado para averiguação por um policial que se identificou como eleitor de Bolsonaro.
O comício de Lula em Porto Alegre nesta sexta terá atenção especial à segurança. Ontem, uma nova pesquisa mostrou que o ex-presidente continua na frente da disputa.
O que mais você precisa saber hoje

RS terá presídio para manter líderes criminosos isolados – O governador Ranolfo Vieira Júnior anunciou ontem a construção de um presídio com 76 vagas para o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) no Rio Grande do Sul. A nova cadeia dentro da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc) deve ficar pronta até o início de 2023, com custo de 29,3 milhões de reais. O objetivo é isolar detentos perigosos aqui mesmo no Estado, para não depender de presídios federais em casos de onda de violência – como a registrada nas últimas semanas. O anúncio foi feito logo depois que 13 líderes de organizações criminosas foram transferidos para prisões de segurança máxima em outras partes do País.

Quase metade do RS não registrou covid-19 na última semana – Dados da Secretaria Estadual da Saúde do RS analisados por GZH mostram que a pandemia de covid-19 está perdendo força no Estado. Dos 497 municípios gaúchos, 214 não registraram oficialmente nenhum novo caso da doença na última semana – 43% do total. Há cinco meses, análise semelhante apontou que um terço do Estado não tinha anotado infecções por coronavírus nos sete dias anteriores. Para especialistas, as doses de reforço ajudaram a diminuir as mortes, mas ainda é preciso aumentar a conscientização sobre a vacinação para deixar a situação tranquila. Em Porto Alegre, quem tem 27 anos ou mais já pode tomar a quarta dose do imunizante contra a covid-19.

Outros links:

O STF debate hoje os impactos bilionários da redução da base do ICMS nos Estados. O RS terá como representantes o procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha da Costa, e o secretário da Fazenda, Leonardo Busatto.
A série de encontros para debater o plano de expansão da rede cicloviária da Capital foi concluída. Uma ciclovia na Sertório é apontada como prioritária no momento.
A Prefeitura vai contratar uma empresa para plantar e manter 5.420 árvores em Porto Alegre. Parte vai para a Zona Norte, onde há falta de plantas, e o resto é para áreas de preservação permanente.
As causas do incêndio que destruiu dois piquetes no Acampamento Farroupilha, na madrugada de quinta, serão investigadas. Felizmente, nenhuma pessoa ficou ferida.
Duas queijarias gaúchas receberam a primeira Indicação Geográfica (IG) do País para o Queijo Artesanal Serrano. O selo indica que o produto é único no mundo.
Juremir Machado: “Aos 53 anos, Camargo era um homem atraente, vistoso, em boa forma física, ‘bem apessoado’, como gostava de dizer a sua irmã mais velha, sempre orgulhosa do caçula”. A crônica completa está aqui.

Carta da Editora
A eleição do shortinho
“Fiquem atentos às roupas de suas filhas, pois a partir de segunda-feira (12/9), não será permitido a entrada de roupas inapropriadas como: shorts, miniblusas, tops, croppeds… Att, Direção”.

Esse bilhete não veio de um passado longínquo. Foi entregue a alunas de uma escola municipal de Capão da Canoa na semana passada. Em 2022. Mais ou menos seis décadas desde quando a minissaia ganhou as ruas de Londres – e noventa anos desde a liberação do voto feminino no Brasil.

E o que tem a ver o c* com as calças (ou com os shorts)? Desculpa o palavreado (e o trocadilho barato), é que isso me deixa p da vida. Mas voltemos ao tema. A roupa das estudantes de Capão e as eleições.

Leia aqui a coluna completa da editora Marcela Donini.

CONTEÚDO PUBLICITÁRIO
Publicidade – Unisinos
Cultura
3º Festival Internacional de Videodança reúne obras de 27 países na Fundação Ecarta

Reprodução: Martín Reyes e Catalina Balcázar
Até domingo (18/9), a Fundação Ecarta exibe as obras selecionadas para o 3º Festival Internacional de Videodança, reunindo 47 trabalhos produzidos em 27 países e 16 estados brasileiros. O repórter Ricardo Romanoff conversou com as organizadoras do evento, Carmen Hoffmann e Rosângela Fachel, sobre a linguagem da videodança e a trajetória do festival. Leia a entrevista.

Agenda (🔒)

Hoje
13ª Bienal do Mercosul está aberta ao público até 20 de novembro, reunindo 100 artistas, oito dos quais atuam no RS – leia a matéria da repórter Roberta Requia.

Sábado (17/9)
A OSPA apresenta o concerto A Noite dos Maias, às 17h, na Casa da OSPA, com regência do maestro venezuelano Rodolfo Saglimbeni e solo do violinista italiano Davide Alogna.

Domingo (18/9)
Orquestra de Câmara da Ulbra sobe ao palco do Theatro São Pedro com Nei Lisboa, às 18h e 20h.

Para receber todas as dicas culturais do Roger Lerina enviadas aos assinantes premium do Matinal, assine aqui.

Receba a agenda completa


Você ouviu?

O podcast O Assunto, do portal G1, tratou dos ataques sofridos recentemente pela jornalista Vera Magalhães. O programa mostra que esse tipo de agressão não é um caso isolado, mas parte de um problema brasileiro: a violência política de gênero. Em conversa com Renata Lo Prete, a antropóloga Isabela Kalil explica que diversas ofensas dirigidas a mulheres envolvem insinuações de caráter sexual e comentários que insultam o intelecto ou a aparência física para “perturbar o debate público”. Clique aqui para ouvir.

RELACIONADAS
;

Esqueceu sua senha?

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.