Matinal News

Melo encarece Área Azul para tentar segurar aumento da tarifa dos ônibus

Change Size Text
Melo encarece Área Azul para tentar segurar aumento da tarifa dos ônibus
Depois de quatro projetos aprovados na Câmara ao longo do ano passado visando baixar a passagem – mas cujo efeito não deverá ser sentido neste ano – o prefeito Sebastião Melo (MDB) detalhou uma nova ideia para segurar o preço da tarifa. Em entrevista à Rádio Gaúcha, ele anunciou a expansão da Área Azul para novos bairros e o aumento de seu preço. A ideia é que esses recursos sejam “jogados no sistema” de transporte público. Atualmente, o custo para deixar o carro numa das 6,7 mil vagas de Área Azul de Porto Alegre ao longo de uma hora é de pelo menos 2,30 reais. O aumento, que pode ser anunciado ainda esta semana, deverá ser salgado, entre 3,50 e 4 reais. A ideia é que o novo preço seja conhecido junto com a tarifa dos ônibus, prevista para entrar em vigor em fevereiro. Sobre a quantia a ser paga na catraca, Melo voltou a rechaçar a possibilidade do aumento alcançar os 6,65 reais propostos pelas empresas de ônibus: “Não passa dos 6 de jeito nenhum”. Mas caso esse preço se confirme, a elevação em 1,20 reais, de 4,80 para 6, já seria o maior efetuado de uma vez só. Sem sinalizações concretas das outras esferas, o prefeito voltou a cobrar ajuda federal e estadual para o setor de transporte público, além de fazer a defesa de outras propostas como a integração dos ônibus da Região Metropolitana e a criação de uma loteria municipal cujas receitas fossem destinadas ao sistema de mobilidade. Ar condicionado na mira – Apesar de terem pedido a passagem a 6,65 reais, as empresas também entendem que é necessário não aumentar muito o preço. Mas a conta é complicada. Apenas os custos com o reajuste dos rodoviários e com o combustível representa 70 centavos no cálculo da tarifa. Com isso, uma possível nova negociação deve buscar algumas concessões. Um dos itens que pode deixar de ser obrigatório nos coletivos é o ar condicionado. O que mais você precisa saber Smed nomeia servidoras para direção de escola que não saiu do papel – A Secretaria Municipal de Educação (Smed) nomeou duas servidoras concursadas e que atuam na pasta para dirigir uma escola que não existe. Como mostra a matéria de GZH, a Colinas da Baltazar, uma escola para a Educação Infantil, é um projeto que acabou não sendo concluído e hoje está abandonado. Fora do decreto organizacional da secretaria para 2022, o local não tem planos para ser usado neste ano. Nomeadas, as duas servidoras ganham direito a função gratificada (FG). A Smed confirmou a situação e informou que pediu à Secretaria Municipal de Administração e Planejamento a mudança da identificação destas FGs, para que descrevam as funções que as servidoras exercem hoje na secretaria. Procuradas pelo jornal, ambas não responderam aos questionamentos. Registro de adolescente algemado em shopping causa indignação – Um jovem negro de 15 anos foi algemado por um policial da BM na semana passada, dentro do shopping Bourbon Wallig. Nas cenas gravadas por um cliente, o garoto é imobilizado no chão pelo brigadiano, […]

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo ?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.