Reportagem

Calor atípico e ruas alagadas devem elevar casos de dengue em Porto Alegre

Change Size Text
Calor atípico e ruas alagadas devem elevar casos de dengue em Porto Alegre Água parada e acúmulo de lixos podem contribuir para proliferação do mosquito transmissor. Foto: Geovana Benites/Matinal

Junho deve ter temperaturas elevadas para essa época do ano, segundo a MetSul Meteorologia. Nas primeiras duas semanas do mês, o calor e o ar seco devem tomar conta, com o potencial de aumentar o número dos casos de dengue em Porto Alegre.

Conforme boletim epidemiológico divulgado nesta quarta-feira (5) pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a capital já registra 6.386 casos confirmados de dengue desde o início do ano – número maior em relação ao mesmo período de 2023, que teve 5.621 confirmações. Com o calor chegando e ruas ainda alagadas oferecendo focos de água parada para o mosquito pode se proliferar, a tendência é que os casos aumentem. 

“Já estávamos com infestação vetorial enorme, mesmo sem inundações, agora com o retorno do calor, em uma época não comum na nossa região, é um prato cheio para a proliferação do mosquito”, explica a enfermeira Raquel Rosa, que integra a Diretoria de Vigilância em Saúde (DVS) de Porto Alegre.

O Aedes aegypti, mosquito responsável pela transmissão da dengue, tende a ser mais ativo em climas quentes. Com o aumento da temperatura, o tempo de incubação do vírus dentro do mosquito diminui, acelerando o ciclo de transmissão. Em condições mais quentes, o período de incubação pode cair de 10 dias para seis ou sete, aumentando o potencial de propagação da doença.

Segundo a MetSul, as temperaturas mínimas registradas no estado já foram consideravelmente superiores, e cidades que, na terça-feira (4), registraram temperaturas em torno de 0ºC ou mais baixas, na quarta não caíram abaixo de 10ºC durante a madrugada. Na região sul de Porto Alegre, a mínima foi de 10,6ºC.

Na capital, a temperatura máxima média registrada historicamente em junho é de 20,3ºC – conforme a série de dados de 1991 a 2020. No entanto, marcas entre 25ºC e 29ºC serão comuns nas duas primeiras semanas do mês.

Impacto da enchente será percebido ao longo do mês

Com os focos de dengue em alta e o calor chegando, a previsão é que a média de pessoas apresentando sintomas aumente em cerca de 7 a 10 dias.

Conforme levantamento da SMS, os números de casos confirmados nas duas últimas semanas de maio ficaram abaixo do mesmo período em 2023. 

Entretanto, a queda se dá pela insuficiência temporária de insumos, que resultou em atrasos nos diagnósticos laboratoriais, não significando necessariamente melhora no cenário epidemiológico.

De abril a maio deste ano, os casos de dengue aumentaram em cerca de 50%, porém. Segundo o boletim de 5 de maio, contudo, os dados podem ainda não apresentar as consequências reais da enchente na cidade. “Com a chegada de parte dos insumos, muitas amostras que estavam represadas já foram analisadas, mas o processamento retroativo permanece em curso, de forma que ainda poderá haver aumento de casos confirmados, conforme a data de início de sintomas”, informa o documento.

Os impactos da enchente na cidade devem ganhar evidência somente nos levantamentos divulgados a partir do final do mês, conforme explica Raquel: “Poderemos sim ter um novo aumento, um novo pico, e as pessoas podem começar a adoecer daqui uma semana, 10 dias, e isso vai se repetir nos gráficos dentro de 20 a 30 dias.” 

Acúmulo de lixo pode agravar a situação 

Os bairros que sofreram com a enchente em Porto Alegre estão na fase de limpeza das casas, e os resíduos descartados permanecem nas calçadas até a retirada pelo Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU). 

Ao mesmo tempo, em ruas onde ainda é preciso lidar com água parada, como é o caso do Sarandi – conforme mostrou reportagem da Matinal –, o espaço ainda é dividido com os entulhos. 

Conforme orientação do município, é essencial que a população realize a limpeza dos pátios e elimine resíduos para prevenir a formação de criadouros do vetores da dengue, o que inclui, entre outras medidas, remover o lixo, cuidar das plantas e cobrir recipientes que possam acumular água da chuva.


Fale com a repórter: [email protected]

Gostou desta reportagem? Garanta que outros assuntos importantes para o interesse público da nossa cidade sejam abordados: apoie-nos financeiramente!

O que nos permite produzir reportagens investigativas e de denúncia, cumprindo nosso papel de fiscalizar o poder, é a nossa independência editorial.

Essa independência só existe porque somos financiados majoritariamente por leitoras e leitores que nos apoiam financeiramente.

Quem nos apoia também recebe todo o nosso conteúdo exclusivo: a versão completa da Matinal News, de segunda a sexta, e as newsletters do Juremir Machado, às terças, do Roger Lerina, às quintas, e da revista Parêntese, aos sábados.

Apoie-nos! O investimento equivale ao valor de dois cafés por mês.
Se você já nos apoia, agradecemos por fazer parte da rede Matinal! e tenha acesso a todo o nosso conteúdo.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Se você já nos apoia, agradecemos por fazer parte da rede Matinal! e tenha acesso a todo o nosso conteúdo.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

Gostou desta reportagem? Ela é possível graças a sua assinatura.

O dinheiro investido por nossos assinantes premium é o que garante que possamos fazer um jornalismo independente de qualidade e relevância para a sociedade e para a democracia. Você pode contribuir ainda mais com um apoio extra ou compartilhando este conteúdo nas suas redes sociais.
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

Se você já é assinante, obrigada por estar conosco no Grupo Matinal Jornalismo! Faça login e tenha acesso a todos os nossos conteúdos.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
RELACIONADAS
;

Esqueceu sua senha?

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.