Agenda | Teatro

Cultura e ancestralidade negra são destaques no 16º Festival Palco Giratório Sesc

Change Size Text
Cultura e ancestralidade negra são destaques no 16º Festival Palco Giratório Sesc "Emaranhada". Foto: Daniel Falcão
Raízes, ancestralidade, religiosidade, identidade. Com temáticas a respeito da cultura negra, três espetáculos chegam ao 16º Festival Palco Giratório Sesc com convites à reflexão. Nos dias 20 e 21 de maio, a atriz Amarilis Irani sobe ao palco da Sala Álvaro Moreyra (Av. Erico Verissimo, 307, Bairro Menino Deus), com a peça Emaranhada, onde retorna às suas origens e evoca Mavi, uma menina inventora de palavras, braços e mãos tagarelas, dona de uma cabeleira enorme. Numa fascinante saga de empoderamento feminino, a personagem faz dos cabelos o caminho para encontrar aceitação. O teatro tem classificação livre e terá sessões às 15h, com ingressos esgotados.   No domingo (22/5) poemas da artista porto-alegrense Preta Mina tomam outra forma na performance Preta Mina: O Fim do Silêncio, o Eco do Incômodo. Em cena, esta mulher trabalha nove caminhos, nove ramificações da mesma raiz, nove paradas por suas próprias histórias, nove reflexões, nove falas, nove portas em que descobre os desdobramentos de ser preta e brasileira. Para quem quiser acompanhar, a obra será apresentada às 19h, no Teatro Renascença (Av. Erico Verissimo, 307, Bairro Menino Deus). Nesta sexta e sábado, o Grupo Magiluth, de Pernambuco, estará no Teatro Sesc Alberto Bins (Av. Alberto Bins, 665, Centro), com Estudo Nº 1: Morte e Vida, que analisa cenicamente a trajetória de imigrantes que deixam o sertão nordestino e seguem o caminho do rio, em busca de melhores condições de vida e trabalho.  Direto de Pelotas, a Cia de Dança Afro Daniel Amaro performa A Reminiscência dos Tambores do Corpo no Âmago dos Homens Ifá na Crença do Maria, Marias, nos dias 24 e 25, às 19h, também na Sala Álvaro Moreyra. O espetáculo aborda a retirada dos negros da África até a contemporaneidade brasileira, agregando movimentos de dança, ritmos e religiosidade da cultura africana.  Por conta da chuva no último final de semana, a arte circense de História de Circo Sem Lona (TIA Teatro RS) estará no Parque Farroupilha neste sábado (21/5), às 14h. A participação é gratuita e livre para todas as idades. A Redenção será espaço, ainda, para que Odelta Simonetti apresente a peça Um Dia, Uma Palhaça, no dia 22, às 11h e para a companhia Oigalê, às 13h, encantar e divertir com Circo de Horrores e Maravilhas. A programação completa do Palco Giratório, que segue até o dia 29 de maio, pode ser conferida no site.

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

sábado, 21 a 22 de maio de 2022

Muito legal ficar sabendo de tudo o que acontece na cidade, né?
Este conteúdo é exclusivo para assinantes e é por causa da sua valiosa contribuição que você tem acesso a tudo o que está rolando de mais legal nas artes, e isso tudo através da curadoria do jornalista Roger Lerina. Se você valoriza este conteúdo, compartilhe nas suas redes sociais para que mais gente tenha contato com o melhor da Cultura.
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Se você já é assinante, obrigada por estar conosco no Grupo Matinal Jornalismo! e tenha acesso a todos os nossos conteúdos.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

PUBLICIDADE