Matinal, Reportagem

Economia com transferência de biblioteca da Smam é inferior à informada pela prefeitura

Change Size Text
Economia com transferência de biblioteca da Smam é inferior à informada pela prefeitura Biblioteca conta com acervo que é referência no País em temas ambientais. Foto: SMAMS/PMPA

Secretário Germano Bremm diz que aluguel do Escritório de Licenciamento custa R$ 150 mil, mas contrato desmente informação: são R$ 66 mil por três andares, compartilhados com a pasta de Desenvolvimento Econômico

Um contrato disponível no portal da Transparência da prefeitura desmente a versão dada pelo secretário municipal de Meio Ambiente de Porto Alegre, Germano Bremm, de que a transferência da biblioteca da Smam para o Parque Germânia vai economizar R$ 150 mil aos cofres municipais.

Desde a quinta-feira passada, essa é a informação oficial fornecida pela pasta para justificar o deslocamento da histórica coleção de livros, CDs e documentos dedicados à memória ambiental de Porto Alegre para um local longe do corpo técnico que o consulta. A notícia da transferência foi publicada pelo Matinal Jornalismo na sexta-feira.

Segundo nota enviada pela assessoria de imprensa para a redação, “a medida vai permitir que a equipe do Escritório de Licenciamento seja alocada no prédio da Rua Luiz Voelcker,  sede da Smamus (Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade, antiga Smam), em conjunto com as demais unidades. Como consequência, serão economizados cerca de R$ 150 mil por mês, valor hoje pago pelo aluguel do prédio em que a área de licenciamentos atua, na Avenida Júlio de Castilhos”. O valor também está mencionado em notícia publicada na tarde desta segunda-feira (08), no site da prefeitura.

Atualmente, o Escritório de Licenciamento funciona no 16º andar do edifício Cosmopolitan Center, no Centro Histórico, no endereço fornecido pela pasta. Entretanto, o contrato de aluguel firmado entre a prefeitura, a Fundação Banco Central de Previdência Privada–Centrus e a Ibiza–Sociedade de Hotéis, Incorporações e Construções contabiliza um valor mensal a pagar de R$ 66,3 mil, menos da metade do que a prefeitura diz que paga.

Além disso, o contrato inclui também salas do 15º e do 17º andares, nas quais funciona a sede da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE) – que vai permanecer no espaço, em pelo menos um dos andares atualmente locados. Portanto, sequer a integralidade do aluguel será economizada, já que parte do R$ 66,3 mil seguirá sendo dispendida para a pasta comandada pelo vice-prefeito, Ricardo Gomes (DEM).

O contrato de aluguel foi firmado em 2018, mas pelo Portal de Transparência também é possível verificar que o valor total gasto com o aluguel permanece na mesma faixa ainda hoje. Em novembro de 2020, foram pagos R$ 68 mil (divididos entre os dois locadores, Ibiza e Centrus).

Provocada a se manifestar sobre a divergência entre os valores, a Smamus  justificou que o cálculo inclui as contas de “água, luz, condomínio, limpeza e conservação” da SMDE. A informação tem respaldo em dados publicados no site do Tribunal de Contas do Estado, mas considera o total das despesas do conjunto de salas, compartilhadas até agora entre a SMDE e o Escritório de Licenciamento.

Além disso, uma eventual desocupação dos andares alugados não vai zerar esses gastos, porque não está em questão o encerramento do setor, apenas sua transferência. Ou seja, despesas com água, luz, condomínio, limpeza e IPTU seguirão existindo.

Decisão de transferência gera debate

Depois que Matinal Jornalismo revelou que a prefeitura pretende desalojar a biblioteca Jornalista Roberto Xavier para abrir espaço ao Escritório de Licenciamento, cumprindo uma promessa de campanha do prefeito Sebastião Melo (MDB) de acelerar esses trâmites, houve mobilização.

A Frente Parlamentar de Incentivo ao Livro e à Leitura, que congrega deputados estaduais, convocou uma reunião virtual para esta terça-feira, às 16h, para debater o assunto. Para participar, basta clicar neste link.

Gostou desta reportagem? Garanta que outros assuntos importantes para a sociedade gaúcha sejam abordados: seja nosso assinante.

Reportagens investigativas e de grande importância para a democracia como esta só são possíveis graças ao investimento dos nossos assinantes premium. Além disso, os nossos assinantes premium têm acesso a todo o conteúdo do Roger Lerina, à revista Parêntese, à versão completa da NewsMatinal, a descontos nos nossos cursos e a muito mais. Com o preço de dois cafezinhos por dia você tem mais informação, cultura e ainda ajuda o jornalismo local independente. Assine!
Se você já é assinante, obrigada por estar conosco no Grupo Matinal Jornalismo! Faça login e tenha acesso a todos os nossos conteúdos.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Se você já é assinante, obrigada por estar conosco no Grupo Matinal Jornalismo! e tenha acesso a todos os nossos conteúdos.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

Gostou desta reportagem? Ela é possível graças a sua assinatura.

O dinheiro investido por nossos assinantes premium é o que garante que possamos fazer um jornalismo independente de qualidade e relevância para a sociedade e para a democracia. Você pode contribuir ainda mais com um apoio extra ou compartilhando este conteúdo nas suas redes sociais.
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Se você já é assinante, obrigada por estar conosco no Grupo Matinal Jornalismo! e tenha acesso a todos os nossos conteúdos.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
RELACIONADAS

Esta reportagem é financiada pelo investimento de nossos assinantes. Assine o Matinal e ajude-nos a produzir um jornalismo independente e de qualidade.

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.