Música, Notas

Tiago Araripe comemora 70 anos com álbum “Terramarear”

Change Size Text
Tiago Araripe comemora 70 anos com álbum “Terramarear” Foto: Líbia Fiorentino/Divulgação

Nesta segunda-feira (26/7), chega nas plataformas digitais Terramarear, terceiro álbum autoral de Tiago Araripe. “Agora que me aproximo dos 70 anos, pensei em celebrar as sete décadas de vida com o maior número possível de amigos, mesmo à distância. Pessoas espalhadas em diversos lugares do mundo, mas perto do coração”, comenta o artista, que desde 2018 vive em Bombarral, pequena vila que fica ao norte de Lisboa, em Portugal.

Ao todo, Terramarear reúne 37 artistas, sendo 5 músicos portugueses; 2 músicos africanos: um da ilha da Martinica (Karlos Rotsen, piano em Tudo no Lugar) e outro da ilha de Madagascar (Tahina Rahary, produção musical, violão, flauta, congas, palmas e coro em Abracadabra e Calar pelos Cotovelos); e 6 participações especiais: Isadora Melo, Marcos Lessa, Nonato Luiz, Vânia Bastos, Zeca Baleiro e a cantora portuguesa Mara

O álbum também reúne 5 parcerias: com Zeca Baleiro, Rogério Franco, Marcos Lessa, Juliano Holanda e Nonato Luiz; e 8 produtores musicais: Adelson Viana, Caio Castelo, Cristiano Pinho, Jefferson Portela, Juliano Holanda, Pablo Romeu, Tahina Rahary e Walter Areia

Terramarear reúne 14 de composições, solo de Tiago ou em parceria, algumas delas já lançadas nas plataformas digitais e remasterizadas para o álbum, caso das quatro canções do EP Na Mala, Só a Viagem (Bem Aqui, Das Horas, Perder Alguém e De Passagem), gravado no Recife com produção do aclamado guitarrista pernambucano Juliano Holanda, pouco antes da mudança de Tiago para Portugal.

10 canções foram compostas já em Portugal e três foram inteiramente produzidas lá: Tudo no Lugar (2018), gravada em Almada com participação da cantora alentejana Mara, grande voz da nova geração do fado português; e Abracadabra (Novas Manhãs Que Virão) e Calar pelos Cotovelos, gravadas em 2019 na aldeia de Fanhais, em Nazaré, com produção musical de Tahina Rahary, multi-instrumentista e compositor de Madagascar que mora há muitos anos em Portugal. 

Capa de “Terramarear”/Divulgação

Terramarear, o título do álbum, expressa a ligação do artista com a natureza. “Eu o encontrei numa coleção de livros de aventuras que lia quando adolescente e o associei ao percurso iniciado em 2018, quando me mudei para Portugal, num movimento de retomada da minha história musical neste lado lusitano do Oceano Atlântico, mesclando sonoridades brasileiras e portuguesas, culturas e sotaques”, completa Tiago Araripe. A capa é uma releitura do visual da coleção de livros, em criação do diretor de arte André Venâncio, com ilustração de Rodriguez Júnior.

Assista ao trailer de Terramarear.

RELACIONADAS

Quer saber tudo sobre cultura e eventos em Porto Alegre e no RS? Então assine a newsletter do Roger Lerina e receba as dicas no seu e-mail!