Literatura | Notas

“O Tempo Como Verbo” ganha trilha sonora e livro de contos

Change Size Text
“O Tempo Como Verbo” ganha trilha sonora e livro de contos "O Fim do Presente"/Divulgação

O projeto O Tempo Como Verbo, idealizado pelo Instituto Cultural Torus, que completa ao todo oito produtos artísticos, acaba de ganhar a trilha sonora Sete Infinitudes e o livro de contos O Fim do Presente. As duas produções foram inspiradas na exposição virtual que pode ser acessada pelo site do Torus, na qual fotografias, vídeos e esculturas trazem reflexões sobre as multifacetadas dimensões do tempo. 

O Fim do Presente possui sete contos, cada um baseado em uma das obras da exposição. Vitor Diel, responsável por selecionar os autores, explica que a proposta foi reunir nomes com uma escrita potente, importante e representativa da diversidade da literatura gaúcha. Os escolhidos para fazer parte da coletânea foram Jeferson Tenório, Davi Kotek, Taiasmin Ohnmacht, Juliana Maffeis, José Falero, Atena Beauvoir e Marian Pessah.

Todos tiveram a liberdade para usar a obra como gatilho criativo, como um elemento narrativo explícito ou indireto. “Receber os contos e poder executar a primeira leitura foi motivo de muita alegria e surpresa: autores que eu imaginava que teriam uma abordagem escolheram um caminho surpreendente, trazendo novas camadas de interpretação às obras e ampliando o seu significado ainda mais”, conta Vitor, que também assina um dos textos. 

O material é bipartido, trazendo do lado oposto um catálogo da exposição, com imagens das obras, reflexões de Laura Cattani e Munir Klamt, e ensaios sobre os artistas de Juliana Proenço. O artista Guilherme Dable é o responsável pela parte gráfica e intervenções nas imagens.

Para acompanhar a leitura, temos a trilha Sete Infinitudes desenvolvida por Caio Amon que propôs uma outra forma de pensar as obras. Ele conta que, ao longo do processo de produção, descobriu que estava fazendo uma “arqueologia sonora”. Através da música, Caio visitou lugares sonoros abandonados que, com a chegada do ouvinte, despertam e revivem parte de seu passado. 

“Nossa ideia é proporcionar uma experiência que transporte a outros lugares e eras imaginárias pela música. Em uma das faixas, por exemplo, este lugar é o fundo do mar, com um batalhão de mil afogados que despertam de seus sonhos de aventura para nos saudar antes de voltar para as profundezas do oceano. Em outra faixa, estamos na Terra de um período primordial em que um meteoro quase extermina a vida”, destaca. A trilha pode ser encontrada no Soundcloud e no YouTube.  

Já o livro está disponível no site do Instituto Cultural Torus em versão digital com edição limitada de 500 exemplares. Além disso, 300 livros serão impressos e encaminhados para bibliotecas e instituições de arte e ensino (50 unidades), contemplando nove regiões do Rio Grande do Sul, além de serem distribuídos entre os artistas e autores do projeto (80 exemplares). As obras restantes ficarão disponíveis no site, podendo ser enviadas a qualquer parte do país ou exterior, tendo apenas o custo das tarifas de envio para quem tiver interesse em adquiri-lo.

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito