Matinal News

Porto Alegre vai escalonar novo calendário de vacina contra a covid

Change Size Text
Porto Alegre vai escalonar novo calendário de vacina contra a covid

O prazo para a dose de reforço da vacina contra a covid foi reduzido, mas ainda não será aplicado a pleno em Porto Alegre. Por ora, até para evitar aglomerações, ele segue em seis meses para a maioria dos adultos – as exceções são idosos a partir de 60 anos e profissionais de saúde, que já podem adiantar a terceira dose a partir de hoje caso tenham completado o ciclo vacinal há cinco meses. Aos demais adultos, a terceira injeção passa a estar liberada nesta quarta aos que receberam as duas doses até seis meses atrás, ou seja, em 17 de maio.

A Secretaria Municipal da Saúde explicou que irá reduzir esse prazo para cinco meses, seguindo assim a orientação do Ministério da Saúde. Isso ocorrerá de forma escalonada. A estimativa da pasta é que 30 mil pessoas estão aptas para receber a dose de reforço conforme o novo calendário. Há um total de 106 mil doses estocadas, nas contas da Prefeitura.

As vacinas utilizadas para o reforço serão basicamente Pfizer e AstraZeneca – como não haverá novos contratos com o Butantan, a presença da Coronavac em postos será reduzida gradualmente. O Ministério recomenda que seja utilizada a da Pfizer na terceira aplicação, mas o Governo do Estado autorizou a intercambialidade de vacinas em municípios que tiverem essa disponibilidade. A nota técnica sobre o assunto ressalta a efetividade da vacinação no combate à pandemia.

Janssen – Entre tantas informações sobre vacinas, vale destacar que o Ministério da Saúde também autorizou uma segunda aplicação da vacina da Janssen, que inicialmente era de dose única. No RS, cerca de 300 mil pessoas tomaram o imunizante, grupo que poderá completar o esquema vacinal provavelmente a partir da semana que vem – o Estado recebe um novo lote na sexta-feira. A dose de reforço deste público será feita cinco meses depois.


O que mais você precisa saber

Assembleia aprova relatório da CPI dos Medicamentos – A Assembleia Legislativa aprovou o relatório da CPI que investigou o aumento de preços de medicamentos e insumos no combate à covid-19 no Estado. O documento sugere o indiciamento de 68 empresas distribuidoras de medicamentos e de três indústrias farmacêuticas. Os nomes não foram tornados públicos. Presidente da CPI, o deputado Thiago Duarte (DEM) informou que a Casa irá comunicar as autoridades responsáveis a respeito do caso. Também ontem, o plenário do Parlamento aprovou três decretos legislativos que sustam o pagamento de auxílio saúde a membros do Tribunal de Justiça, Ministério Público e Defensoria Pública. O benefício poderia render até 2,1 mil reais a mais a juízes, promotores e defensores. 

Melo recebe sindicatos e reabre debate sobre futuro de trabalhadores do Imesf – O prefeito Sebastião Melo (MDB) recebeu ontem servidores da Atenção Básica em Saúde, parlamentares e representantes do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa), que pleiteiam a suspensão de contratações emergenciais para a saúde e mais tempo para debater a realocação de trabalhadores do Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família (Imesf), cuja extinção foi determinada pela Justiça. O emedebista comprometeu-se a trabalhar para que a Câmara de Vereadores adie a votação do projeto de lei que abre contratações emergenciais, prevista para semana que vem. O texto também determina a demissão dos trabalhadores ainda ligados ao Imesf, mas preserva o vínculo de alguns agentes com o Município. Segundo os sindicalistas, mais de 1,5 mil profissionais foram aprovados em concursos públicos e aguardam convocação. Vale lembrar que o fim do Imesf foi determinado em 2013 pelo Tribunal de Justiça do RS e confirmado pelo STF em setembro de 2019. Contudo, o Simpa alega que não existe ordem expressa da Justiça para que os trabalhadores sejam demitidos.

Avança na Câmara projeto que altera regras urbanísticas para o Centro Histórico – O projeto que prevê novas regras urbanísticas para o Centro Histórico foi apresentado e defendido pelo secretário de Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade, Germano Bremm, na Câmara, ontem. Segundo a colunista Bruna Suptitiz, o discurso concentrou-se em explicar a metodologia para adotar gabaritos (altura, recuos) por quarteirão e justificar o “fatiamento” do Plano Diretor. A Prefeitura defende que o objetivo em trabalhar territórios específicos é abordar “questões que não vão ser necessariamente abordadas no Plano Diretor”. Já a Promotoria de Justiça de Habitação e Defesa da Ordem Urbanística do MP-RS questiona os “projetos e programas esparsos”. Há críticas também por parte do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB-RS). “No fim das contas deixa muita coisa a regular por decreto. Não há, no nosso entendimento, desenvolvimento, e sim desregulamentação do Plano”, criticou Rafael Passos, presidente do IAB-RS. O texto que trata da revitalização do Centro já havia sido aprovado na Comissão de Constituição e Justiça e vai passar por outras comissões. Embora o prefeito Sebastião Melo falem em “Plano Diretor” para o Centro, o termo é rechaçado por técnicos da prefeitura, que temem confusão com a lei maior que regulamenta o planejamento urbanístico da cidade e está em processo de revisão.

Outros links:


Vacina, sim!

Saiba onde se vacinar hoje em Porto Alegre – e, para não ter dúvida, siga a leitura do texto abaixo que aborda o novo rumo da campanha de vacinação. 


Cultura

“Bob Cuspe” e a volta do velho punk

Coala Filmes/Divulgação

Um dos personagens mais famosos dos quadrinhos nacionais chega aos cinemas com o filme Bob Cuspe, Nós Não Gostamos de Gente (2021), de Cesar Cabral. O longa é uma animação em stop motion que mistura gêneros como documentário, comédia e road movie para contar a história do protagonista, um velho punk tentando escapar de um deserto pós-apocalíptico – na verdade, um purgatório na mente de seu criador, o cartunista Angeli, que passa por uma crise criativa. Leia a resenha de Roger Lerina.

Agenda (🔒)

Às 12h30, o Musical Évora recebe o pianista polonês Raphael Lustchevski no palco principal do Theatro São Pedro, com entrada franca.

No ano em que o poeta Oliveira Silveira, um dos idealizadores do Dia da Consciência Negra, completaria 80 anos, o projeto Poesia no Ling realiza uma edição especial dedicada a sua obra, às 16h, em formato online e gratuito, com o professor de literatura Jorge Fróes

O artista visual Marcelo Armesto conversa com o historiador da arte Eduardo Veras sobre a exposição Entre – Inventários de uma Poética, às 18h30, no Salão Mourisco da Biblioteca Pública do RS, com entrada gratuita – saiba mais sobre a mostra.

Para receber todas as dicas culturais do Roger Lerina enviadas aos assinantes premium do Matinal, assine aqui.

Receba a agenda completa


OFERECIMENTO:

De 6 a 21 de novembro. Programação completa neste link.

Você viu?

Um estudo realizado nos Estados Unidos mostra que investir em infraestrutura para ciclistas beneficia as economias locais. A alternativa pode ser uma saída para retomar o crescimento econômico nas cidades do mundo todo no pós-pandemia. Quanto mais ciclovias e espaços públicos seguros para as bikes, mais as pessoas se encorajam a pedalar. E quem pedala compra mais bicicletas, acessórios e planos de bike compartilhada, movimentando o segmento, mas não só ele: quem usa a magrela também compra em outras lojas do comércio em geral. Às empresas, cabe receber bem os ciclistas para também se beneficiarem com mais bicicletas nas ruas.

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito