Nando Gross

A crise na arbitragem brasileira

Change Size Text
A crise na arbitragem brasileira Créditos: Joilson Marconne - CBF

A introdução do VAR no futebol foi saudada como uma ferramenta revolucionária para eliminar erros cruciais de arbitragem e promover uma maior justiça no esporte. No entanto, no contexto brasileiro, essa promessa continua longe de se materializar, devido a uma série de problemas que afetam a qualidade e a credibilidade das decisões arbitrais. Um dos principais desafios enfrentados pela arbitragem brasileira é a falta de capacitação adequada dos árbitros para lidar com a nova tecnologia. Não basta apenas dominar os aspectos técnicos do sistema; é essencial que os árbitros compreendam plenamente como aplicar as diretrizes do VAR de forma correta e imparcial. Infelizmente, muitos árbitros brasileiros ainda não foram devidamente treinados para essa tarefa, o que resulta em decisões contestáveis.

Além disso, há uma notável falta de padronização nas decisões tomadas com base no VAR, o que contribui para a insegurança e a desconfiança em relação ao sistema. Enquanto o objetivo do VAR é promover uma maior precisão e objetividade nas decisões, a realidade muitas vezes é marcada por interpretações subjetivas e inconsistências nas análises dos lances. Isso cria um ambiente onde a confiança na arbitragem é minada e as controvérsias são exacerbadas.

Um exemplo recente que ilustra esses problemas ocorreu em jogos envolvendo a dupla Gre-Nal. Em ambos os casos, equívocos relacionados ao VAR resultaram em decisões contestadas e polêmicas. No confronto entre Grêmio e Vasco, um pênalti claro não foi marcado após revisão do VAR, enquanto no jogo do Inter contra o Atlético-GO, o zagueiro Mercado foi agarrado dentro da área e a infração foi ignorada, deixando clara a falta de consistência e eficácia do sistema.

Além dos desafios técnicos e operacionais, há também questões relacionadas a egos e conflitos de interesse que afetam a integridade da arbitragem brasileira. A resistência de alguns árbitros de campo em aceitar as decisões do VAR, juntamente com a omissão por parte dos responsáveis pelo sistema em momentos cruciais, ressalta a necessidade urgente de uma cultura de colaboração e responsabilidade na arbitragem.

Como podemos ajustar a arbitragem brasileira para um padrão razoável de conduta? Uma abordagem fundamental para resolver essa crise passa pela implementação de um programa abrangente de capacitação e treinamento para os árbitros, focado não apenas nas habilidades técnicas, mas também na ética e na integridade necessárias para desempenhar suas funções de forma imparcial e consistente.

Além disso, é essencial promover uma cultura de transparência e prestação de contas dentro da arbitragem, onde as decisões são baseadas em critérios objetivos e revisões são conduzidas de forma justa e imparcial. Os clubes também têm um papel crucial a desempenhar, não apenas na cobrança por uma arbitragem justa quando são prejudicados, mas também no apoio a iniciativas que visem melhorar a qualidade e a integridade da arbitragem. Quem sabe trazer instrutores da Premier League (Inglaterra), para compartilhar conosco seus métodos de trabalho? Podemos trazer também da Bundesliga (Alemanha) e da La Liga (Espanha). A crise na arbitragem brasileira não será resolvida muito rapidamente, mas com um compromisso de todos os envolvidos em buscar a excelência, a transparência e a imparcialidade, podemos ir melhorando e chegar em um nível onde a arbitragem não seja mais protagonista nos jogos e sim as equipes.

Esqueceu sua senha?

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.