Nando Gross

Inter vence em La Paz e fica a um empate da semifinal da Libertadores

Change Size Text
Inter vence em La Paz e fica a um empate da semifinal da Libertadores Foto: Ricardo Duarte S.C. Internacional/Divulgação

Numa noite histórica para o Internacional, a equipe conquistou uma vitória que desafiou todas as probabilidades. O jogo em La Paz, com uma altitude de 3.625 metros sempre intimidou às equipes que visitaram o Bolívar. Este ano, Palmeiras e Athletico Paranaense perderam de virada pelo placar de 3 a 1. O Inter superou todas as expectativas e venceu pela primeira vez em La Paz. 

O técnico Eduardo Coudet teve papel decisivo pela abordagem tática que fez do jogo. Mudou o modelo da equipe, surpreendendo a todos com a adoção de três zagueiros e uma primeira linha defensiva composta por cinco jogadores. Essa mudança estratégica não apenas demonstrou a capacidade de adaptação do time, mas também ressaltou a visão e coragem do treinador em buscar alternativas dependendo das circunstâncias. 

No campo, a execução tática foi impecável. O Inter adotou uma postura defensiva, com linhas recuadas e compactas, neutralizando as investidas do adversário e controlando o ritmo da partida. A estratégia visava a minimizar os efeitos da altitude, buscando diminuir a velocidade do jogo e tirar o ímpeto dos adversários. Esse enfoque disciplinado e concentrado permitiu ao Inter uma maior eficiência na marcação e, ao mesmo tempo, a possibilidade do contra-ataque. 

Em um jogo onde cada movimento contava, jogadores contratados com foco na Libertadores se destacaram como peças cruciais para a vitória. O goleiro Rochet e Aránguiz demonstraram segurança e liderança ao longo da partida, reforçando a importância de ter jogadores experientes em jogos tão desafiadores. Contudo, foi o equatoriano Enner Valencia quem se tornou o herói da noite. 

Aos 16 minutos, Enner Valencia recebeu um passe preciso de Alan Patrick e entre três jogadores adversários finalizou no canto direito do goleiro. O gol não apenas definiu o resultado da partida, mas também deu segurança e determinação ao time em meio a circunstâncias adversas. 

Essa vitória reforça não somente a capacidade técnica dos jogadores e a liderança estratégica de Coudet, mas também a formação de uma mentalidade vencedora e a unidade do grupo como equipe. A vitória em La Paz já está na história do clube, até porque a primeira vez nunca se esquece.  

O Inter fica a um empate da classificação para a semifinal da Libertadores da América, em jogo que será disputado na próxima terça-feira, em Porto Alegre. 

Mas, antes disso, o time de Coudet tem um jogo muito difícil contra o Flamengo no Maracanã pelo Brasileirão, competição onde o Inter está em uma situação muito perigosa e precisa jogar com toda seriedade. 

;

Esqueceu sua senha?

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.