Reportagem

BID nega pedido de Melo para suspensão de dívida da prefeitura

Change Size Text
BID nega pedido de Melo para suspensão de dívida da prefeitura SMPAE não respondeu sobre outros bancos com os quais Porto Alegre tem contratos de empréstimo. Foto: Giulian Serafim/PMPA

Uma das oito instituições financeiras às quais a prefeitura de Porto Alegre pediu a suspensão temporária de pagamento de dívidas, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) negou o apelo do prefeito Sebastião Melo (MDB).

“Informamos que infelizmente tal solicitação não pode ser atendida, uma vez que o contrato de empréstimo não contempla a possibilidade de suspensão do pagamento das prestações de amortização, juros e demais encargos financeiros aplicáveis”, comunicou o banco, em carta endereçada a Melo, no final de maio, à qual a Matinal teve acesso.

O contrato se refere a um empréstimo de 83,2 milhões de dólares contraído em 2009 para o Programa Integrado Socioambiental de Porto Alegre, que tinha o objetivo de aumentar a capacidade de tratamento de esgoto no município. As principais obras apoiadas por esse investimento foram os sistemas Sarandi e Ponta da Cadeia, empreendimentos que faziam parte de um projeto mais amplo
de despoluição do Guaíba, do Rio dos Sinos, e rio Gravataí, com financiamento federal e da prefeitura, além do financiamento do BID.

“Os pagamentos devem ser realizados em conformidade com o cronograma de amortização acordado conforme previsto no contrato de empréstimo em vigor”, informou a instituição, depois de manifestar sua solidariedade “a todos os cidadãos que foram atingidos e que estão passando por momentos tão difíceis” e de reiterar o “compromisso de apoio ao Município de Porto Alegre para colaborar em medidas de superação dos desafios que se apresentam”.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria Municipal de Planejamento e Assuntos Estratégicos (SMPAE), pasta que formalizou o pedido de suspensão das dívidas, para consultar sobre as respostas dos outros bancos com os quais Porto Alegre tem contratos de empréstimo, mas o órgão não retornou até o fechamento desta notícia.

Além do BID, a prefeitura solicitou pausa no pagamento de parcelas também a seis instituições brasileiras – Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Banrisul, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e Badesul – e internacionais à Corporación Andina de Fomento (CAF).

À Matinal a SMPAE havia dito que a perspectiva era de compreensão sobre a gravidade do problema, e que as instituições financeiras permitissem algum tipo de protelação das dívidas. “A arrecadação municipal deve diminuir significativamente, visto que precisamos lançar mão de todo o recurso possível para providências essenciais de recuperação da infraestrutura da cidade”, explicou o titular da pasta, Cezar Schirmer, quando a prefeitura anunciara o pedido.

Um dos especialistas ouvidos pela reportagem havia adiantado a improbabilidade da aceitação, por parte dos bancos. “Creio que deveria ocorrer um novo financiamento, mais expressivo, de uma instituição como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, que desse conta não apenas da necessidade de recursos, como também de dar sequência nos financiamentos existentes”, disse o professor Róber Iturriet Ávila à Matinal, na semana passada.

Carta enviada pelo BID a Melo, à qual a reportagem teve acesso.
Gostou desta reportagem? Garanta que outros assuntos importantes para o interesse público da nossa cidade sejam abordados: apoie-nos financeiramente!

O que nos permite produzir reportagens investigativas e de denúncia, cumprindo nosso papel de fiscalizar o poder, é a nossa independência editorial.

Essa independência só existe porque somos financiados majoritariamente por leitoras e leitores que nos apoiam financeiramente.

Quem nos apoia também recebe todo o nosso conteúdo exclusivo: a versão completa da Matinal News, de segunda a sexta, e as newsletters do Juremir Machado, às terças, do Roger Lerina, às quintas, e da revista Parêntese, aos sábados.

Apoie-nos! O investimento equivale ao valor de dois cafés por mês.
Se você já nos apoia, agradecemos por fazer parte da rede Matinal! e tenha acesso a todo o nosso conteúdo.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Se você já nos apoia, agradecemos por fazer parte da rede Matinal! e tenha acesso a todo o nosso conteúdo.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

Gostou desta reportagem? Ela é possível graças a sua assinatura.

O dinheiro investido por nossos assinantes premium é o que garante que possamos fazer um jornalismo independente de qualidade e relevância para a sociedade e para a democracia. Você pode contribuir ainda mais com um apoio extra ou compartilhando este conteúdo nas suas redes sociais.
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

Se você já é assinante, obrigada por estar conosco no Grupo Matinal Jornalismo! Faça login e tenha acesso a todos os nossos conteúdos.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
RELACIONADAS
;

Esqueceu sua senha?

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.