Reportagem

Após denúncia do Matinal, Brigada Militar e Conselho de Medicina investigam uso de proxalutamida em hospital da Capital

Change Size Text
Após denúncia do Matinal, Brigada Militar e Conselho de Medicina investigam uso de proxalutamida em hospital da Capital Experimento irregular com o fármaco foi realizado em março com pacientes com Covid no Hospital da BM de Porto Alegre (Foto: Osmar Nólibus / BM)

Reportagem revelou que remédio foi testado em pacientes com Covid internados no Hospital da BM sem autorização da Anvisa nem da Conep

O comando da Brigada Militar e o Conselho Regional de Medicina do RS (Cremers) determinaram nesta quarta-feira a abertura de sindicâncias internas para investigar as denúncias de experimentos com proxalutamida no hospital da polícia militar gaúcha. O caso foi revelado em reportagem do Matinal publicada na véspera, que denunciou experimentos em seres humanos com proxalutamida, um antiandrogênico sem aprovação comercial de uso em nenhum lugar no mundo. Sem autorização para a importação do medicamento e testá-lo em pessoas, os médicos Ricardo Zimerman e Flávio Cadegiani rodaram o estudo em pacientes internados com Covid-19 no Hospital da Brigada Militar de Porto Alegre, com autorização do comando-geral da Brigada. 

Em nota à imprensa, o comando da BM disse que determinou a abertura de sindicância apesar de “informações preliminares do Departamento de Saúde” da instituição “darem conta” de que o estudo teria obedecido às exigências dos órgãos competentes, como a Anvisa e a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). A nota da BM vai na contramão de declarações do próprio coordenador da Conep, Jorge Venâncio, à imprensa: “Neste caso, não houve nenhum pedido de realização de estudo nesse hospital com essa droga, a proxalutamida. Então nossa avaliação é que o estudo está inteiramente irregular”, disse Venâncio, em entrevista à Band RS sobre o caso. 

Ao G1, a Conep também confirmou a informação revelada pelo Matinal, de que a Comissão desconhecia a realização dos estudos e que só soube do caso após a publicação da reportagem. Já a Anvisa ainda não se manifestou sobre o caso.

O Ministério Público Federal também abriu um inquérito para investigar as denúncias nas esferas cível e criminal.

Conselho médico apura infração ética

O Cremers, que é o responsável por fiscalizar o exercício da medicina no estado, afirmou que abriu uma sindicância “para investigar as graves denúncias e a existência de ilícito ético” reveladas pelo Matinal. A partir de agora, o órgão colherá mais informações nos próximos seis meses, prazo-limite para uma eventual denúncia. 

“A sindicância abrange todas as pessoas denunciadas e informações relatadas na matéria, e vai eventualmente enquadrar, se confirmados indícios mais robustos, a abertura de um processo ético-profissional”, disse Eduardo Trindade, vice-presidente do Cremers. Por lei, esse tipo de apuração corre em sigilo e pode ter consequências que vão de sanções confidenciais até a cassação do registro médico, o que é raro e só ocorre com chancela do Conselho Federal de Medicina. 

Com isso, o infectologista Ricardo Zimerman, coordenador do experimento com seres humanos denunciado pelo Matinal, pode responder a processos nas esferas cível e criminal, com base em representações do Ministério Público, e na esfera ética-profissional, por meio da apuração do Conselho Regional de Medicina.

Gostou desta reportagem? Garanta que outros assuntos importantes para a sociedade gaúcha sejam abordados: seja nosso assinante.

Reportagens investigativas e de grande importância para a democracia como esta só são possíveis graças ao investimento dos nossos assinantes premium. Além disso, os nossos assinantes premium têm acesso a todo o conteúdo do Roger Lerina, à revista Parêntese, à versão completa da NewsMatinal, a descontos nos nossos cursos e a muito mais. Com o preço de dois cafezinhos por dia você tem mais informação, cultura e ainda ajuda o jornalismo local independente. Assine!
Se você já é assinante, obrigada por estar conosco no Grupo Matinal Jornalismo! Faça login e tenha acesso a todos os nossos conteúdos.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Se você já é assinante, obrigada por estar conosco no Grupo Matinal Jornalismo! e tenha acesso a todos os nossos conteúdos.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

Gostou desta reportagem? Ela é possível graças a sua assinatura.

O dinheiro investido por nossos assinantes premium é o que garante que possamos fazer um jornalismo independente de qualidade e relevância para a sociedade e para a democracia. Você pode contribuir ainda mais com um apoio extra ou compartilhando este conteúdo nas suas redes sociais.
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Se você já é assinante, obrigada por estar conosco no Grupo Matinal Jornalismo! e tenha acesso a todos os nossos conteúdos.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
RELACIONADAS

Esta reportagem é financiada pelo investimento de nossos assinantes. Assine o Matinal e ajude-nos a produzir um jornalismo independente e de qualidade.

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.